terça-feira, 29 de setembro de 2009

Amazônia pode 'morrer' em 50 anos, diz estudo


"A floresta amazônica poderia "morrer" em 50 anos por causa de mudanças climáticas provocadas pelo homem, sugere um estudo internacional publicado na revista especializada Proceedings of the National Academy of Sciences.


Segundo o estudo, muitos dos sistemas climáticos do mundo poderão passar por uma série de mudanças repentinas neste século, por causa de ações provocadas pela atividade humana.

Os pesquisadores argumentam que a sociedade não se deve deixar enganar por uma falsa sensação de segurança dada pela idéia de que as mudanças climáticas serão um processo lento e gradual.

"Nossas conclusões sugerem que uma variedade de elementos prestes a 'virar' poderiam chegar ao seu ponto crítico ainda neste século, por causa das mudanças climáticas induzidas pelo homem", disse o professor Tim Lenton, da Universidade de East Anglia, na Inglaterra, que liderou o estudo de mais de 50 cientistas.

Segundo os cientistas, alterações mínimas de temperatura já seriam suficientes para levar a mudanças dramáticas e até causar o colapso repentino de um sistema ecológico.

O estudo diz que os sistemas mais ameaçados seriam a camada de gelo do mar Ártico e da Groelândia, em um ranking preparado pelos cientistas, que inclui os nove sistemas mais ameaçados pelo aquecimento global.

A floresta amazônica ocupa a oitava e penúltima colocação no ranking.

Chuva

Segundo o estudo, boa parte da chuva que cai sobre a bacia amazônica é reciclada e, portanto, simulações de desmatamento na região sugerem uma diminuição de 20% a 30% das chuvas, o aumento da estação seca e também o aumento das temperaturas durante o verão.

Combinados, esses elementos tornariam mais difícil o restabelecimento da floresta.

A morte gradual das árvores da floresta amazônica já foi prevista caso as temperaturas subam entre 3ºC e 4ºC, por conta das secas que este aumento causaria.

A frequência de queimadas e a fragmentação da floresta, causada por atividade humana, também poderiam contribuir para este desequilíbrio.

Segundo o estudo, só as mudanças na exploração da terra já poderiam, potencialmente, levar a floresta amzônica a um ponto crítico.

A maioria dos cientistas que estudam mudanças climáticas acredita que o aquecimento global provocado pelas atividades humanas já começou a afetar alguns aspectos de nosso clima."

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

O longo e tortuoso caminho



THE LONG AND WINDING ROAD

O longo e tortuoso caminho

THAT LEADS TO YOUR DOOR

Que leva a sua porta

WILL NEVER DISAPPEAR

Nunca vai desaparecer

I'VE SEEN THAT ROAD BEFORE

Já ví esse caminho antes

IT ALWAYS LEADS ME HERE

Ele sempre me traz aqui

LEAD ME TO YOUR DOOR

Leva-me à sua porta

THE WILD AND WINDY NIGHT

A noite selvagem e tempestuosa

THAT THE RAIN WASHED AWAY

Que foi varrida pela chuva

HAS LEFT A POOL OF TEARS

Deixou uma poça de lágrimas

CRYING FOR THE DAY

Implorando pelo dia

WHY LEAVE ME STANDING HERE ?

Por que me deixar aqui ?

LET ME KNOW THE WAY

Mostre-me o caminho

MANY TIMES I'VE BEEN ALONE

Muitas vezes estive sozinho

AND MANY TIMES I'VE CRYED

E muitas vezes chorei

ANYWAY YOU'LL NEVER KNOW

Não importa, você nunca saberá

THE MANY WAYS I'VE TRIED

De quantas maneiras tentei

( *** ) BUT STILL THEY LEAD ME BACK

Mas todas me levam de volta

TO THE LONG AND WINDING ROAD

Ao longo e tortuoso caminho

YOU LEFT ME STANDING HERE

Você me deixou aqui

A LONG, LONG TIME AGO

Há muito e muito tempo

DON'T LEAVE ME WAITING HERE

Não me deixe aqui, esperando

LEAD ME TO YOUR DOOR

Leve-me à sua porta

terça-feira, 22 de setembro de 2009

A Primavera está chegando


Primavera é a estação do ano que sucede o inverno e antecede o verão. No hemisfério norte, a estação é denominada “Primavera Boreal”, que se inicia em 20 de Março e termina em 21 de Junho. No hemisfério sul, a mesma é chamada de “Primavera Austral”, iniciando em 23 de Setembro e terminando em 21 de Dezembro. Se olharmos sob o ponto de vista astronômico, a primavera se inicia nos equinócios de Setembro (Sul) e Março (Norte) e termina nos solstícios de Dezembro (Sul) e Junho (Norte).

A característica mais marcante da estação é o reflorescimento da flora e da fauna. Muitos animais aproveitam a temperatura ideal da estação para se reproduzir. No Brasil, a chegada da primavera ocasiona uma mudança no regime de chuvas e temperaturas. Na maioria das regiões começam a aparecer as primeiras pancadas de chuva pelo final da tarde, resultado do aumento de calor e umidade característico da primavera. No entanto, na região Sul ocorrem poucas alterações em relação à quantidade de chuvas; no Nordeste permanece a seca.

sábado, 19 de setembro de 2009

Uma História que vai longe o Folclore Brasileiro


Algumas lendas, mitos e contos folclóricos do Brasil:

Boitatá
Representada por uma cobra de fogo que protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e matar aqueles que desrespeitam a natureza. Acredita-se que este mito é de origem indígena e que seja um dos primeiros do folclore brasileiro. Foram encontrados relatos do boitatá em cartas do padre jesuíta José de Anchieta, em 1560. Na região nordeste, o boitatá é conhecido como "fogo que corre".

Boto
Acredita-se que a lenda do boto tenha surgido na região amazônica. Ele é representado por um homem jovem, bonito e charmoso que encanta mulheres em bailes e festas. Após a conquista, leva as jovens para a beira de um rio e as engravida. Antes de a madrugada chegar, ele mergulha nas águas do rio para transformar-se em um boto.

Curupira
Assim como o boitatá, o curupira também é um protetor das matas e dos animais silvestres. Representado por um anão de cabelos compridos e com os pés virados para trás. Persegue e mata todos que desrespeitam a natureza. Quando alguém desaparece nas matas, muitos habitantes do interior acreditam que é obra do curupira.

Lobisomem
Este mito aparece em várias regiões do mundo. Diz o mito que um homem foi atacado por um lobo numa noite de lua cheia e não morreu, porém desenvolveu a capacidade de transforma-se em lobo nas noites de lua cheia. Nestas noites, o lobisomem ataca todos aqueles que encontra pela frente. Somente um tiro de bala de prata em seu coração seria capaz de matá-lo.

Mãe-D'água
Encontramos na mitologia universal um personagem muito parecido com a mãe-d'água : a sereia. Este personagem tem o corpo metade de mulher e metade de peixe. Com seu canto atraente, consegue encantar os homens e levá-los para o fundo das águas.

Corpo-seco
É uma espécie de assombração que fica assustando as pessoas nas estradas. Em vida, era um homem que foi muito malvado e só pensava em fazer coisas ruins, chegando a prejudicar e maltratar a própria mãe. Após sua morte, foi rejeitado pela terra e teve que viver como uma alma penada.

Pisadeira
É uma velha de chinelos que aparece nas madrugadas para pisar na barriga das pessoas, provocando a falta de ar. Dizem que costuma aparecer quando as pessoas vão dormir de estômago muito cheio.

Mula-sem-cabeça
Surgido na região interior, conta que uma mulher teve um romance com um padre. Como castigo, em todas as noites de quinta para sexta-feira é transformada num animal quadrúpede que galopa e salta sem parar, enquanto solta fogo pelas narinas.

Mãe-de-ouro
Representada por uma bola de fogo que indica os locais onde se encontra jazidas de ouro. Também aparece em alguns mitos como sendo uma mulher luminosa que voa pelos ares. Em alguns locais do Brasil, toma a forma de uma mulher bonita que habita cavernas e após atrair homens casados, os faz largar suas famílias.

Saci-Pererê
O saci-pererê é representado por um menino negro que tem apenas uma perna. Sempre com seu cachimbo e com um gorro vermelho que lhe dá poderes mágicos. Vive aprontando travessuras e se diverte muito com isso. Adora espantar cavalos, queimar comida e acordar pessoas com gargalhadas.

Curiosidades:
- É comemorado com eventos e festas, no dia 22 de Agosto, aqui no Brasil, o Dia do Folclore.
- Em 2005, foi criado do Dia do Saci, que deve ser comemorado em 31 de outubro. Festas folclóricas ocorrem nesta data em homenagem a este personagem. A data, recém criada, concorre com a forte influência norte-americana em nossa cultura, representanda pela festa do Halloween - Dia das Bruxas.
- Muitas festas populares, que ocorrem no mês de Agosto, possuem temas folclóricos como destaque e também fazem parte da cultura popular.

Para não dizer que não falei das flores




Geraldo Pedrosa de Araújo Dias nasceu na Paraíba em João Pessoa em 12/09/1935 foi o primogênito do médico José Vandregísilo e de D. Maria Eugenia. Seu gênio irriquieto fez com que seu pai o internasse no Colégio São José, em Nazaré da Mata, no interior do Pernambuco, ainda criança, preocupado com sua educação.

Desde cedo, já manifestava seu desejo de ser cantor de rádio, participando dos festivais de canto do colégio onde estudava e chegando a apresentar-se no rádio, em um programa de calouros.

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1951 com a família, onde conheceu pessoas ligadas ao meio artístico, como o compositor Valdemar Henrique, Baden Powell e Luís Eça. Na faculdade se ligou ao movimento estudantil, em especial aos CPCs (Centros Populares de Cultura) da UNE (União Nacional dos Estudantes).

Conheceu Carlos Lyra, que se tornou seu parceiro em músicas como "Quem Quiser Encontrar o Amor" e "Aruanda", gravadas por Lyra. Gravou seu primeiro LP, "Geraldo Vandré", em 1964, com as músicas "Fica Mal com Deus" e "Menino das Laranjas" (com Theo de Barros), entre outras.

No ano seguinte, defende "Sonho de um Carnaval", de Chico Buarque, no I Festival de MPB da TV Excelsior. No ano seguinte, vence a segunda edição do mesmo festival com "Porta-Estandarte", sua composição em parceria com Fernando Lona, defendido por Tuca e Airto Moreira.

Depois da vitória parte em turnê pelo Nordeste com um conjunto que veio a se chamar mais tarde Quarteto Novo, e contava com Hermeto Pascoal, Theo de Barros, Heraldo do Monte e Airto Moreira. Vandré tornou-se cada vez mais famoso no ambiente dos festivais.

Sua música "Disparada", interpretada por Jair Rodrigues, empata em primeiro lugar com "A Banda" de Chico Buarque no Festival da TV Record de 1966. No ano de 1968 "Caminhando (Pra Não Dizer que Não Falei de Flores)" conquista o segundo lugar no festival da TV Globo, apesar de ser favorita do público, perdendo para "Sabiá" (Chico Buarque/ Tom Jobim).

Com a promulgação do AI-5 e o acirramento da ditadura, foi exilado, e morou no Chile, França, Argélia, Alemanha, Áustria, Grécia e Bulgária.

Nos 4 anos que ficou fora do Brasil, Vandré tornou-se uma espécie de "mito" da resistência à ditadura, por ter ficado sem fazer shows no Brasil desde 1968. Apresentou-se no Paraguai em 1982 e 1985, rompendo mais de uma década de silêncio. Mais tarde compôs "Fabiana" em homenagem à FAB (Força Aérea Brasileira). Nos anos 90 foram lançadas coletâneas com obras suas.

PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES

Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas, campos, contruções,
Caminhando e cantado e seguindo a canção.

Refrão: Vem vamos embora que esperar não é saber.
Quem sabe faz a hora não espera acontecer.(bis)

Pelos campos a fome em grandes plantações
Pelas ruas marchando indecisos cordões
Ainda fazem da flor seu mais forte refrão
E acreditam nas flores vencendo o canhão.

Repete refrão

Há soldados armados, amados ou não,
Quase todos perdidos de armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam uma antiga lição:
De morrer pela pátria, ou viver sem razão.

Repete refrão

Nas escolas, nas ruas, campos, construções,
Somos todos soldados, armados ou não
Caminhando, cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais, braços dados ou não.


Os amores na mente, as flores no chão
A certeza na frente, a história na mão
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Aprendendo, ensinando uma nova lição.

Pink Floyd - um pouco de História


Em 1966 o rock and roll já não era mais o mesmo da década de 50. As músicas descompromissadas, arranjos simples e letras bobas sobre amor, garotas e carros estavam dando lugar a algo mais elaborado.

Os Beatles já haviam abandonado as baladinhas adolescente e compunham trilhas sonoras para viagens de ácido. No auge do verão do amor as letras políticas de Bob Dylan eram os lemas da campanha contra a guerra do Vietnã e faziam parecer irresponsável a música executada apenas com propósito de diversão. As letras românticas dos primeiros tempos começavam a dar lugar ao lema sexo, drogas e rock and roll.

Neste cenário de mudanças rápidas começou a surgir o movimento chamado de rock progressivo (ou progressista), marcado por letras profundas, músicas relacionadas entre si, arranjos complexos, instrumentos exóticos e acima de tudo muito experimentalismo. O que mais caracterizava o rock progressivo era a tentativa de não se prender a nenhum estilo ou regra predeterminado. Há controvérsias sobre qual teria sido o marco inicial do movimento progressivo. Alguns afirmam terem sido os Beatles, com o disco Sgt Peppers, os primeiros a abordarem o rock como algo mais além de simples diversão. A maioria, porém, aponta o Pink Floyd, com seu álbum Piper at Gates Of Dawn como o precursor do movimento.

O embrião do que viria a ser uma das mais influentes bandas da história foi o grupo Sigma 6, formado por Roger Waters, Rick Wright e Nick Mason, na época alunos da Faculdade de Arquitetura de Cambridge. Como é comum a toda banda iniciante, o estilo ainda não era definido, variando do rock ao folk, e as mudanças de formação eram constantes, assim como as mudanças no nome da banda (Abdabs e T-Sets). A grande virada da banda ocorreu quando se juntou a ela Roger "Syd" Barret, que havia estudado com Roger Waters na Cambridge High Scholl. Foi de Barrett a idéia do nome Pink Floyd Sound, mais tarde abreviado para Pink Floyd (tratava-se do nome de um disco da dupla de blues Pink Anderson e Floyd Council, influências de Syd).

Syd Barrett era muito mais do que apenas músico. Movido por inspiração e LSD Syd era compositor, poeta, pintor e artista performático. Planejados e comandados por ele os shows do Pink Floyd eram muito mais do que apenas espetáculos sonoros. Usando truques simples de luz e projeção de slides o Pink Floyd tentava reproduzir em palco os efeitos de viagens de ácido e segundo muitos conseguia. Os shows iniciais dirigidos a um público underground composto de poetas e ativistas políticos rapidamente chamou a atenção da indústria musical. O Pink Floyd ajudava a inaugurar o rock experimental e cunhava o termo psicodelismo para definir o seu estilo de música.

O grupo é logo contratado por uma pequena gravadora, a Thompson Records, e grava um single com as músicas Lucy Leaves e I'm a King Bee, que teve uma excelente aceitação. Os apreciadores do Floyd não eram mais apenas fãs de sua música e passavam aos poucos a ser como que seguidores de uma doutrina, seguindo a banda aonde quer que ela fosse. A EMI, que havia a poucos meses classificado o trabalho da banda de "experimental demais", rapidamente os contratou. A banda começou no estúdio Abbey Road a gravação de seu primeiro álbum. Curiosamente, no mesmo estúdio e na mesma época os Beatles gravavam o disco Sgt Peppers. Nos corredores do estúdio foram compartilhadas drogas e opiniões musicais. Os discos resultantes, Sgt Peppers, dos Beatles, e The Pipers At Gates of Dawn, disputam entre si o título de marco da estréia do rock como obra de arte.

O sucesso do disco de estréia é atribuido principalmente à mente genial de Syd Barret, responsável pelos arranjos de estrutura indefinida, cheio de nuances e completamente imprevisíveis. A linha que limitava a genialidade e a loucura de Syd Barrett porém se tornava mais tênue a cada momento. Problemas mentais provenientes de uma infância conturbada se agravaram em virtude do uso excessivo de alucinógenos e Syd Barrett começou a apresentar um comportamento algumas vezes esquizofrênico e algumas vezes alienado. A situação se agravou até o ponto em que Syd Barret não conseguia mais tocar ou compor e se limitava no palco a tocar um único acorde e olhar para um ponto perdido no espaço. Foi convidado para preencher o espaço na banda o vocalista e guitarrista David Gilmour, antigo companheiro de escola de Roger Waters e Syd Barret.

Com Syd Barrett ainda oficialmente na banda embora não mais participasse dela ativamente, foi lançado o álbum Saucerful of Secrets. Ao contrário do que se podia esperar, apesar de não contar com a participação integral de seu criador e principal articulador, o Pink Floyd se sai muito bem. Aos poucos Syd Barrett é deixado de lado até ser definitivamente desligado da banda. Esquecido, Syd levou desde então uma vida comum, morando com a mãe e se dedicando a hobies como pintura e jardinagem.

O prestígio da banda cresce nos anos seguintes com os discos Ummagumma, Atom Heart Mother e Meddle, além das trilhas sonoras para dois filmes, More e Obscured By Clouds. O comando da banda havia sido assumido aos poucos com maestria por David Gilmour, que dividia com Roger Waters a responsabilidade de compor as músicas da banda.

Em 1973 a banda grava Dark Side Of The Moon, um dos álbuns mais bem sucedidos da história, que viria a permanecer mais de 20 anos entre os mais vendidos. Com este disco o Pink Floyd prova definitivamente que não dependia apenas do gênio de Syd Barrett e supera em todos os aspectos a obra prima que foi o primeiro disco. A EMI chegou a construir fábricas para fabricar exclusivamente este disco, que marca uma fase de trabalho conjunto e harmonia entre os membros da banda.

Segue-se Wish You Were Here, um trabalho conceitual e um verdadeiro tributo a Syd Barret. O tema da ausência é o pretexto para indiretamente homenagear e analisar o gênio louco. Curiosamente durante as gravações deste disco Syd Barret compareceu ao estúdio, gordo, sujo e careca, com uma imagem tão degenerada que custou a ser reconhecido pelos companheiros.

Animals, de 1977, inaugura a fase de protesto político-social da banda e também marca o início de um predomínio de Roger Waters sobre os outros músicos. O disco é baseado na peça teatral "A Revolução dos Bichos" de George Orwell e retrata as contradições e injustiças da sociedade capitalista.

Durante as gravações de The Wall surgem os primeiros atritos entre os membros, com Roger Waters tomando para si o controle da banda. The Wall era um tratado sobre a solidão e sobre o poder esmagador do sucesso, mas era antes de tudo uma auto-biografia do que Roger Waters se supunha ser. A obra, logo tachada de ópera-rock, seria lançada também em forma de filme.

Com o álbum The Final Cut agravam-se os problemas de relacionamento entre os membros, com Roger Waters tendo despedido Rick Wright e relegado os outros componentes da banda a pouco mais do que músicos de estúdio. Waters compôs o conceito e praticamente a totalidade das músicas, além de ter sido o responsável por todos os vocais. O álbum na realidade deveria ser um trabalho solo, mas a gravadora achou que seria mais lucrativo lança-lo como trabalho da banda.

Brigas entre os componentes restantes levaram Roger Waters em 1986 a anunciar o fim do Pink Floyd. Seguiu-se uma longa batalha judicial entre os advogados de Roger Waters e David Gilmour. A justiça decidiu que o nome da banda não pertencia a Roger Waters. Rick Wright foi trazido de volta e em 1987 foi lançado A Momentary Lapse Of Reason, considerado quase unanimemente um dos discos mais fracos do Pink Floyd. Segue-se o segundo disco ao vivo da banda, Delicate Sound Of Thunder (lembrando que um dos discos Ummagumma era ao vivo)

Em 1994, num clima de volta triunfal, após alguns anos sem gravar e sem se apresentar ao vivo, a banda volta com The Divison Bell, disco que teve excelente aceitação por parte da crítica e do público. Pouco mais tarde, em 1995 é lançado Pulse, uma outra gravação ao vivo.

História da MPB - Música Popular Brasileira


História da MPB - Música Popular Brasileira

Podemos dizer que a MPB surgiu ainda no período colonial brasileiro, a partir da mistura de vários estilos. Entre os séculos XVI e XVIII, misturou-se em nossa terra, as cantigas populares, os sons de origem africana, fanfarras militares, músicas religiosas e músicas eruditas européias. Também contribuíram, neste caldeirão musical, os indígenas com seus típicos cantos e sons tribais.

Nos séculos XVIII e XIX, destacavam-se nas cidades, que estavam se desenvolvendo e aumentando demograficamente, dois ritmos musicais que marcaram a história da MPB: o lundu e a modinha. O lundu, de origem africana, possuía um forte caráter sensual e uma batida rítmica dançante. Já a modinha, de origem portuguesa, trazia a melancolia e falava de amor numa batida calma e erudita.

Na segunda metade do século XIX, surge o Choro ou Chorinho, a partir da mistura do lundu, da modinha e da dança de salão européia. Em 1899, a cantora Chiquinha Gonzaga compõe a música Abre Alas, uma das mais conhecidas marchinhas carnavalescas da história.

Já no início do século XX começam a surgir as bases do que seria o samba. Dos morros e dos cortiços do Rio de Janeiro, começam a se misturar os batuques e rodas de capoeira com os pagodes e as batidas em homenagem aos orixás. O carnaval começa a tomar forma com a participação, principalmente de mulatos e negros ex-escravos. O ano de 1917 é um marco, pois Ernesto dos Santos, o Donga, compõe o primeiro samba que se tem notícia : Pelo Telefone. Neste mesmo ano, aparece a primeira gravação de Pixinguinha, importante cantor e compositor da MPB do início do século XIX.

Com o crescimento e popularização do rádio nas décadas de 1920 e 1930, a música popular brasileira cresce ainda mais. Nesta época inicial do rádio brasileiro, destacam-se os seguintes cantores e compositores : Ary Barroso, Lamartine Babo (criador de O teu cabelo não nega), Dorival Caymmi, Lupicínio Rodrigues e Noel Rosa. Surgem também os grandes intérpretes da música popular brasileira : Carmen Miranda, Mário Reis e Francisco Alves.

Na década de 1940 destaca-se, no cenário musical brasileiro, Luis Gonzaga, o "rei do Baião". Falando do cenário da seca nordestina, Luis Gonzaga faz sucesso com músicas como, por exemplo, Asa Branca e Assum Preto.

Enquanto o baião continuava a fazer sucesso com Luis Gonzaga e com os novos sucessos de Jackson do Pandeiro e Alvarenga e Ranchinho, ganhava corpo um novo estilo musical: o samba-canção. Com um ritmo mais calmo e orquestrado, as canções falavam principalmente de amor. Destacam-se neste contexto musical : Dolores Duran, Antônio Maria, Marlene, Emilinha Borba, Dalva de Oliveira, Angela Maria e Caubi Peixoto.

Em fins dos anos 50 (década de 1950), surge a Bossa Nova, um estilo sofisticado e suave. Destaca-se Elizeth Cardoso, Tom Jobim e João Gilberto. A Bossa Nova leva as belezas brasileiras para o exterior, fazendo grande sucesso, principalmente nos Estados Unidos.

A televisão começou a se popularizar em meados da década de 1960, influenciando na música. Nesta época, a TV Record organizou o Festival de Música Popular Brasileira. Nestes festivais são lançados Milton Nascimento, Elis Regina, Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso e Edu Lobo. Neste mesmo período, a TV Record lança o programa musical Jovem Guarda, onde despontam os cantores Roberto Carlos e Erasmo Carlos e a cantora Wanderléa.

Na década de 1970, vários músicos começam a fazer sucesso nos quatro cantos do país. Nara Leão grava músicas de Cartola e Nelson do Cavaquinho. Vindas da Bahia, Gal Costa e Maria Bethânia fazem sucesso nas grandes cidades. O mesmo acontece com DJavan (vindo de Alagoas), Fafá de Belém (vinda do Pará), Clara Nunes (de Minas Gerais), Belchior e Fagner ( ambos do Ceará), Alceu Valença (de Pernambuco) e Elba Ramalho (da Paraíba). No cenário do rock brasileiro destacam-se Raul Seixas e Rita Lee. No cenário funk aparecem Tim Maia e Jorge Ben Jor.

Nas décadas de 1980 e 1990 começam a fazer sucesso novos estilos musicais, que recebiam fortes influências do exterior. São as décadas do rock, do punk e da new wave. O show Rock in Rio, do início dos anos 80, serviu para impulsionar o rock nacional.Com uma temática fortemente urbana e tratando de temas sociais, juvenis e amorosos, surgem várias bandas musicais. É deste período o grupo Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, Titãs, Kid Abelha, RPM, Plebe Rude, Ultraje a Rigor, Capital Inicial, Engenheiros do Hawaii, Ira! e Barão Vermelho. Também fazem sucesso: Cazuza, Rita Lee, Lulu Santos, Marina Lima, Lobão, Cássia Eller, Zeca Pagodinho e Raul Seixas.

Os anos 90 também são marcados pelo crescimento e sucesso da música sertaneja ou country. Neste contexto, com um forte caráter romântico, despontam no cenário musical : Chitãozinho e Xororó, Zezé di Camargo e Luciano, Leandro e Leonardo e João Paulo e Daniel.

Nesta época, no cenário rap destacam-se: Gabriel, o Pensador, O Rappa, Planet Hemp, Racionais MCs e Pavilhão 9.
O século XXI começa com o sucesso de grupos de rock com temáticas voltadas para o público adolescente. São exemplos: Charlie Brown Jr, Skank, Detonautas e CPM 22.

Fonte:www.suapesquisa.com

Origens do rock


Origens do rock

Este gênero musical de grande sucesso surgiu nos Estados Unidos nos anos 50 (década de 1950).. Inovador e diferente de tudo que já tinha ocorrido na música, o rock unia um ritmo rápido com pitadas de música negra do sul dos EUA e o country. Uma das características mais importantes do rock era o acompanhamento de guitarra elétrica, bateria e baixo. Com letras simples e um ritmo dançante, caiu rapidamente no gosto popular. Apareceu pela primeira vez num programa de rádio no estado de Ohio (EUA), no ano de 1951.

A rock na década de 1950 : primeiros passos

É a fase inicial deste estilo, ganhando a simpatia dos jovens que se identificavam com o estilo rebelde dos cantores e bandas. Surge nos EUA e espalha-se pelo mundo em pouco tempo. No ano de 1954, Bill Haley lança o grande sucesso Shake, Rattle and Roll. No ano seguinte, surge no cenário musical o rei do rock Elvis Presley. Unindo diversos ritmos como a country music e o rhythm & blues. O roqueiro de maior sucesso até então, Elvis Presley lançaria o disco, em 1956, Heartbreaker Hotel, atingindo vendas extraordinárias. Nesta década, outros roqueiros fizeram sucesso como, por exemplo, Chuck Berry e Little Richard.

O rock nos anos 60: rebeldia e transgressão

Esta fase marca a entrada no mundo do rock da banda de maior sucesso de todos os tempo : The Beatles. Os quatro jovens de Liverpool estouram nas paradas da Europa e Estados Unidos, em 1962, com a música Love me do. Os Beatles ganham o mundo e o sucesso aumentava a cada ano desta década.
A década de 1960 ficou conhecida como Anos Rebeldes, graças aos grandes movimentos pacifistas e manifestações contra a Guerra do Vietnã. O rock ganha um caráter político de contestação nas letras de Bob Dylan. Outro grupo inglês começa a fazer grande sucesso : The Rolling Stones.
No final da década, em 1969, o Festival de Woodstock torna-se o símbolo deste período. Sob o lema "paz e amor", meio milhão de jovens comparecem no concerto que contou com a presença de Jimi Hendrix e Janis Joplin.
Bandas de rock que fizeram sucesso nesta época : The Mamas & The Papas, Animals, The Who, Jefferson Airplane, Pink Floyd, The Beatles, Rolling Stones, The Doors.

O rock nos anos 70 : disco music, pop rock e punk rock

Nesta época o rock ganha uma cara mais popular com a massificação da música e o surgimento do videoclipe. Surge também uma batida mais forte e pesada no cenário do rock. É a vez do heavy metal de bandas como Led Zeppelin, Black Sabbath e Deep Purple. Por outro lado, surge uma batida dançante que toma conta das pistas de dança do mundo todo. A dance music desponta com os sucessos de Frank Zappa, Creedence Clearwater, Capitain Beefheart, Neil Young, Elton John, Brian Ferry e David Bowie.
Bandas de rock com shows grandiosos aparecem nesta época : Pink Floyd Genesis, Queen e Yes.

Anos 80 : um pouco de tudo no rock

A década de 1980 foi marcada pela convivência de vários estilos de rock. O new wave faz sucesso no ritmo dançante das seguintes bandas: Talking Heads, The Clash, The Smith, The Police.
Surge em Nova York uma emissora de TV dedicada à música e que impulsiona ainda mais o rock. Esta emissora é a MTV, dedicada a mostrar videoclipes de bandas e cantores.
Começa a fazer sucesso a banda de rock irlandesa chamada U2 com letras de protesto e com forte caráter político. Seguindo um estilo pop e dançante, aparecem Michael Jackson e Madonna.

Anos 90 : década de fusões e experimentações

Esta década foi marcada por fusões de ritmos diferentes e do sucesso, em nível mundial, do rap e do reggae. Bandas como Red Hot Chili Peppers e Faith no More fundem o heavy metal e o funk, ganhando o gosto dos roqueiros e fazendo grande sucesso.
Surge o movimento grunge em Seattle, na California. O grupo Nirvana, liderado por Kurt Cobain, é o maior representante deste novo estilo. R.E.M., Soundgarden, Pearl Jam e Alice In Chains também fazem sucesso no cenário grunge deste período.
O rock britânico ganha novas bandas como, por exemplo, Oasis, Green Day e Supergrass.

O Rock no Brasil

O primeiro sucesso no cenário do rock brasileiro apareceu na voz de uma cantora. Celly Campello estourou nas rádios com os sucessos Banho de Lua e Estúpido Cupido, no começo da década de 1960. Em meados desta década, surge a Jovem Guarda com cantores como, por exemplo, Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa. Com letras românticas e ritmo acelerado, começa fazer sucesso entre os jovens.
Na década de 1970, surge Raul Seixas e o grupo Secos e Molhados. Na década seguinte, com temas mais urbanos e falando da vida cotidiana, surgem bandas como: Ultraje a Rigor, Legião Urbana, Titãs, Barão Vermelho, Kid Abelha, Engenheiros do Hawaii, Blitz e Os Paralamas do Sucesso.
Na década de 1990, fazem sucesso no cenário do rock nacional : Raimundos, Charlie Brown Jr., Jota Quest, Pato Fu, Skank entre outros.

Você sabia?

- Comemora-se em 13 de julho o Dia Mundial do Rock.


Fonte: suapesquisa na net

Músicas, o que eu gosto.



O meu gosto musical é por MPB e Rock. No MPB ouço praticamente tudo e no Rock prefiro dos anos 70 e os grupos preferidos são The Beatles, Pink Floyd, Yes, Genesis, Dire Straits e Led Zepelin. Dentre estes o Grpo que mais gosto é Pink Floyd o qual acompanho desde os anos 70. Os anso 60 foram fundamentais para a revolução musical do mundo. Quando talentos apareceram e deram um novo rumo à cultura musical mundial. Hoje existem muitas tendências musicais mas nada se compara aos velhos e bons tempos.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Atualização do MSN


A partir do dia 15 de Setembro todas as versões do messenger anterior ao 2009 deve ser atualisado para o 2009.
O que isso quer dizer?
Isso quer dizer que se você usa qualquer versão do MSN que não seja a Windows Live Messenger 2009 você vai ser OBRIGADO a atualizar para ela ou não vai mais conseguir se conectar desde terça-feira(15/09/09).

Mas por que isso aconteceu?
A Microsoft fez isso porque o sistema que as versões antigas utilizavam possuía vários problemas, entre eles falhas de segurança que permitiam o roubo de contas por hackers. Pensando na segurança dos usuários, a nova versão Windows Live Messenger 2009 utiliza uma versão nova do sistema de conexão (protocolo) mais segura, além do programa ter uma quantidade maior de funcionalidades além de ser mais leve e rápido.

O que eu tenho que fazer para poder me conectar?
Se você utilizava versões mais antigas (MSN Messenger 7, MSN Messenger 7.5, Windows Live Messenger 8, Windows Live Messenger 8.1 ou Windows Live Messenger 8.5) você vai precisar atualizar para o novo Windows Live Messenger 2009. Isso pode ser feito pela atualização do próprio messenger ou independentemente pelo site Windows live
Fazendo isso estará mantendo a seu veículo de comunicação virtual e a segurabilidade de seu sistema.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Maluco Beleza



Maluco Beleza

Raul Seixas

Composição: Cláudio Roberto / Raul Seixas

Enquanto você
Se esforça pra ser
Um sujeito normal
E fazer tudo igual...

Eu do meu lado
Aprendendo a ser louco
Maluco total
Na loucura real...

Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez...

Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza...

E esse caminho
Que eu mesmo escolhi
É tão fácil seguir
Por não ter onde ir...

Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Eeeeeeeeuu!...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez

Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com toda certeza
Maluco, maluco beleza...

Medo da chuva

Medo da Chuva

Raul Seixas

Composição: Paulo Coelho / Raul Seixas

É pena que você pense
Que eu sou seu escravo
Dizendo que eu sou seu marido
E não posso partir

Como as pedras imóveis na praia
Eu fico ao teu lado
Sem saber dos amores que a vida me trouxe
E eu não pude viver

Eu não posso entender tanta gente
Aceitando a mentira
De que os sonhos desfazem aquilo
Que o padre falou

Porque quando eu jurei meu amor
Eu traí a mim mesmo
Hoje eu sei que ninguém nesse mundo
É feliz tendo amado uma vez

Uma vez eu perdi o meu medo
O meu medo, o meu medo
O meu medo da chuva
Pois a chuva voltando pra terra traz coisas do ar

Aprendi o segredo, o segredo
O segredo da vida
Vendo as pedras que choram sozinhas
No mesmo lugar

Um dia após o outro


"O mercado formal brasileiro registrou a criação de 242.126 empregos no mês de agosto, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho. É o melhor resultado do ano e o sétimo mês em que há crescimento de vagas."
Essa é uma notícia que agrada a todos principalmente quem estava na fila do desemprego e teve uma chance dentro dessa realidade. Importante sinal de que a economia está retomando o seu caminho da normalidade.
Uma triste notícia é o caso da estudante morta nos estados Unidos na Universidade Yale."Estrangulamento foi a causa da morte da universitária cujo corpo foi encontrado escondido dentro de uma parede de um prédio da renomada Universidade Yale, no Estado americano de Connecticut. A conclusão dos legistas foi apresentada nesta quarta-feira. O laudo oficial afirma que a jovem foi morta por "asfixia traumática" devido à "compressão do pescoço".
Já os Cientistas descobrem um planeta com características ao nosso "Dados detalhados sobre o menor planeta já encontrado fora do nosso sistema solar sugerem que se trata de uma "super-Terra" com superfície rochosa, muito parecida com a nossa, disseram astrônomos europeus nesta quarta-feira (16).
O chamado exoplaneta, cuja descoberta foi anunciada em fevereiro, tem cinco vezes a massa da Terra, o que, combinado com seu raio, sugere que tenha uma superfície sólida e uma densidade semelhante ao do nosso planeta." E a preocupação com a viagem a Marte é a radiação, que pode trazer danos a saúde dos astronautas.

Enquanto isso, um dia após o outro os problemas com a desigualdade continua e a fome é um dos grandes problemas enfrentado no planeta. Além das relações humanas não serem tão humanas assim pois crescem os conflitos em várias regiões do mundo.
E nós temos um papel fundamental na mudança de tudo isso basta nos encontrarmos enquanto gente.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Deus e eu no sertão - Victor e Leo



Deus e eu no sertão
Victor e Leo


intro: E C#m E C#m A B7 E B7


Nunca vi ninguem viver tão feliz

Como eu no sertão

Perto de uma mata e de um ribeirão

Deus e eu no sertão

Casa simplisinha rede pra dormir

De noite o show no céu deito pra assistir

Deus e eu no sertão

As horas não sei mas vejo o clarão

Lá vou eu cuidar do chão

Trabalho cantando a terra é a inspiração

Deus e eu no sertão

Não há solidão tem festa lá na vila

Depois da missa vou ver minha menina

De volta pra casa queima lenha no fogão

E junto ao som da mata vou eu e um violão

Deus e eu no sertão Deus e eu no sertão

Deus e eu no sertão uh uh uh no sertão


Sebastião


Parabéns pelo aniversário

Satisfação pessoal


"A fim de não se sentir isolado, frustrado, temeroso, deprimido ou ansioso, é importante encontrar o que lhe motiva e trabalhá-lo a fim de obter a tão esperada satisfação pessoal. Pois é isso que mais importa: você se sentir bem e satisfeito com tudo que está ao seu redor.

É necessário conscientizar que "Você é a força de motivação e, ao mesmo tempo de desmotivação". É a mais poderosa arma, porque é em você que tudo começa. É necessário abrir a porta de seu coração e deixar entrar todos os conhecimentos e aprendizado que lhe é passado, para depois expandir e influenciar os outros. Sem esse passo inicial de nada valerá.

Todos nós passamos por momentos que pensamos que não adianta mais batalharmos, pois não conseguiremos sair desta decepção. Isto é um engano muito grande. Você está permitindo que o seu cérebro domine toda a ação contrária a estes obstáculos que são encontrados pelo caminho. É necessário então, em primeiro lugar, saber lidar com as suas desilusões."

Li isso e resolvi comentar aqui porque é importante em se preocupar com a satisfação pessoal porque é no indivíduo que está o potencial de resolução para uma vida melhor e consequentemente um relacionamento melhor, portantanto uma sociedade mais saudável. Todos temos as nossas tragédias pessoais, os nossos problemas sexuais, problemas com relacionamentos familiares e de amizades além de muitas vezes trabalhar numa função qual não é a desejada. O conjunto disso tudo ou partes é frustante fazendo com que as pessoas se desgastem gerando até problemas clínicos ou se acomode e aceite a imobilidade causada pela falta de motivação.
Ao contrário, temos que utilizar todas essas questões enfrentadas como lições de amadurecimento seja com relação a vida seja com relação ao espírito. Tirar lições de tudo isso é fundamental para a consciência de como superar ou pelo menos controlar para que a satisfação pessoal não seja abalada.

domingo, 13 de setembro de 2009

Relacionamento


Achei esta postagem no blog constelação sitêmica. wordpress, achei interessante então colei aqui.
Ninguém se dá mal no relacionamento afetivo porque quer. Um casal não fica brigando porque gosta de brigar… pelo menos geralmente. Uma forte tendência social é colocar a culpa dos problemas da vida em… nós mesmos. Somos ensinados que nascemos vazios e inocentes, e o que ocorre na nossa vida é de responsabilidade nossa. Em parte é mesmo. Mas existe um detalhe que até agora não era visto: você sabia que herda dos seus familiares uma tendência de se identificar com emoções e situações vividas no seu passado familiar (que as vezes, você nem presenciou) e isto o induz a ter emoções, pensamentos e atitudes? Isso se chama “emaranhamento sistêmico”, e é trabalhado pela técnica da constelação familiar sistêmica.

No caso dos relacionamentos, esta identificação com emoções do passado faz com que tomemos atitudes que trazem problemas. E mais: a identificação com os emaranhamentos sistêmicos atrai pessoas com problemas semelhantes. Logo, a relação irá enfrentar turbulências, sem sombra de dúvida. Por outro lado, é bom entender que não são os problemas na relação que indicam se ela dará certo: é o quanto estamos dispostos a mudar, assumindo a nossa responsabilidade e deixando a responsabilidade do outro para ele que torna uma relação estável, forte e prazerosa. Para isso é importante se conhecer, perceber as próprias emoções, ser sincero com elas e mostrar isso ao outro. Emaranhamentos sistêmicos, para serem “desemaranhados”, necessitam, em primeiro lugar, serem vistos.

Se você tem problemas na sua relação afetiva, quer saber se você age impulsionado por emaranhamentos sistêmicos? Responda as afirmações abaixo com um “sim” ou “não”. Todas as respostas “sim” podem indicar emaranhamentos. Analise as respostas “sim”, medite a respeito, acolha estas afirmações, sem culpa ou julgamento. Quanto mais você conseguir se desapegar naturalmente dos “sim”, menos estará identificado com emaranhamentos, e mais próximo de criar relacionamentos construtivos estará. Em alguns casos, pode ser indicada a terapia da constelação familiar sistêmica e o acompanhamento de um profissional sistêmico qualificado.

Leia as afirmações abaixo, e mesmo que não tenha acontecido o fato para você, perceba qual seria a sua resposta. Responda simplesmente com um sim ou não. Todos os “sim” podem indicar emaranhamentos sistêmicos.

1 – Você ainda se lembra de um primeiro amor na sua vida com saudades

2 – Num primeiro relacionamento, a separação ocorreu de forma tumultuada, com feridas para ambos os lados

3 – Você faz mais pelo parceiro(a) do que recebe dele(a)

4 – Você sente medo intenso de ser abandonado e ficar só

5 – Você se esforça para ser como o seu parceiro(a) deseja que você seja

6 – Quando você está numa relação, tem a tendência de sufocar o outro

7 – Você exige que o outro mude seu jeito, quer reeducá-lo, para que fique melhor

8 – Você sente que não é visto pelo parceiro(a) na relação

9 – Você não consegue entender o parceiro(a) e ver como ele(a) é

10 – Você não aceita o primeiro relacionamento do parceiro(a) como tendo sido importante a ele

11 – Você vê a relação com os seus próprios pais mais importantes que o próprio relacionamento

12 –Olha para a família do parceiro e tem dificuldade em aceitá-la

13 – Se seu parceiro(a) tem filhos, você se coloca como um pai ou mãe, tirando a importância do pai ou mãe biológica. Poderia até ter raiva do pai ou mãe do filho do seu parceiro.

14 – Você tem sentimento de mágoa e rejeição dos próprios pais

15 – Você tem a tendência de refazer o casamento dos seus pais de maneira melhor

16 – Você esconde do seu parceiro(a) o fato de ter feito (mulher) ou incentivado (homem) abortos ou esconde (ou não discute) outras situações emocionalmente difíceis, como a vontade de não ter filhos, por exemplo

17 – Você vê em si padrões de relacionamento com problemas repetidos

18 – Você se vê muito parecido com o pai, mãe, avós ou até tios, na forma de agir nos relacionamentos

19 – Você acredita que o outro(a) o fará feliz

20 – Você vê um relacionamento dos seus pais de forma boa, e faz de tudo para que a sua relação seja igual à deles

21 – Você costuma ser possessivo(a) e ciumento(a) quando está apaixonado(a) e cobra fidelidade do dele(a)

22 – Se existe filhos na relação, você os vê como mais importantes do que a própria relação afetiva com o parceiro(a)

23 – Quando um relacionamento termina, você se sente como se a vida tivesse acabado e talvez até tenha pensado em morrer

Fonte:http://constelacaosistemica.wordpress.com/2009/04/13/teste-se-voce-possui-emaranhamento-sistemico-na-relacao-afetiva-esclarecendo-problemas-de-relacionamento-afetivo-e-crises-no-casamento/

sábado, 12 de setembro de 2009

A sua taxa de transferência de download caiu


Muitas são as reclamações que a navegação da banda larga está normal mas a taxa de transferência do download caiu bruscamente. Comigo aconteceu exatamente isso com a minha conexão de banda larga Speedy. Primeiro pensei ser problema no computador, então fiquei procurando onde poderia estar o problema, mas nada encontrei, configuração normal, nenhum vírus. Então resolvi verificar a velocidade da internet, entrei nesses sites que mede, a velocidade e o resultado foi normal para o tráfego nos seus determinados horários. Mas o Download que fazia entre 37 e 60 Kb caiu para menos de 10 Kb. Fiquei com esse problema por uns três dias. Então resolvi ligar para o provedor de banda larga que mandou um técnico verificar a conexão e o resultado foi normal mas com a taxa de download baixa. Então o técnico logo identificou que o problema estava na central com o link de conexão, ele disse que era "sujeira no link" então pediu para o controlador central dar um reset e com isso a taxa de download voltou a funcionar normal.
Deixo ai essa dica para que está passando com o mesmo problema e não está encontrando uma resposta.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Breve




Soon oh soon the light
breve oh! breve a luz
Pass within and soothe the endless night
vai atravessar e acalmar a noite interminável
And wait here for you
e esperar aqui por voce
Our reason to be here
nossa razão para estar aqui
Soon oh soon the time
breve oh! breve o tempo
All we move to gain will reach and calm
todos vamos recupera-lo, prorrogar-lo e acalmar
Our heart is open
Nosso coração é grande
Our reason to be here
nossa razão para estar aqui
Long ago, set into rhyme
há tempos, ajusto a rima
Soon oh soon the light
breve oh breve a luz
Ours to shape for all time, ours the right
nos envolverá o tempo todo, nesse momento
The sun will lead us
o sol nos guiará
Our reason to be here
nossa razão para estar aqui
Soon oh soon the light
breve oh breve a luz
Ours to shape for all time, ours the right
nos envolverá o tempo todo, nesse momento
The sun will lead us
o sol nos guiará
Our reason to be here
nossa razão para estar aqui

São Francisco de Assis


Para não esquecermos de nossas missões em vida

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor,
Onde houver ofensa , que eu leve o perdão,
Onde houver discórdia, que eu leve a união,
Onde houver dúvida, que eu leve a fé,
Onde houver erro, que eu leve a verdade,
Onde houver desespero, que eu leve a esperança,
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria,
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, fazei que eu procure mais
consolar que ser consolado;
compreender que ser compreendido,
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe
é perdoando que se é perdoado
e é morrendo que se nasce para a vida eterna...

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

A lua e eu



Mais um ano se passou
E nem sequer ouvi falar seu nome, a lua e eu
Caminhando pela estrada
Eu olho em volta e só vejo pegadas
Mas não são as suas eu sei,
Eu sei, eu sei
O vento faz eu lembrar você
As folhas caem mortas como eu
Quando olho no espelho
Estou ficando velho e acabado
Procuro encontrar
não sei onde está você
Você você....
o Vento faz eu lembrar você
As folhas caem mortas como eu...
A lua e eu

Cassiano
Composição: Cassiano/ Paulinho Motoka

O Preço do poder


Maquiavel exterminou de vez a hipocrisia dos bons sentimentos. A luta pelo poder incita somente ambições egoístas. Mas para ir além delas afim de obter o aval do povo, o detentor do poder deve exibir ambição aparentemente inspirada de causas nobres. O cinismo prevalece. Durante os períodos mais remotos da História, tiranias diversas mantinham-se fomentando-se o medo. Para isso massacres, violações de leis, corrupção faziam parte das regras do jogo. Ditadores modernos fazem jus aos métodos antigos. Eles simplesmente também se servem do advento da propaganda com o intuito de garantir a docilidade do povo, dando-lhe a ilusão de uma adesão expontânea. O político de nossos tempos não quer mais aterrorizar, e sim agradar sem moderar o uso de suas armas de sedução para atingir seus objetivos.

O êxito das democracias é evidente em todo o planeta. A suposta decisão do povo ainda não preencheu a lacuna entre política e moral. Democracia ou ditadura, no final o resultado pretendido é o mesmo: a conquista e a posse do poder através de todos os meios de forma que perdure o máximo de tempo possível. Quando queremos triunfar é necessário enganar a todos e não somente a um pequeno grupo. Além disso, o povo necessita sempre de um grande herói a quem enaltecer e por quem sentirá protegido.

A mídia manipula a opinião pública e transforma os políticos em “todos-poderosos” de acordo com o que é mais conveniente. A mundialização reforça a opressão da comunicação e de suas técnicas secretas, falsamente simplistas. Parecendo ser o que não é, querendo o que não deveria querer e tudo isso com o intuito de cair nas graças da opinião internacional.

Ditadura? Democracia? Existe diferença entre comandar à força ou com a adesão do povo? Desde sempre o que inspira a política, seja ela qual for, é o espírito de dominação, mesmo se as estratégias empregadas não forem similares. Maquiavel está coberto de razão estando enganado. A política é a técnica de conquista e de posse do poder. A partir do momento em que esse poder seja mais ambicioso que se representasse finalidade por si só. Deve ser inspirada de um ideal utópico a ação política, é o que lhe permitirá de ir além do cinismo e do egoísmo. Então será glorificado o político que souber conciliar a imoralidade de seus métodos com a virtude de seus objetivos, o mal e o bem, o egoísmo e o idealismo. Caso queira deixar sua marca, é imprenscindível justificar sua ambição com o cumprimento de uma obra útil, memorável, deixando aquela impressão de ter imortalizado um instante do tempo, tempo esse que passa, apaga e destrói.

Qual é o preço a pagar para obtermos e exercermos poder? O exercício da autoridade é cruel com quem não sabe exercê-la. O poder só dá sentido à vida daquele que concilia à sua ação um objetivo nobre, que ultrapasse seus interesses egoístas. Assim permanecerá na História, apesar de tudo e de todos. Mesmo se nem sempre é recompensado todo esse esforço. Angústia, críticas, dúvidas. O que Maquiavel ensina é a mecânica do poder. Quanto a legitimá-lo, isso é tema para outro debate. Então a democracia retoma vantagem porque tem algo a transmitir, uma questão a ser posta: qual o sentido da ação política? A política é a vontade de mudar o mundo.

Fernanda Massebeuf

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Stairway to Heaven

Os Beatles estão de volta



Os Albuns dos Beatles serão relançados com tecnologia atual inclusive com games. Vale a pena esperar enquanto isso mate a saudade com todos precisam de amor.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Um dia de chuva


Antigamente, olhava-se para o céu e dizia que horas eram. Olhava para o horizonte e se dizia se ia fazer sol ou chover. Mas mudaram os tempos. Com o tal aquecimento global não dá para pever isso. Até as tecnologias de monitoramento do tempo tem dificuldade para prever. Pois é hoje no Sul e Sudeste choveu o que deveia chover o mês inteiro. Principalmente em Santa Catarina ocorreram muitas destruições além de várias mortes causadas pelo mal tempo. A nós resta rezarmos para o restabelecimentos destas famílias que perderam pessoas, Ajuda humanitária e do governo para reconstrução e a todos fé de que situação assim não ocorram. Mas a natureza é assim se não cuidar dela ela cuida de nós.

O mundo


O homem aprendeu com o meio e o relacionamento a amar e a odiar. As coisas boas evoluíram mas também evoluíram as coisas más que cá para nós faz parte da natureza humana e é necessário, desde que em dose certa, para a sobrevivência da espécie.
O mal não está em querer ou ter mas o de se apoderar indetrimento dos demais e assim acumulou-se enquanto uma parcela não dispõe do mínimo necessário.
E preciso estar ciente que a sobrevivência depende de todos e para isso a evolução dará um jeito de aperfeiçoar o que é de bom e atenuar os malefícios do próprio homem. Isso se dará com a evolução material e espiritual.
Tenho fé em uma África satisfeita, Oriente médio em paz e o primeiro mundo partilhando. Isto não é um sonho, basta vontade e superar as barreiras da mesquinhez.
Donizeti

A Carta do Cacique


Em 1855, o cacique Seattle, da tribo Suquamish, do Estado de Washington, enviou esta carta ao presidente dos Estados Unidos (Francis Pierce), depois de o Governo haver dado a entender que pretendia comprar o território ocupado por aqueles índios. Faz mais de um século e meio. Mas o desabafo do cacique tem uma incrível atualidade. A carta:

"O grande chefe de Washington mandou dizer que quer comprar a nossa terra. O grande chefe assegurou-nos também da sua amizade e benevolência. Isto é gentil de sua parte, pois sabemos que ele não necessita da nossa amizade. Nós vamos pensar na sua oferta, pois sabemos que se não o fizermos, o homem branco virá com armas e tomará a nossa terra. O grande chefe de Washington pode acreditar no que o chefe Seattle diz com a mesma certeza com que nossos irmãos brancos podem confiar na mudança das estações do ano. Minha palavra é como as estrelas, elas não empalidecem.
Como pode-se comprar ou vender o céu, o calor da terra? Tal idéia é estranha. Nós não somos donos da pureza do ar ou do brilho da água. Como pode então comprá-los de nós? Decidimos apenas sobre as coisas do nosso tempo. Toda esta terra é sagrada para o meu povo. Cada folha reluzente, todas as praias de areia, cada véu de neblina nas florestas escuras, cada clareira e todos os insetos a zumbir são sagrados nas tradições e na crença do meu povo.
Sabemos que o homem branco não compreende o nosso modo de viver. Para ele um torrão de terra é igual ao outro. Porque ele é um estranho, que vem de noite e rouba da terra tudo quanto necessita. A terra não é sua irmã, nem sua amiga, e depois de exaurí-la ele vai embora. Deixa para trás o túmulo de seu pai sem remorsos. Rouba a terra de seus filhos, nada respeita. Esquece os antepassados e os direitos dos filhos. Sua ganância empobrece a terra e deixa atrás de si os desertos. Suas cidades são um tormento para os olhos do homem vermelho, mas talvez seja assim por ser o homem vermelho um selvagem que nada compreende.
Não se pode encontrar paz nas cidades do homem branco. Nem lugar onde se possa ouvir o desabrochar da folhagem na primavera ou o zunir das asas dos insetos. Talvez por ser um selvagem que nada entende, o barulho das cidades é terrível para os meus ouvidos. E que espécie de vida é aquela em que o homem não pode ouvir a voz do corvo noturno ou a conversa dos sapos no brejo à noite? Um índio prefere o suave sussurro do vento sobre o espelho d'água e o próprio cheiro do vento, purificado pela chuva do meio-dia e com aroma de pinho. O ar é precioso para o homem vermelho, porque todos os seres vivos respiram o mesmo ar, animais, árvores, homens. Não parece que o homem branco se importe com o ar que respira. Como um moribundo, ele é insensível ao mau cheiro.
Se eu me decidir a aceitar, imporei uma condição: o homem branco deve tratar os animais como se fossem seus irmãos. Sou um selvagem e não compreendo que possa ser de outra forma. Vi milhares de bisões apodrecendo nas pradarias abandonados pelo homem branco que os abatia a tiros disparados do trem. Sou um selvagem e não compreendo como um fumegante cavalo de ferro possa ser mais valioso que um bisão, que nós, peles vermelhas matamos apenas para sustentar a nossa própria vida. O que é o homem sem os animais? Se todos os animais acabassem os homens morreriam de solidão espiritual, porque tudo quanto acontece aos animais pode também afetar os homens. Tudo quanto fere a terra, fere também os filhos da terra.
Os nossos filhos viram os pais humilhados na derrota. Os nossos guerreiros sucumbem sob o peso da vergonha. E depois da derrota passam o tempo em ócio e envenenam seu corpo com alimentos adocicados e bebidas ardentes. Não tem grande importância onde passaremos os nossos últimos dias. Eles não são muitos. Mais algumas horas ou até mesmo alguns invernos e nenhum dos filhos das grandes tribos que viveram nestas terras ou que tem vagueado em pequenos bandos pelos bosques, sobrará para chorar, sobre os túmulos, um povo que um dia foi tão poderoso e cheio de confiança como o nosso.
De uma coisa sabemos, que o homem branco talvez venha a um dia descobrir: o nosso Deus é o mesmo Deus. Julga, talvez, que pode ser dono Dele da mesma maneira como deseja possuir a nossa terra. Mas não pode. Ele é Deus de todos. E quer bem da mesma maneira ao homem vermelho como ao branco. A terra é amada por Ele. Causar dano à terra é demonstrar desprezo pelo Criador. O homem branco também vai desaparecer, talvez mais depressa do que as outras raças. Continua sujando a sua própria cama e há de morrer, uma noite, sufocado nos seus próprios dejetos. Depois de abatido o último bisão e domados todos os cavalos selvagens, quando as matas misteriosas federem à gente, quando as colinas escarpadas se encherem de fios que falam, onde ficarão então os sertões? Terão acabado. E as águias? Terão ido embora. Restará dar adeus à andorinha da torre e à caça; o fim da vida e o começo pela luta pela sobrevivência.
Talvez compreendêssemos com que sonha o homem branco se soubéssemos quais as esperanças transmite a seus filhos nas longas noites de inverno, quais visões do futuro oferecem para que possam ser formados os desejos do dia de amanhã. Mas nós somos selvagens. Os sonhos do homem branco são ocultos para nós. E por serem ocultos temos que escolher o nosso próprio caminho. Se consentirmos na venda é para garantir as reservas que nos prometeste. Lá talvez possamos viver os nossos últimos dias como desejamos. Depois que o último homem vermelho tiver partido e a sua lembrança não passar da sombra de uma nuvem a pairar acima das pradarias, a alma do meu povo continuará a viver nestas florestas e praias, porque nós as amamos como um recém-nascido ama o bater do coração de sua mãe. Se te vendermos a nossa terra, ama-a como nós a amávamos. Protege-a como nós a protegíamos. Nunca esqueça como era a terra quando dela tomou posse. E com toda a sua força, o seu poder, e todo o seu coração, conserva-a para os seus filhos, e ama-a como Deus nos ama a todos. Uma coisa sabemos: o nosso Deus é o mesmo Deus. Esta terra é querida por Ele. Nem mesmo o homem branco pode evitar o nosso destino comum."

net

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

domingo, 6 de setembro de 2009

Eliminatória da Copa 2010


Foto: Site da CBF

Brasil 3 Argentina 1. Sem comentários só vendo mesmo. Fica ai registrado.

sábado, 5 de setembro de 2009

O Velho e o rio

Achei isso na net e resolvi postar aqui

Fausto não era um exímio pescador. Era apenas um teimoso à beira de um rio a enfrentar todos os percalços inerentes ao hobby por horas a fio sempre trocando histórias com outros pescadores e constantemente trocando de lugar por não ter paciência. Depois de margear o rio por umas duas horas encontrou um remanso que lhe pareceu, por intuição, ser um bom local para fisgar alguns peixes. Por mais que a paciência suportava, desestimulou-se e já estava a pique de juntar suas tralhas e voltar à cidade com a capanga vazia quando, onde o rio é encoberto pela vegetação que o margeiam na curva, viu surgir lentamente uma canoa. Alguém a remava cadenciada. Fausto até se esqueceu que estava para ir embora e ficou a observar atentamente a canoa se aproxima,lenta como as águas do rio, foram dez minutos de olhos fixos. Seu condutor, um velho que o tempo fez cansar, enrrugado até onde suas vestes deixavam ver, deixou os remos, dobrou as barras da calça deixando a mostra suas sandálias franciscana, agia como se por perto não houvesse ninguém. Fausto a pouca distância não lhe chamava a atenção, ou ele fingia não ver.

Depois saltou para a água que lhe dava pé naquela prainha que mais parecia um mar em calmaria. Depois de puxar a canoa até um areal fora d’água voltou, tocou a água como se a estivesse acariciando, passou as mãos úmidas de natureza pelo rosto, as águas sulcaram suas rugas e perderam-se na areia como se fossem lágrimas. Fausto continuava observando-o a certa distância até que notou que o velho começava a encaminhar-se para junto dele, aproximou-se:



- O senhor vai pescar aqui?

- Tem algum problema meu filho?- Perguntou o velho.

Não!É que aqui não tem peixe. Já faz quase duas horas que estou aqui e nada! Nem um peixinho.

Eu sei…

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Mensagem do bambu


Achei na net e resolvi colar aqui.

Depois de plantada a semente deste incrível arbusto, não se vê nada, Durante 5 anos, todo o crescimento é subterrâneo, invisível a olho nu, Mas, uma maciça e fibrosa estrutura de raiz, que se estende vertical e horizontalmente pela terra está sendo construída.

Um escritor americano escreveu:

"Muitas coisas na vida pessoal e profissional são iguais ao bambu chinês":

você trabalha, investe tempo, esforço, faz tudo o que pode para nutrir seu crescimento,e, às vezes não vê nada por semanas, meses, ou anos.

Mas, se tiver paciência para continuar trabalhando, persistindo e nutrindo, o seu 5º ano chegaráe, com ele, virão um crescimento e mudanças que você jamais esperava...

O bambu chinês nos ensina que não devemos facilmente desistir de nossos projetos,de nossos sonhos... especialmente no nosso trabalho, (que é sempre um grande projeto em nossas vidas)



É que devemos lembrar do bambu chinês, para não desistirmos facilmente diante das dificuldades que surgirão.

Tenha sempre dois hábitos:

Persistência e Paciência, pois você merece alcançar todos os sonhos!!!

É preciso muita fibra para chegar às alturas e, ao mesmo tempo, muita flexibilidade para se curvar ao chão.

Autor desconhecido

Uma história de amor

Era uma vez uma ilha, onde moravam os seguintes sentimentos: a alegria, a tristeza, a vaidade, a sabedoria, o amor e outros.

Um dia avisaram para os moradores desta ilha que ela ia ser inundada. Apavorado, o amor cuidou para que todos os sentimentos se salvassem; ele então falou:

_ Fujam todos, a ilha vai ser inundada.

Todos correram e pegaram seu barquinho, para irem a um morro bem alto. Só o amor não se apressou, pois queria ficar um pouco mais na ilha.

Quando já estava se afogando, correu para pedir ajuda.

Estava passando a riqueza e ele disse:

- Riqueza, leve-me com você.

Ela respondeu:

- Não posso, meu barco está cheio de ouro e prata e você não vai caber.

Passou então a vaidade e ele pediu:

- Oh! Vaidade, leve-me com você.

- Não posso você vai sujar o meu barco.

Logo atrás vinha a tristeza.

- Tristeza, posso ir com você?

— Ah! Amor, estou tão triste que prefiro ir sozinha.

Passou a alegria, mas estava tão alegre que nem ouviu o amor chamar por ela. Já desesperado, achando que ia ficar só, o amor começou a chorar.

Então passou um barquinho, onde estava um velhinho.

- Sobe, amor que eu te levo.

O amor ficou tão radiante de felicidade que esqueceu de perguntar o nome do velhinho.

Chegando no morro alto onde estavam os sentimentos, ele perguntou à sabedoria:

- Sabedoria, quem era o velhinho que me trouxe aqui?

Ela respondeu:

- O tempo.

- O tempo? Mas, por que só o tempo me trouxe aqui?

- Porque só o tempo é capaz de ajudar e entender um grande amor.

O Plantador


O Plantador
Geraldo Vandré
Composição: Geraldo Vandré e Hilton Accioly
Quanto mais eu ando,
Mais vejo estrada
E se eu não caminho,
Não sou é nada.
Se tenho a poeira
Como companheira,
Faço da poeira
O meu camarada.
Se tenho a poeira
Como companheira,
Faço da poeira
O meu camarada.
O dono quer ver
A terra plantada.
Diz de mim que vou
Pela grande estrada:
"Deixem-no morrer,
Não lhe dêem água,
Que ele é preguiçoso
E não planta nada."
Eu que plantei tudo
E não tenho nada,
Ouço tudo e calo,
Na caminhada.
Deixem que ele diga,
Que eu sou preguiçoso,
Mas não planto em tempo
Que é de queimada.
Deixem que ele diga,
Que eu sou preguiçoso,
Mas não planto em tempo
Que é de queimada.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Amizades virtuais

Eu sou meio sético a amizades virtuais, pois nunca se sabe exatamente com quem está lidando. Por isso sou um tanto reservado a ponto de ser seletivo e com essa postura encontrei algumas e dentre quero destacar a Elizabet, uma pessoa fenomenal que apesar de suas dificualdade tem um grande carisma e desprendimento. Uma pessoa batalhadora e não mede consequência para ser feliz. É uma pessoa que vou querer sua amizade sempre e ela me faz bem. No mundo existem muitas pessoas generosas e tive a graça de tê-la e me sinto bem com isso. Elizabeth essa dedicatória é para você. Mil beijos.
Também que agradecer os seguidos que acompanham este blog porque sem eles não teria razão de ser. Muito obrigado.

O sonho não pode acabar


Muitos são os caminhos que tempos por ele passar. Um assoreados, outras lamascentos, pedregulhos. E ainda por fim tem as encriusilhadas onde temos que optar qual sentido seguir. A carga não é pequena. São tantos sentimentos que encarca a velha costa cansada. E os passos não são mais o mesmo. O que poderia ter mudado? mas não mudou, o que poderia dar certo, mas não deu. E assim com o passo cansado segue o destino na estrada sem fim onde não saber onde dará nem mesmo tem uma carona para compartilhar. A lembrança permeia entre os bens e os maus instantes que não pesado no relacionamento colocou a situação em momento deprimente. O crédito de ser tudo diferente um dia de que tudo vai mudar permeia mas cada vez mais distante. Insessantemente procuro no fundo do bolso algo para explicar porque tal agonia. Mas encontro um traço de papel onde rabiscar uma poesia. Que chama atenção para o dia a dia e as diferenças mas que aos poucos se dão contas que não é apenas estar sozinho e afastado de tudo. A coragem já se fora não deixando um fundo de ração. Somete uma frase chama atença que o sonho não acaba nunca

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Câritas

Deus nosso Pai, Vós que Sois todo poder e bondade.
Dai a força àquele que passa pela provação.
Dai a luz àquele que procura à verdade.
Ponde no coração do homem a compaixão e a caridade.

DEUS,
Dai ao viajor a estrela guia,
Ao aflito a consolação,
Ao doente o repouso.

PAI,
Dai ao culpado o arrependimento,
Ao espírito a verdade, A criança o guia
Ao órfão o pai

SENHOR,
Que a Vossa bondade se estenda sobre tudo que criaste.
Piedade Senhor para aqueles que não Vos conhecem,
A esperança para aqueles que sofrem.

Que a Vossa bondade permita aos espíritos consoladores
Derramarem por toda parte a paz, a esperança e a fé.

DEUS,
um raio, uma faísca do Vosso amor pode abrasar a terra.
Deixai-nos beber nas fontes esta bondade fecunda e infinita

e todas as lágrimas secaram, todas as dores acalmar-se-ão.

Uma só oração, um só pensamento subirá até Vos,
como um grito de reconhecimento e de amor.
Como Moisés sobre a montanha
nos Vos esperamos com os braços abertos
Oh bondade ! Oh beleza ! Oh perfeição !
E queremos de alguma sorte alcançar Vossa misericórdia.

DEUS,
Dai-nos a força de ajudar o progresso

a fim de subirmos até Vos.
Dai-nos a caridade pura.
Dai-nos a fé e a razão.
Dai-nos a simplicidade, que fará de nossas almas...
um espelho onde se refletirá a Vossa Santa e Misericordiosa imagem.