quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O sonho não pode acabar


Muitos são os caminhos que tempos por ele passar. Um assoreados, outras lamascentos, pedregulhos. E ainda por fim tem as encriusilhadas onde temos que optar qual sentido seguir. A carga não é pequena. São tantos sentimentos que encarca a velha costa cansada. E os passos não são mais o mesmo. O que poderia ter mudado? mas não mudou, o que poderia dar certo, mas não deu. E assim com o passo cansado segue o destino na estrada sem fim onde não saber onde dará nem mesmo tem uma carona para compartilhar. A lembrança permeia entre os bens e os maus instantes que não pesado no relacionamento colocou a situação em momento deprimente. O crédito de ser tudo diferente um dia de que tudo vai mudar permeia mas cada vez mais distante. Insessantemente procuro no fundo do bolso algo para explicar porque tal agonia. Mas encontro um traço de papel onde rabiscar uma poesia. Que chama atenção para o dia a dia e as diferenças mas que aos poucos se dão contas que não é apenas estar sozinho e afastado de tudo. A coragem já se fora não deixando um fundo de ração. Somete uma frase chama atença que o sonho não acaba nunca

Nenhum comentário:

Postar um comentário