sexta-feira, 30 de abril de 2010

Seis propostas para o próximo milênio

Google imagens

Leveza


Servi-me de Cavalcanti para exemplificar a leveza em pelo menos três acepções distintas:

1) Um despojamento da linguagem por meio do qual os significados são canalizados por um tecido verbal quase imponderável até assumirem essa mesma rarefeita consistência.

2) A narração de um raciocínio ou de um processo psicológico no qual interferem elementos sutis e imperceptíveis, ou qualquer descrição que comporte um alto grau de abstração.

3) Uma imagem figurativa da leveza que assume um valor emblemático, como, na história de Boccaccio, Cavalcanti volteando com suas pernas esguias por sobre a pedra tumular.

Rapidez

“A narrativa é um cavalo, um meio de transporte cujo tipo de andadura, trote ou galope, depende do percurso a ser executado, embora a velocidade de que se fala aqui seja uma velocidade mental”.

Exatidão

“Para mim, exatidão quer dizer principalmente três coisas: 1) um projeto de obra bem definido e calculado; 2) a evocação de imagens visuais nítidas, incisivas, memoráveis: 3) uma linguagem que seja a mais precisa possível como léxico e em sua capacidade de traduzir as nuanças do pensamento e da imaginação”.

Visibilidade

“Se incluí a visibilidade em minha lista de valores a preservar foi para advertir que estamos correndo o perigo de perder uma faculdade humana fundamental: a capacidade de pôr em foco visões de olhos fechados, de fazer brotar cores e formas de um alinhamento de caracteres alfabéticos negros sobre uma página branca, de pensar por imagens”.

Multiplicidade

“Alguém poderia objetar que quanto mais a obra tende para a multiplicidade dos possíveis mais se distancia daquele unicum que é o self de quem escreve, a sinceridade interior, a descoberta de sua própria verdade. Ao contrário, respondo, quem somos nós, quem é cada um de nós senão uma combinatória de experiências, de informações, de leituras, de imaginações? Cada vida é uma enciclopédia, uma biblioteca, um inventário de objetos, uma amostragem de estilos, onde tudo pode ser continuamente mexido, reordenado de todas as maneiras possíveis”.
 
 
 
Ítalo Calvino

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Parabéns mãe pelo seu dia

Natália, minha mãe e meu sobrinho neto



Parabéns mãe pelo seu dia e que são todos os dias da vida.

Homenagem às mães

Google imagens


Aproxima-se o dia de quem nos trouxe ao mundo um dia e com essa proximidade queria antecipar a homenagem e vendo na internet encontrei um texto que vale a pena reproduzir aqui.

"- às Mães que apesar das canseiras, dores e trabalhos, sorriem e riem, felizes, com os filhos amados ao peito, ao colo ou em seu redor; e às que choram, doridas e inconsoláveis, a sua perda física, ou os vêem “perder-se” nos perigos inúmeros da sociedade violenta e desumana em que vivemos;


- às Mães ainda meninas, e às menos jovens, que contra ventos e marés, ultrapassando dificuldades de toda a ordem, têm a valentia de assumir uma gravidez - talvez inoportuna e indesejada – por saberem que a Vida é sempre um Bem Maior e um Dom que não se discute e, muito menos, quando se trata de um filho seu, pequeno ser frágil e indefeso que lhe foi confiado;

- às Mães que souberam sacrificar uma talvez brilhante carreira profissional, para darem prioridade à maternidade e à educação dos seus filhos e às que, quantas vezes precisamente por amor aos filhos, souberam ser firmes e educadoras, dizendo um “não” oportuno e salvador a muitos dos caprichos dos seus filhos adolescentes;

- às Mães precocemente envelhecidas, gastas e doentes, tantas vezes esquecidas de si mesmas e que hoje se sentem mais tristes e magoadas, talvez por não terem um filho que se lembre delas, de as abraçar e beijar...;

- às Mães solitárias, paradas no tempo, não visitadas, não desejadas, e hoje abandonadas num qualquer quarto, num qualquer lar, na cidade ou no campo, e que talvez não tenham hoje, nem uma pessoa amiga que lhes leia ao menos uma carta dum filho...;

- também às Mães que não tendo dado à luz fisicamente, são Mães pelo coração e pelo espírito, pela generosidade e abnegação, para tantos que por mil razões não tiveram outra Mãe...e finalmente, também às Mães queridíssimas que já partiram deste mundo e que por certo repousam já num céu merecido e conquistado a pulso e sacrifício...

A todas as Mães, a todas sem excepção, um Abraço e um Beijo cheios de simpatia e de ternura! E Parabéns, mesmo que ninguém mais vos felicite! E Obrigado, mesmo que ninguém mais vos agradeça!"
 
Fonte:www.arteducacao.pro.br

quarta-feira, 28 de abril de 2010

A que estrela o Autor se refere na poesia?

Google Imagens

A que estrela se refere o poeta na poesia Barca Bela. Descobrindo qual estaremos decifrando  e entendendo a poesia de Almeida Garret. Gosto muito dessa poesia por ter sido a primeira poesia que trabalhei na Aula de Português no antigo curso ginasial.

Barca Bela
Almeida Garret


Pescador da barca bela,

Onde vais pescar com ela.
Que é tão bela,
Oh pescador?

Não vês que a última estrela
No céu nublado se vela?
Colhe a vela,
Oh pescador!

Deita o lanço com cautela,
Que a sereia canta bela...
Mas cautela,
Oh pescador!

Não se enrede a rede nela,
Que perdido é remo e vela,
Só de vê-la,
Oh pescador.

Pescador da barca bela,
Inda é tempo, foge dela
Foge dela
Oh pescador!

sábado, 24 de abril de 2010

Descrição

O que é descrição? É a ação que você toma de descrever sobre algo ou alguém.

Então, o que é descrever? Vejamos, de acordo com o dicionário, é o ato de narrar, contar minuciosamente.
Então, sempre que você expõe com detalhes um objeto, uma pessoa ou uma paisagem a alguém, está fazendo uso da descrição.
Esta última é como se fosse um retrato distinto e pessoal de algo que se vê ou se viu!
Assim, para se fazer uma boa descrição, não é necessário que seja perfeita, uma vez que o ponto de vista do observador varia de acordo com seu grau de percepção. Dessa forma, o que será importante ser analisado para um, não será para outro.
Portanto, a vivência de quem descreve também influencia na hora de transmitir a impressão alcançada sobre determinado objeto, pessoa, animal, cena, ambiente, emoção vivida ou sentimento.
Os pormenores são essenciais para se distinguir um determinado momento de qualquer outro, desse modo, a presença de adjetivos e locuções adjetivas é traço distinto de um texto descritivo.
Quando for descrever verbalmente, tenha sutileza ao transmitir e leve em consideração, de acordo com o fato, objeto ou pessoa analisada: a) as cores; b) altura; c) comprimento; d) dimensões; e) características físicas; f) características psicológicas; g) sensação térmica; h) tempo e clima; i) vegetação; j) perspectiva espacial; l) peso; m) textura; n) utilidade; o) localização; e assim por diante.
Claro, tudo vai depender do que está sendo descrito. Em uma paisagem, por exemplo, a descrição poderá considerar: a posição geográfica (norte, sul, leste, oeste); o clima (úmido, seco); tipo (rural, urbana); a sensação térmica (calor, frio) e se existem casas, árvores, rios, etc.
Veja no exemplo:
“Da janela de seu quarto podia ver o mar. Estava calmo e, por isso, parecia até mais azul. A maresia inundava seu cantinho de descanso e arrepiava seu corpo...estava muito frio, ela sentia, mas não queria fechar a entrada daquela sensação boa. Ao norte, a ilha que mais gostava de ir, era só um pedacinho de terra iluminado pelos últimos raios solares do final daquela tarde; estava longe...longe! Não sabia como agradecer a Deus, morava em um paraíso!”
A sensação que o leitor ou ouvinte tem que ter em uma descrição é de que foi transportado para o local da narração descritiva.
Da mesma forma, quando um objeto é descrito, o interlocutor dever ter a sensação de que está vendo aquele sofá ou aquela xícara.
Por fim, vejamos a seguir os dois tipos de descrição existentes:
• Descrição objetiva: acontece quando o que é descrito apresenta-se de forma direta, simples, concreta, como realmente é:
a) O objeto tem 3 metros de diâmetro, é cinza claro, pesa 1 tonelada e será utilizado na fabricação de fraldas descartáveis.
b) Ana tem 1,80, pele morena, olhos castanhos claros, cabelos castanhos escuros e lisos e pesa 65 kg. É modelo desde os 15 anos.
Descrição subjetiva: ocorre quando há emoção por parte de quem descreve:
a) Era doce, calma e respeitava muito aos pais. Porém, comigo, não tinha pudores: era arisca e maliciosa, mas isso não me incomodava.
Portanto, na descrição subjetiva há interferência emocional por parte do interlocutor a respeito do que observa, analisa.
Como você vai saber se fez uma excelente narração descritiva? Quando reler o seu texto e perceber se de fato outros leitores visualizarão como reais o que está sendo descrito!

Fonte: Brasil Escola

Narração

A narração consiste em arranjar uma seqüência de fatos na qual os personagens se movimentam num determinado espaço à medida que o tempo passa.


O texto narrativo é baseado na ação que envolve personagens, tempo, espaço e conflito. Seus elementos são: narrador, enredo, personagens, espaço e tempo.

Dessa forma, o texto narrativo apresenta uma determinada estrutura:



Esquematizando temos:



- Apresentação;

- Complicação ou desenvolvimento;

- Clímax;

- Desfecho.



Protagonistas e Antagonistas



A narrativa é centrada num conflito vivido pelos personagens. Diante disso, a importância dos personagens na construção do texto é evidente.

Podemos dizer que existe um protagonista (personagem principal) e um antagonista (personagem que atua contra o protagonista, impedindo-o de alcançar seus objetivos). Há também os adjuvantes ou coadjuvantes, esses são personagens secundários que também exercem papéis fundamentais na história.



Narração e Narratividade



Em nosso cotidiano encontramos textos narrativos; contamos e/ou ouvimos histórias o tempo todo.

Mas os textos que não pertencem ao campo da ficção não são considerados narração, pois essas não têm como objetivo envolver o leitor pela trama, pelo conflito.

Podemos dizer que nesses relatos há narratividade, que quer dizer, o modo de ser da narração.

Os Elementos da Narrativa

Os elementos que compõem a narrativa são:
- Foco narrativo (1º e 3º pessoa);
- Personagens (protagonista, antagonista e coadjuvante);
- Narrador (narrador- personagem, narrador-observador).
- Tempo (cronológico e psicológico);
- Espaço.


Fonte: Brasil Escola

Dissertação

A todo instante nos deparamos com situações que exigem a exposição de idéias, argumentos e pontos de vista, muitas vezes precisamos expor aquilo que pensamos sobre determinado assunto.

Em muitas situações somos induzidos a organizar nossos pensamentos e idéias e utilizar a linguagem para dissertar.



Mas o que é dissertar?

Dissertar é, através da organização de palavras, frases e textos, apresentar idéias, desenvolver raciocínio, analisar contextos, dados e fatos. Neste momento temos a oportunidade de discutir, argumentar e defender o que pensamos através da fundamentação, justificação, explicação, persuasão e de provas.
A elaboração de textos dissertativos requer domínio da modalidade escrita da língua, desde a questão ortográfica ao uso de um vocabulário preciso e de construções sintáticas organizadas, além de conhecimento do assunto que se vai abordar e posição crítica (pessoal) diante desse assunto.

A atividade dissertadora desenvolve o gosto de pensar e escrever o que pensa, de questionar o mundo, de procurar entender e transformar a realidade.

Passos para escrever o texto dissertativo

O texto deve ser produzido de forma a satisfazer os objetivos que o escritor se propôs a alcançar.

Há uma estrutura consagrada para a organização desse tipo de texto.

Consiste em organizar o material obtido em três partes: a introdução, o desenvolvimento e a conclusão.

- Introdução: A introdução deve apresentar de maneira clara o assunto que será tratado e delimitar as questões, referentes ao assunto, que serão abordadas.

Neste momento pode-se formular uma tese, que deverá ser discutida e provada no texto, propor uma pergunta, cuja resposta deverá constar no desenvolvimento e explicitada na conclusão.
- Desenvolvimento: É a parte do texto em que as idéias, pontos de vista, conceitos, informações de que dispõe serão desenvolvidas; desenroladas e avaliadas progressivamente.
- Conclusão: É o momento final do texto, este deverá apresentar um resumo forte de tudo o que já foi dito. A conclusão deve expor uma avaliação final do assunto discutido.
Cada uma dessa partes se relaciona umas com as outras, seja preparando-as ou retomando-as, portanto, não são isoladas.
A produção de textos dissertativos está ligada à capacidade argumentativa daquele que se dispõe a essa construção.
É importante destacar que a obtenção de informações, referentes aos diversos assuntos seja através da leitura, de conversas, de viagens, de experiências do dia-a-dia e dos mais variados veículos de informação podem sanar a carência de informações e consequentemente darem suporte ao produzir um texto.



Fonte: Brasil Escola

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Livre abítrio


Google imagens

Existe no homem uma capacidade tal que lhe dá condições de fazer escolhas, de acordo com o que lhe é agradável. O homem sempre e em qualquer condição, faz as suas escolhas, de tal forma que ele é responsabilizado por elas. “Essa capacidade ou aptidão é um aspecto inalienável da natureza humana normal”. Ele é livre para escolher o que lhe agrada, de acordo com suas inclinações.
Sobre este aspecto da existência humana a CFW diz o seguinte:
Deus dotou a vontade do homem com tal liberdade natural, que ela nem é forçada para o bem nem para o mal, nem a isso determinada por qualquer necessidade absoluta de sua natureza. Ref. Tiago 1:14; Deut. 30:19; João 5:40; Mat. 17:12; At.7:51; Tiago 4:7.

Comentando acerca desta seção da CFW, A. A. Hodge diz o seguinte:
...que a alma humana, inclusive todos os seus instintos, idéias, juízos, emoções e tendências, tem o poder de decidir por si mesma; isto é, a alma decide em cada caso como geralmente lhe agrade.

O homem é livre para escolher, sendo que nada externamente pode forçar suas escolhas. Isto é essencial no homem, faz parte da sua criação a imagem e semelhança de Deus. “À parte dela, não pode haver qualquer responsabilidade, confiança ou planejamento. À parte dela, não pode haver educação, religião ou adoração. À parte dela, não pode haver qualquer arte, ciência ou cultura. A capacidade de escolher é uma condição sine qua non de toda a vida humana”.
A definição de Campos sobre este assunto é também esclarecedora:
Livre Agência, por outro lado, poderia ser definida como a capacidade que todos os seres racionais têm de agir espontaneamente, sem serem coagidos de fora, a caminharem para qualquer lado, fazendo o que querem e o que lhes agrada, sendo, contudo, levados a fazer aquilo que combina com a natureza deles.

Campos ainda falando sobre este aspecto, enfatizando a responsabilidade humana em suas escolhas diz:
É importante que o ser racional que ele aja sempre movido pelo seu ego. A responsabilidade dele sempre estará diretamente ligada à voluntariedade do seu ato. Todos os atos dele devem ser auto-inclinados e auto-determinados.

Portanto, para que haja responsabilidade, não é necessário que haja o poder de escolha contrária, mas sim, que haja o poder de auto-determinação, que a ação seja nascida nas inclinações do ser racional.

Pelo que ficou demonstrado, em qualquer época o homem é livre para agir conforme sua condição, sua natureza, ou seja, ele sempre faz o que quer conforme a sua inclinação.

Fonte:Rev. Waldemar Alves da Silva Filho

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Canto Para A Minha Morte

Canto Para A Minha Morte


Raul Seixas

Composição: Raul Seixas / Paulo Coelho

Eu sei que determinada rua que eu já passei
Não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
E que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
Pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez
A morte, surda, caminha ao meu lado
E eu não sei em que esquina ela vai me beijar

Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando
Embora eu ainda não a conheça?

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida.
Existem tantas... Um acidente de carro.
O coração que se recusa abater no próximo minuto,
A anestesia mal aplicada,
A vida mal vivida, a ferida mal curada, a dor já envelhecida
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
Um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio...

Oh morte, tu que és tão forte,
Que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva
E que a erva alimente outro homem como eu
Porque eu continuarei neste homem,
Nos meus filhos, na palavra rude
Que eu disse para alguém que não gostava
E até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite...

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

Sobre a morte


Google imagens

Todos pensamos na morte mesmo porque é a única certeza que temos que um dia chegará a nossa vez de partir. A morte é vista com certo receio e repúdia e não como algo natural no fechamento do ciclo da vida. Não discuto aqui as várias formas de morte, mas sim a morte em si, o final da vida.

A morte é o fechamento de um ciclo e de retorno as origens. O Espírito liberado vai para o seu lugar onde conforme seu nível evolutivo insere ao aprendizado e ao aprimoramento. Em preparação para possíveis reencarne.

O corpo se decompoe a ponto de se integrar à energia côsmica que é a fonte de origem do equilibrio nas existência da matéria. Portanto um retorno ao princípio ou seja o lar.

A morte desperta o sentimento da perda pois não estamos educados a vê-la como um ciclo e se assim fosse ela seria bem vinda e preparada para acontecer da melhor forma possível.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Promover a cidadania


Google Imagem

Vivemos um ano eleitoral quando vamos eleger Presidente da República, Senador, Deputado Federal, Governador e Deputado Estadual. É um momento de muita consciência pois depositaremos na urna aqueles que serão responsáveis por quatro anos de nossas vidas. Achei na net este texto e posto aqui para contribuir em nossa reflexão.

"promover o voto é promover a cidadania; promover o combate à corrupção eleitoral é criar mecanismos para que a árvore da democracia, que precisa ser grande e garantir sombra e frutos para todos, seja fortalecida. Não é possível aceitar que irresponsáveis ateiem fogo à esta árvore, através da corrupção eleitoral, gerando graves riscos que podem vir a destrui-la. Somente com a sociedade organizada e participando ativamente e de maneira vigilante de todo o processo político democrático é que esta árvore poderá crescer forte e dar frutos para todos. O caminho não é fácil. Mas, como diz o povo: é preciso pôr a boca no mundo, denunciar a corrupção, e o voto na urna. Estes são os meios mais eficazes e disponíveis a todos para afastar os corruptos e todos aqueles que garantem o poder pela compra do voto, que, via de regra, resulta na continuidade da miséria do povo. Dessa forma estaremos garantindo que o voto seja efetivamente exercício de um direito humano fundamental."

Fonte:www.dhnet.org.br

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Homenagem para as "Marias"


Maria, Maria


Milton Nascimento

Composição: Milton Nascimento e Fernando Brant

Maria, Maria
É um dom, uma certa magia
Uma força que nos alerta
Uma mulher que merece
Viver e amar
Como outra qualquer
Do planeta

Maria, Maria
É o som, é a cor, é o suor
É a dose mais forte e lenta
De uma gente que rí
Quando deve chorar
E não vive, apenas aguenta

Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria

Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida....

Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria...

Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida....

Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê
Hei! Hei! Hei! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê!...

Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria...

Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho, sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê
Hei! Hei! Hei! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Ah! Hei! Ah! Hei! Ah! Hei!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê!
Lá Lá Lá Lerererê Lerererê!...

domingo, 18 de abril de 2010

Como você age numa discussão?



Google imagens

Nos meus 51 anos de vida aprendi uma lição importante. Nunca perder a razão frente a uma discussão ou desentendimento. Na hora o sangue ferve e a vontade é de partir para vias de fato ou querer falar mais alto que o oponente. Agir assim te tira a razão. Enquanto o oponente esbraveja mantenha calado e se responder, responda em tom normal, pode ser o que sente, a verdade toda, mas em tom normal. Entretanto sem ficar na defenciva Nunca diga tipos de ameaças pois isso só enrigesse a situação, busque sempre chamar a atenção para a razão. Sei que é difícil mas é preciso essa postura para a diminuição das violências físicas ou verbais e é uma postura condizente para quem está com a razão.
Falo isso aqui porque já fui uma pessoa de pavio muito curto, por pouca coisa estourava, e isto me troxe muito prejuizo. Aos poucos fui modificando essa postura e hoje sigo em paz comigo e com os outros.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Internet


Foto: Maíra

A internet revolucionou os meios de comunicação e transferência de dados. Hoje podemos fazer desde uma pesquisa educacional até pagar um boleto de conta que vai vencer. Em instantes comunicamos com milhares de pessoas e notícias expalham numa velocidade espantosa. Nela encontramos de tudo, coisas boas e fundamentadas, coisas ruins e malfadadas. Portanto é fundamental um uso consciente desta ferramenta que além de servir ao trabalho serve também para entreter.
O uso da ferramenta digital é de fundamental importância e cada dia carece que mais e mais pessoas tenham acesso e conehcimento. Pois tudo hoje depende da informática que vai desde a feitura de um registro civil de nascimento, marcação de uma consulta com um especialista em saúde ao seu acesso de seu salário no banco.
Cadastros são feitos para interligarem informações de cunho continental e até mundial o que aproxima cada vez mais o conhecimento e a informações aos seus usuários. As escolas avançadas já substituem o caderno pelo computador e com a informação online o que agiliza o aprendizado, as informações e o conhecimento.

Com relação ao número de usuários da Internet a estimativa é realizada utilizando o seguinte processo: primeiro calcula-se o número de computadores que atuam como hosts na Internet em uma deter minada região e, em seguida, multiplica-se este valor por um número estimado de usuários por host. Este número pode variar entre 3.5, 5, 7.5, até 10 usuários por host dependendo do país ou região. No Brasil, segundo informações do comitê gestor da Internet, assume-se que para cada host exista 10 usuários. Se usarmos estes dados para o Brasil, chegaremos a uma estimativa de que existe atualmente cerca de 1.310.000 de usuários. De acordo com a taxa de crescimento verificada, são aproximadamente 198.790 novos usuários a cada trimestre. Por este volume e taxa de crescimento de usuários é que a Internet no Brasil deve receber uma forte aten&cc edil;ão de todos os empresários como um atraente meio de expandir seus mercados de negócios.

Eu aprendi informática sozinho, mexendo na raça, quantas vezes coloquei o computador fora do ar e quantas vezes ele me chamou de burro "dado a quantidade de erro que você cometeu" Comecei com Windows 95, depois o 98, mas mexi com 3,1 depois veio XP e atualmente uso o Vista e tudo que sei de informática aprendi na internet desde a condecção de um website até a programação de algumas linguagens como o java.
Acredito que o investimento do governo no acesso a internet - banda larga - dará ao cidadão Brasileiro melhores condições de socialização do conhecimento.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Para onde estarão focados as consciências neste ano.



2010, um ano que tem-se caracterizado por vários problemas de catátrofes natuarais, como o terremoto no Haiti, no Chile, Japão e agora na China, No Brasil muita chuva e deslizamentos de terra desde o início do ano causando problemas e mortes em Cabo Frio, Niteroi, Morro do Bumba, em São paulo e agora a chuva castiga o nordeste. Muitos outros paises também sofrem pelos problemas de cunho naturais. Todos esses acontecimentos tem dexado a população estarrecida e amedrontada. Muitos desabrigados e muitos mortos em todas essas tragédias. E só pedindo a Deus conforto a todos que sofreram desses problemas e aos governantes que agilizem políticas de ajuda e recuperação.

Por outro lado temos esse ano o acontecimento que para o mundo que é o mundial na África do Sul. Cada origem com sua torcida e suas esperanças. Portanto teremos mais de um mês o mundo respirando futebol. Pelo menos uma pausa na tristeza e um pouco de divertimento que é fundamental para todo o povo e suas nações.

No Brasil temos ainda logo depois da copa do mundo a atividade de cidadania que será as eleições para os principais cargos políticos do país. É um momento onde devemos invocar a consciência e a cidadania para não errarmos na urna pois é nela que será depositada os próximos quatro anos da vida de todos nós.
É fundamental que tenhamos em nossas mentes o que está acontecendo com o nosso mundo e todas as atividades que estão pro vir e que isso contribua para o desenvolvimento da sociedade em sua relação de paz, condição para um mundo justo.


Imagens:Google imagens

domingo, 11 de abril de 2010

Arsenal atômico

Google imagens

"O anúncio de terça-feira será feito dois dias antes da assinatura, em Praga, de um novo acordo de desarmamento Start entre Obama e seu colega russo Dmitri Medvedev. Americanos e russos chegaram a um acordo no mês passado para reduzirem seu arsenal nuclear para 1.550 ogivas cada um.
O plano também será divulgado uma semana antes da cúpula de Washington de 12 e 13 de abril para a qual Obama convidou 40 dirigentes de todo o mundo para discutir segurança e não-proliferação."

A redução do arsenal atômico e não proliferação é uma medida consciente dos governantes rumo ao entendimento que a paz só se consegue com o diálogo. Já foi o tempo onde a força bélica e armamento era a supremacia de uma nação sobre a outra, existe a necessidade que todos deem as mãos para a construção de um mundo melhor.



sábado, 10 de abril de 2010

Que essa sirva de lição a todos


Tragédia do Bumba começou na 2ª feira




"A tragédia ocorrida na quarta-feira (8), no Morro do Bumba, na Estrada Viçoso Jardim, em Niterói, foi anunciada por deslizamentos anteriores. Durante o dilúvio de segunda-feira (5), cinco pessoas já haviam morrido soterradas no local. Até 19h, uma hora antes do novo deslizamento, bombeiros ainda trabalhavam no morro. Às 20h, quando retornaram, só encontraram devastação.
Poucas horas após o início das escavações por bombeiros e populares, com a grande quantidade de barro e lama retirada pelas retroescavadeiras, enxadas, pás e mãos, ia junto a esperança de encontrar sobreviventes. Em muitos casos, de uma família inteira. A cada investida das máquinas e de homens e mulheres contra a montanha de um milhão e meio de toneladas de lixo, a sensação de perda gerava cada vez mais rostos apreensivos.
Assim foi a primeira noite de luta para resgatar centenas de pessoas debaixo dos escombros. Na quinta-feira, o prefeito Jorge Roberto Silveira decretou estado de calamidade pública.
“Só eu perdi 20 amigos. Não consigo acreditar que todas essas pessoas foram soterradas”, disse Rafael Oliveira, de 20 anos, observando o trabalho do Corpo de Bombeiros, por volta das 7h de quijnta-feira, quando todos puderam ter noção do tamanho da tragédia.
Em cada canto, entre gritos e lágrimas, pessoas buscavam notícias de parentes em meio aos escombros. “Havia três casas ali”, apontava Carmen Pimenta, de 47 anos, com o dedo em direção à beira da rua. Era uma das residências melhores localizadas, porque ficava bem na entrada da comunidade. “O terreno era grande e minhas primas construíram suas moradias nele, ficando perto de minha tia, mãe delas. Agora estamos aqui, olhando esse monte de terra e lixo, já sem esperança de que estejam vivos”, referia-se ao casal de tios, uma prima que morava com o marido e outra com o filho de um ano.
Ao redor da montanha de barro e entulhos, centenas de pessoas com olhares perdidos e apreensivos a cada corpo retirado pelos bombeiros. Uns tentavam localizar parentes, enquanto outros simplesmente rezavam, inclusive, por pessoas que nem conheciam. Em cada depoimento uma história de dor. Emerson Pires, 36 anos, vizinho da tragédia, fazia cálculos sobre o número de soterrados.
“Só em uma das casas havia cerca de 15 pessoas, que ficaram desalojadas durante o temporal de segunda-feira. Vieram para cá até poderem voltar para suas casas ou mudarem de endereço. Em outra havia 30 desabrigados”, afirmou, aumentando as especulações sobre o número de vítimas. Enquanto isso, um bebê de oito meses era retirado da montanha de lixo por uma médica do Samu, ainda com vida.
Em outro relato dramático, Leandro Almeida, 32, contou que uma senhora, identificada como Fátima, e primeira vítima fatal a ser encontrada, havia morrido em suas mãos. “Moro no Cubango e quando soube vim aqui para ajudar. Encontrei essa senhora presa nos escombros e segurei em sua mão. Pedi muito para ela agüentar, mas ela foi morrendo aos poucos e deu o último suspiro apertando minha mão”, contou, tentando segurar o choro.

Solo cedeu e saiu levando todas as casas
Para o coronel bombeiro, Pedro Machado, coordenador geral da Defesa Civil do Estado do Rio, as fortes chuvas que caíram nentre segunda (5) e terça-feira (6), enfraqueceram o solo, já bastante debilitado pelo chorume proveniente de um antigo lixão, onde as casas começaram a ser construídas há mais de 25 anos. “O solo estava encharcado e cedeu com o peso das construções. Veio tudo abaixo”, disse o coronel.
Segundo o coordenador da Metropolitana II da Samu, Gustavo Campos, as vítimas socorridas com vida estão sendo encaminhadas para os hospitais Azevedo Lima, Alberto Torres, Carlos Tortelli, Mario Monteiro, Antônio Pedro e para o Pronto Socorro de São Gonçalo. “Caso haja necessidade, os hospitais do Rio, federais e estaduais também estarão prontos para receber essas pessoas”, destacou.
Até o fim da noite de quinta-feira (8), todas as vítimas socorridas com vida, 56, haviam sido levadas para o Azevedo Lima, e a maior parte, com traumas leves, já havia sido liberada."

Lendo essa matéria no site osãogonçalo.com.br e também depois de tudo que vi pela TV, fica uma pergunta para que todos possa responder. De quem é a culpa por uma tragédia dessa. É fato a ineficiência de uma política pública habitacional e de controle de ocupação do solo. Por outro lado a necessidade premente das pessoas terem um local para morar e não encontra outra saída a ocuparem lugares de risco. Que essa tragédia sirva de lição ao poder público que melhore as condições de uma política habitacional e de ocupação do solo e do outro lado ao cidadão comum que tenha a condição de compreender que não é em qualquer lugar que deva kevantar seu abrigo.
Solidariedade a todos que perderam pessoas queridas na tragédia e aos vítimados o consolo de espírito e façamos o possível para que coisas como essa não mais aconteçam.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Your Latest Trick



Your Latest Trick Lyrics


Artist(Band):Dire Straits
 

All the late night bargains have been struck
Between the satin beaus and their belles
Prehistoric garbage trucks
Have the city to themselves
Echoes and roars, dinosaurs
They're all doing the monster mash
And most of the taxis, most of the whores
Are only taking calls for cash
I don't know how it happened
It all took place so quick
But all I can do is hand it to you
And your latest trick
Well, now, my door was standing open
Security was laid back and lax
But it was only my heart got a-broken
You must have had a pass key made out of wax
You played robbery with insolence
And I played the blues in twelve bars down on Lover's Lane
And you never did have the intelligence to use
The twelve keys hanging off of my chain
I don't know how it happened
It all took place so quick
But all I can do is hand it to you
And your latest trick
Well, now, it's past last call for alcohol
Past recall has been here and gone
The landlord he finally paid us all
The satin jazzmen have put away their horns
And we're standing outside of this wonderland
Looking so bereaved and so bereft
Like a Bowery bum when he finally understands
The bottle's empty and there's nothing left
I don't know how it happened
It was faster than the eye could flick
But all I can do is hand it to you
And your latest trick

Tradução
 
 
"Seu último truque"




Todas as barganhas da madrugada foram feitas
Entre os galãs do sul e suas mulheres lindas
E os caminhões de lixo pré-históricos
Tem a cidade só para eles
Ecos e rugidos de dinossauros
Todos eles estão fazendo a mistura dos monstros
E a maioria dos táxis, a maioria das prostitutas
Só estão aceitando chamadas em dinheiro
(refrão)
Eu não sei como aconteceu
Tudo foi tão rápido
Tudo que eu posso fazer é entregar isso a você
E seu último truque
Minha porta estava aberta
A segurança foi relaxada
Mas foi só o meu coração que partiu
Você deve ter feito uma chave de cera para entrar
Você brincava de roubar com insolência
Eu tocava um Blues em doze compassos
Lá na Alameda dos Amantes
E você nunca teve a inteligência para usar
As doze chaves penduradas no meu chaveiro
(refrão)
Agora já passou a última chamada para beber álcool
O último bebedor esteve aqui e se foi
O proprietário finalmente nos pagou
Sete notas de US$ 10 nos fizeram dispensar os trompetes
E nós estamos do lado de fora deste paraíso
Parecendo tão desolados e infelizes
Como um mendigo do Bowery quando ele finalmente entende
Que a garrafa está vazia e não sobrou nada
Eu não sei como aconteceu
Foi mais rápido que um piscar de olhos
E tudo o que posso fazer é entregar isso a você
E a seu último truque

O que fazer na internet quando não se tem nada o que fazer


Google imagens

Tenho visto muitas perguntas sobre o que fazer na internet quando não se tem nada para fazer nela. Isso acontece por motivos de desinteresse por assunto ou por estar fadigado e não encontra um site com temas que chamem atenção, pelo menos naquele momento. Neste mundo virtual tem muito o que fazer sim, basta apenas focar em algum interesse e ir adiante. por exemplo, ver um vídeo, até mesmo um filme online. Fazer uma pesquisa sobre um assunto que tenha dúvida ou que caracterizou interesse. Mas por falta de inspiração nada disso está resolvendo. Isso é cansaço causado pelo acesso virtual portanto o bom mesmo é desligar tudo e ir fazer qualquer outra atividade que disperte interesse imediato ou até mesmo descansar ou dormir um pouco. Bom isso explica algumas coisas mas não responde, o que fazer na internet quando não se tem nada para fazer. pensando bem tem sim e o melhor é começar, ao invez de absolver idéias do virtual começar a criar idéias para o virtual. Portanto crie um blog e poste lá assunto de seu interesse, curiosidades, dúvidas. Com certeza sempre terá uma questão em mente para descrever ou até mesmo comentar. Essa é a melhor forma de sair da paralisia virtual e passar a agir, criar idéias escrever conceitos e assim estar divulgando suas idéias e pensamentos. Pode também criar como um diário onde conte o seu dia a dia e dessa forma estará expressando as suas experiências e com certeza tem sempre alguém interessado e que vai se beneficiar dessa sua ação.
Até

Consciência Espiritual

Google imagens


Consciência Espiritual

Alguns adquirem a fé consciente na espiritualidade.
Outros usam a espiritualidade muito remota,
ocupando a mente apenas em campo de trabalho.

O limite entre o homem e Deus não existe,
há uma fusão espiritual.

A todo instante seres humanos
são resgatado da terra,
sem ter conseguido viver o espiritual
nos seus maiores momentos de encarnados
partindo confusos e abalados.

A vida terrena deve ser vivida
espiritualmente e completamente voltada
à Pátria de Origem Reencarnatória
Muitos colocam os valores materiais
acima dos espirituais
esquecendo que na partida
o material não faz parte
do retorno espiritual
O material não vai, não volta,
e na luta pela euforia
não deixa o homem assumir
a sua identidade oficial
Traz fatores predominantes
para cegar a humanidade da fé
Muitos assumem viver o material em sua plenitude,
gozando do trabalho árduo e desenfreado
por conquistas de valores
amando as sobras como Deus,
e Deus como sobra
ignorando que são Obras Divinas

Enquanto a vida passa,
a traça corrói os valores espirituais
que o tempo de tanto esperar
empoeirou a alma viciada...

Em cada ser, contém a Luz Divina
tentando ultrapassar estas barreiras
colocadas pela mente do materialista,
porém muitos trabalhando em ritmo acelerado
coloca de lado esta oportunidade
permitindo que o espiritual
venha a desfalecer de tanto esperar
um contato com a Consciência Cósmica.

Que todos se abram para a verdadeira identidade
para quando formos chamados
estarmos prontos e consciente
para onde seguiremos.



Cora Maria

Políticas públicas

Google imagens


Políticas públicas ou Políticas sociais é um conceito de Política e da Administração que designa certo tipo de orientação para a tomada de decisões em assuntos públicos, políticos ou coletivos.
Embora, políticas públicas seja um conceito oriundo dessas duas áreas, vem sendo utilizado nas mais variadas áreas. Isso porque ele permite estudar o espaço social antes da implementação. Para tanto, torna-se necessário a montagem de equipe transdiciplinar pois um projeto de política pública, necessariamente deve permitir a transversalidade, além de estabelecer um diálogo consencioso entre as partes. (Ferreira 2008)
Entende-se por Políticas Públicas “o conjunto de ações coletivas voltadas para a garantia dos direitos sociais, configurando um compromisso público que visa dar conta de determinada demanda, em diversas áreas. Expressa a transformação daquilo que é do âmbito privado em ações coletivas no espaço público” (Guareschi, Comunello, Nardini & Hoenisch, 2004, pág. 180).
Para José-Matias Pereira política pública compreende um elenco de ações e procedimentos que visam à resolução pacífica de conflitos em torno da alocação de bens e recursos públicos, sendo que os personagens envolvidos nestes conflitos são denominados "atores políticos".
Existem diferenças entre decisões políticas e políticas públicas. Nem toda decisão política chega a ser uma política pública. Decisão política é uma escolha dentre um leque de alternativas, já política pública, que engloba também a decisão política, pode ser entendida como sendo um nexo entre a teoria e a ação. Esta última está relacionada com questões de liberdade e igualdade, ao direito à satisfação das necessidades básicas, como emprego, educação, saúde, habitação, acesso à terra, meio ambiente, transporte entre outros.

Wikipédia

A violência urbana

Google imagens

A violência urbana é o mal que assola as comunidades que vivem em centros urbanos. Abrange toda e qualquer ação que atinge as leis, a ordem pública e as pessoas. Muitas são as causas da violência, como: adolescentes desregrados e ilimitados pelos pais, crise familiar, reprovação escolar, desemprego, tráfico em geral, confronto entre gangs rivais, falta de influência política, machismo, discriminação em geral e tantos outros.
Apesar de todas as causas citadas acima, a mais importante delas é a má distribuição de renda que resulta na privação da educação e melhores condições de moradia. Todo esse círculo vicioso se origina a partir da falta de condições de uma vida digna que faz com que as pessoas percorram caminhos ilegais e criminosos.
Existem autoridades que acreditam na solução da violência por meio de reforço policial, equipamentos de segurança e na invasão de regiões onde o tráfico se localiza, porém tais situações somente geram maiores problemas, pois nessas situações pessoas inocentes que são vítimas dessa situação acabam sendo “confundidas” e condenadas a pagar por algo que não cometeu.
A violência urbana engloba uma série de violências como a doméstica, escolar, dentro das empresas, contra os idosos e crianças e tantos outros que existem e que geram esse emaranhado que se tem conhecimento. Inúmeras são as idéias e os projetos feitos para erradicar a violência urbana, porém cabe a cada cidadão a tarefa de se auto-analisar para que a minúscula violência que se tem feito seja eliminada a fim de que grandes violências sejam suprimidas pela raiz.

Gabriela Cabral

Transtorno do Pânico


Google imagens

O que é o transtorno do pânico?

Transtorno do pânico é um problema sério de saúde. Este distúrbio é nitidamente diferente de outros tipos de ansiedade, caracterizando-se por crises súbitas, sem fatores desencadeantes aparentes e, frequentemente, incapacitantes. Depois de ter uma crise de pânico - por exemplo, enquanto dirige, fazendo compras em uma loja lotada ou dentro de um elevador - a pessoa pode desenvolver medos irracionais (chamados fobias) destas situações e começar a evitá-las. Gradativamente o nível de ansiedade e o medo de uma nova crise podem atingir proporções tais, que a pessoa com o transtorno do pânico pode se tornar incapaz de dirigir ou mesmo pôr o pé fora de casa. Neste estágio, diz-se que a pessoa tem transtorno do pânico com agorafobia. Desta forma, o distúrbio do pânico pode ter um impacto tão grande na vida cotidiana de uma pessoa como outras doenças mais graves - a menos que ela receba tratamento eficaz e seja compreendida pelos demais.

O que causa o transtorno do pânico? Por que ele ocorre?

De acordo com uma das teorias, o sistema de "alerta" normal do organismo - o conjunto de mecanismos físicos e mentais que permite que uma pessoa reaja a uma ameaça - tende a ser desencadeado desnecessariamente na crise de pânico, sem haver perigo iminente. Algumas pessoas são mais suscetíveis ao problema do que outras. Constatou-se que o T.P. ocorre com maior frequência em algumas famílias, e isto pode significar que há uma participação importante de um fator hereditário (genético) na determinação de quem desenvolverá o transtorno. Entretanto, muitas pessoas que desenvolvem este transtorno não tem nenhum antecedente familiar.

O cérebro produz substâncias chamadas neurotransmissores que são responsáveis pela comunicação que ocorre entre os neurônios (células do sistema nervoso). Estas comunicações formam mensagens que irão determinar a execução de todas as atividades físicas e mentais de nosso organismo (ex: andar, pensar, memorizar, etc). Um desequilíbrio na produção destes neurotransmissores pode levar algumas partes do cérebro a transmitir informações e comandos incorretos. Isto é exatamente o que ocorre em uma crise de pânico: existe uma informação incorreta alertando e preparando o organismo para uma ameaça ou perigo que na realidade não existe. É como se tivéssemos um despertador que passa a tocar o alarme em horas totalmente inapropriadas. No caso do Transtorno do Pânico os neurotransmissores que encontram-se em desequilíbrio são: a serotonina e a noradrenalina.

O transtorno do pânico é um problema sério?

O T.P. já é considerado um problema sério de saúde. Atualmente 2 a 4% da população mundial sofre deste mal, que acomete mais mulheres do que homens em uma proporção de 3 para 1. Há muito que o T.P. deixou de ser um diagnóstico de exclusão. Hoje, mais do que nunca, há necessidade de um diagnóstico de certeza para tal entidade clínica. As pessoas que sofrem deste mal costumam fazer uma verdadeira "via-crucis" a diversos especialistas médicos ("doctor shopping") e após uma quantidade exagerada de exames complementares recebem, muitas vezes, o patético diagnóstico do "nada", o que aumenta sua insegurança e seu desespero. Por vezes esta situação dramática é reduzida a termos evasivos como: estafa, nervosismo, stress, fraqueza emocional ou problema de cabeça. Isto pode criar uma incorreta impressão de que não há um problema de fato e de que não existe tratamento para tal patologia.

O T.P. é real e potencialmente incapacitante, mas pode ser controlado com tratamentos específicos. Por causa dos seus sintomas desagradáveis, ele pode ser confundido com uma doença cardíaca ou outra doença grave. Frequentemente as pessoas procuram um pronto-socorro quando têm a crise de pânico e podem passar desnecessariamente por extensos exames médicos para excluir outras doenças.

Os médicos em geral tentam confortar o paciente em crise de pânico, fazendo-o entender que não está em perigo. Mas estas tentativas podem às vezes piorar as dificuldades do paciente: se o médico usar expressões como "não é nada grave", "é um problema de cabeça" ou "não há nada para se preocupar", isto pode produzir uma impressão incorreta de que não há problema real e de que não existe tratamento ou de que este não é necessário, conforme já comentado.

Qual é a população atingida?

As pessoas que tem o T.P., em sua maioria, são pessoas jovens (faixa etária de 21 a 40 anos), que encontram-se na plenitude de suas vidas profissionais. O perfil da personalidade das pessoas que sofrem do T.P., costuma apresentar aspectos em comum: geralmente são pessoas extremamente produtivas à nível profissional, costumam assumir uma carga excessiva de responsabilidades e afazeres, são bastantes exigentes consigo mesmos, não convivem bem com erros ou imprevistos, têm tendência a se preocuparem excessivamente com problemas cotidianos, alto nível de criatividade, perfecionismo, excessiva necessidade de estar no controle e de aprovação, auto-expectativas extremamente altas, pensamento rígido, competente e confiável, repressão de alguns ou todos os sentimentos negativos (os mais comuns são, o orgulho e a irritação), tendência a ignorar as necessidades físicas do corpo, entre outras. Essa forma de ser acaba por predispor estas pessoas a situações de stress acentuado, fato este que pode levar ao aumento intenso da atividade de determinadas regiões do cérebro desencadeando assim um desequilíbrio bioquímico e consequentemente o aparecimento do T.P..

Vale ressaltar ainda que alguns medicamentos como anfetaminas (usados em dietas de emagrecimento) ou drogas (cocaína, maconha, crack, ecstasy, etc), podem aumentar a atividade e o medo promovendo alterações químicas que podem levar ao T.P..

Existe tratamento para este problema?

Existe uma variedade de tratamentos para o T.P.. O mais importante neste aspecto é que se introduza um tratamento que vise restabelecer o equilíbrio bioquímico cerebral numa primeira etapa. Isto pode ser feito através de medicamentos seguros e que não produzam risco de dependência física dos pacientes. Numa segunda etapa prepara-se o paciente para que ele possa enfrentar seus limites e as adversidades vitais de uma maneira menos estressante. Em última análise, trata-se de estabelecer junto com o paciente uma nova forma de viver onde se priorize a busca de uma harmonia e equilíbrio pessoal. Uma abordagem psicoterápica específica deverá ser realizada com esse objetivo.

O sucesso do tratamento está diretamente ligado ao engajamento do paciente com o mesmo. É importante que a pessoa que sofre de T.P. entenda todas as peculiaridades que envolvem este mal e que queira fazer uma boa "aliança terapêutica" com seu médico no sentido de juntos superarem todas as adversidades que poderão surgir na busca do seu equilíbrio pessoal.

Para as pessoas que não tem, e para as que possam vir a conviver com o problema:

O T.P. não é loucura, nem "frescura". Infelizmente é comum que os distúrbios psíquicos sejam interpretados como simples fraqueza de caráter. O melhor jeito para conviver com uma pessoa que passou pelo T.P., É compreender pelo que a pessoa passa; fazendo com que essa pessoa saiba que você entende o que se passa com ela, isso irá tranquilizá-la, trazendo bem-estar, pois é bem difícil se ter um "ataque", perante uma pessoa ou ambiente que conheça o problema, junto com um "tratamento", preferencialmente, tratado por um psiquiatra. Pois os que sofrem com o transtorno do pânico são ótimas companhias, devido a sua sensibilidade apurada, pois uma experiência ruim algumas vezes frutifica em crescimento interior. E sempre mantenha essa pessoa normalmente convivendo com suas atividades, percebendo as suas limitações e não "forçando nenhuma barra". Aos poucos a vida volta a normalidade.

Fonte:http://valleser.rumo.com.br/pan.htm

Carência Afetiva, o que fazer?

Google imagens




A carência afetiva é um mal que atinge todas as faixas etárias, culturas e classes sociais. É pior que a gripe, que vem e vai embora, ou uma doença que mata de vez. É um mal que consome as pessoas devagarinho.

A indiferença da sociedade atual face aos problemas do mundo, faz com que as pessoas sintam-se sozinhas e carentes. Preferimos fechar os olhos ao que se passa ao nosso redor (e mesmo fora dele!) do que enfrentar a realidade da vida dos outros, dos seus problemas. Há cada vez mais pessoas solitárias enquanto a população cresce.

As pessoas têm sede de amor. O problema é que raramente querem ser fonte. E nessa engrenagem há muita gente infeliz. Então corre-se de um lado para o outro, alguns tentam achar compensação a nível profissional, outros em religiões, crenças e seitas.

A internet também faz parte desse mundo. Fecha-se aqui, procura-se amores, amizades e certezas de que alguma coisa ainda existe capaz de compensar a falta de afeto. E enganam-se. Engana-se os outros e a si mesmo.

Quando Jesus andou na terra, tenho certeza que não precisava de nada. Ele era auto-suficiente. Apesar disso, viveu tudo: Ele andou, trabalhou, se entristeceu, chorou, sentiu fome, angústia, dor, morreu e ressurgiu. E vivendo tudo isso, amou. Amou até o fim, até pedir perdão para os que o crucificaram. E tudo o que Ele viveu, foi para nos mostrar o exemplo. De nada serviria se Ele tivesse pregado e não vivido as próprias palavras. Como nós. Mais que falar, precisamos viver.

O dia que as pessoas compreenderem que a solução está dentro delas mesmas, então o mundo terá uma chance de sair desse caos. Se você quer ser amado, ame! Quer receber um sorriso? Sorria! Quer receber e-mails? Mande! Quer carinho? Dê ternura até não agüentar mais. Quer atenção? Seja atencioso!

Talvez não funcione imediatamente. É um remédio que precisa de um tempo para começar a fazer efeito. Mas, quando você estiver curado interiormente, vai ser outra pessoa, de maneira tal que será impossível não receber de volta a felicidade que espalhou. Temos a mania de querer comprar tudo. Mas muitas coisas da vida precisamos plantar, cuidar e colher com nossas próprias mãos. Nem tudo se vende e se compra e afeto faz parte dessas raras coisas.

Não amamos a Deus por que Ele nos amou primeiro? Então, vivamos de maneira que possamos ser os primeiros a dar afeto, amor, atenção. Sejamos os antídotos do ódio e da indiferença. Tudo o que virá após, será compensação. Estaremos contribuindo assim para uma sociedade mais humana, mais justa e mais equilibrada.


Letícia Thompson


Você sofre de carência afetiva?

O perfil do carente é o mesmo: Quer ser amado, quer aproximar e não afastar o outro, mas como não sabe se valorizar, talvez por não ter aprendido, e como não aprendeu a viver um relacionamento afetivo saudável acaba pondo os pés pelas mãos, afastando o outro cada vez para mais longe.
Além dos sintomas tradicionais deste tipo de carência existem ainda outros pouco notados: A tentativa de sentir-se melhor com o consumismo e o Altruísmo.
Experimente fazer perguntas a você mesmo, pergunte se optou por um retrocesso ou estagnação na sua carreira em função do relacionamento ou se desistiu completamente de investir em si mesmo. São diversas perguntas que você pode fazer a você mesmo em busca de respostas.



Como cuidar da carência afetiva?

Você precisa aprender a amar de forma saudável, estando em primeiro lugar e dosando para não ser egoísta, ame a si mesmo, resgate seu amor próprio, sem isso jamais poderá se relacionar de forma equilibrada.
Desenvolva auto-aceitação, não é por ser carente que você vai encontrar em outros indivíduos o que te falta, busque dentro de você, e se achar que não é capaz procure ajuda especializada, existem muitos grupos de apoio e profissionais neste sentido.
O importante é você admitir que ninguém poderá ajudá-lo sem que você seja consciente de seus próprios sentimentos, não importa o quanto você receba de amor de outra pessoa, jamais isso poderá curar suas feridas interiores, o único remédio para isso é entender e superar o que aconteceu.


Fonte:Flávio Pedro dos S. Pita




Como formatar o Windows Vista

Fonte:Google Imagens


Tive que formatar meu Windows Vista, mas é um pouco diferente do XP, então tive que pesquisar bastante para encontrar um tutorial que me desse um caminho. Então encontrei neste blog a luz para minha procura e com isso resolvi o problema. Portanto coloco o link aqui para quem precisar de ajuda possa acessar.Como formatar Windows Vista, Clique aqui. Espero ter ajudado.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Espiritualidade


Fonte: Google imagens

A Espiritualidade é uma dimensão da pessoa humana que traduz, segundo diversas religiões e confissões religiosas, o modo de viver característico de um crente que busca alcançar a plenitude da sua relação com o transcendental. Cada uma das referidas religiões comporta uma dimensão específica a esta descrição geral, mas, em todos os casos, se pode dizer que a "espiritualidade" «traduz uma dimensão do homem, enquanto é visto como ser naturalmente religioso, que constitui, de modo temático ou implicito, a sua mais profunda essência e aspiração
Ela é a relação natural do homem com Deus. Pessoas espiritualizadas são aquelas que compreendem que são espíritos, feitos muito mais do que de matéria. A Espiritualidade não está diretamente ligada com nenhuma religião em específico, representando assim qualquer ligação do ser humano com seu criador. É diferente de religião, pois não apresenta dogmas ou crenças em específico, sendo assim sinônimo de libertação. Representa, também, o desapego com os bens materiais e com pessoas. O maior objetivo de todas as pessoas é o amor incondicional, desapegado e sem críticas ou julgamentos.
Espiritualidade é um estado de consciência; é reconhecer em si a Vida, e a mesma Vida em tudo e em todos. É consciência não-condicionada pela mente. É consciência livre da mente, para ser o que é: não aquilo que pensamentos e crenças dizem ser.
As palavras em um ensinamento espiritual apenas apontam para o estado de consciência essencial do ser humano.
Alcançado esse estado de consciência, o ser humano vive a vida na Terra a partir dessa liberdade, expansividade e mestria sobre a realidade interna e externa, pois está alinhado com a essência daquilo que o criou: a vasta inteligência criativa que permeia e dá Vida a todo o Universo.



Fonte: Wikipédia

Um ano de trajédias

Fontr:Google imagens

2010 é um daqueles atipicos e preocupantes. Tiveram várias catátrofes, o que nos faz lembrar o quanto somos frágeis frente a fúria da natureza. Teve os deslizamentos em Cabo Frio na virada do ano, Terremoto no Haiti, Terremoto no Chile, no Norte do México, no Japão e agora um na Ilha da Sumatra. Tivemos mais de 50 dias de chuvas que paraou São Paulo e hoje foi a vez do Rio de Janeiro ficar a mercê da tempestade. Teve inundações por muitas partes do mundo e cabe a lembrar aqui a de Machu Picchu e em vários destes aconteciimentos ocorrerm perdas de vida humana, basta lembrar do Haiti. Este ano o calor foi mais intenso e o frio mais severo e nos perguntamos, isso é cíclico ou apenas uma ocorrência anormal. Mas o qeu parece mesmo é que o planeta está dando uma certa ajustada para manter em seu equilíbrio. Com todos esses acontecimentos a lenda de 2012 toma força, mas entendo que se trata de mais um curso natural do mundo por isso é necessário estarmos atentos e as autoridades trabalharem para criarem cada vez mais condições de amenização das consequências desses problemas.

Fome no mundo. O que fazemos para conter?

Foto: Google imagens


“Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.” (Artigo XXV / Declaração Universal Dos Direitos Humanos)


Estatísticas da Fome



Há 800 milhões de pessoas desnutridas no mundo, um bilhão de pessoas passando fome, 30 mil crianças morrem de fome a cada dia, 15 milhões a cada ano, um terço das crianças dos países em desenvolvimento apresentam atraso no crescimento físico e intelectual, 1,3 bilhão de pessoas no mundo não dispõe de água potável, 40% das mulheres dos países em desenvolvimento são anêmicas e encontram-se abaixo do peso. Uma pessoa a cada sete padece fome no mundo. A cada dia 275 mil pessoas começam a passar fome ao redor do mundo. O Brasil é o 9º país com o maior numero de pessoas com fome, tem 15 milhões de crianças desnutridas. 45% de suas crianças, menores de cinco anos sofrem de anemia crônica.



O Brasil é o 5º país do mundo em extensão territorial, ocupando metade da área do continente sul-americano. Há cerca de 20 anos, aumentaram o fornecimento de energia elétrica e o número de estradas pavimentadas, além de um enorme crescimento industrial. Nada disso, entretanto, serviu para combater a pobreza, a má nutrição e as doenças endêmicas. Em 1987, no Brasil, quase 40% da população (50 milhões de pessoas) vivia em extrema pobreza. Nos dias de hoje, um terço da população ainda é mal nutrido, 9% das crianças morrem antes de completar um ano de vida e 37% do total são trabalhadores rurais sem-terras.



Enquanto o consumo diário médio de calorias no mundo desenvolvido é de 3.315 calorias por habitante, no restante do globo o consume médio é de 2.180 calorias diárias por habitante. Metade dos habitantes da Terra ingere uma quantidade de alimentos inferior às suas necessidades básicas. Cerca de um terço da população do mundo ingere 65% dos alimentos produzidos. A quarta edição do Inquérito Mundial sobre Agricultura e Alimentação, patrocinado pela ONU em 1974, concluiu: “Em termos mundiais, a quantidade de alimentos disponíveis é suficiente para proporcionar a todos uma dieta adequada”.



O aumento dos preços dos alimentos fez o número de famintos no mundo crescer 40 milhões para 963 milhões de pessoas em 2008, ante o ano passado, de acordo com dados preliminares divulgados hoje pela ONU para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês). A entidade advertiu que a crise econômica mundial pode levar ainda mais pessoas a essa condição. Levando em conta dados do US Census Bureau, departamento de estatísticas do governo norte-americano, que contam a população mundial em 6,7 bilhões de pessoas, o número de famintos representa 14,3% do total.



Em 2007, no planeta havia 860 milhões de famintos; em janeiro de 2009 109 milhões mais. A metade da população africana subsahariana, por citar um exemplo dessa África crucificada, mal vive na extrema pobreza. A ladainha de violência e desgraças provocadas é interminável. No Congo há 30 mil meninos-soldados dispostos a matar e a morrer a troco de comida; 17% da floresta amazônica foram destruídos em cinco anos, entre 2000 e 2005; o gasto da América Latina e do Caribe em defesa cresceu um 91%, entre 2003 e 2008; uma dezena de empresas multinacionais controla o mercado de semente em todo o mundo. Os Objetivos do Milênio se evaporaram na retórica e em suas reuniões elitistas os países mais ricos dizem covardemente que não podem fazer mais para reverter o quadro.



“Quase cem mil mortes diárias no planeta se devem à fome. Dentre elas, 30 mil são de crianças com menos de cinco anos. Mais do que três torres gêmeas por dia que se desmoronam em silêncio, sem que ninguém chore ou construa monumentos”, declarou à swissinfo Carlos Alberto Libânio Christo, mais conhecido como Frei Betto.



Essas são algumas das estatísticas da fome que o mundo se acostumou a acompanhar de tempos em tempos. Todavia a fome segue matando de maneira endêmica em muitas regiões do globo.



Um mundo livre da fome



Nós, do Planeta Voluntários buscamos um mundo sem fome e desnutrição – um mundo no qual cada uma e todas as pessoas possam estar seguras de receber a comida que necessitam para estar bem nutridas e saudáveis. Nossa visão é a de um mundo que protege e trabalha para que haja assistência social e dignidade humana para todas os povos. Um mundo no qual cada criança pode crescer, aprender e florescer, e desenvolver-se como membro ativo da sociedade.

Fonte: O brasileirinho.com.br

Ideologia

Fonte:Google imagens



Ideologia é o conjunto de idéias, conceitos e comportamentos que prevalecem sobre uma sociedade. Seu objetivo é encobrir as divisões existentes na sociedade e na política, mostrando uma forma maquiada de indivisão.
A ideologia funciona invertendo os efeitos e as causas, resultando em imagens e sintomas, produzindo uma utopia social, usando o silêncio para encobrir a incoerência.
Podemos exemplificar a ideologia com a afirmação de que o adultério é crime, que o homossexual é pervertido e que o futebol é coisa do homem. O que a ideologia encobre?
Encobre o vínculo entre compromisso e sexo, no primeiro caso, o preconceito pela escolha sexual diferente e o uso do sexo para prazer e não para procriar, segundo caso, e a discriminação ainda existente com o sexo feminino, último caso.

Ideologia no pensamento Marxista (materialismo dialético) é um conjunto de proposições elaborado, na sociedade burguesa, com a finalidade de fazer aparentar os interesses da classe dominante com o interesse coletivo, construindo uma hegemonia daquela classe. A manutenção da ordem social requer dessa maneira menor uso da violência.

A ideologia torna-se um dos instrumentos da reprodução do status e da própria sociedade.
O método precípuo da ideologia é a utilização do discurso lacunar (Althusser). Nesse, uma série de proposições, nunca falsas, sugere uma série de outras, que são. Desse modo, a essência do discurso lacunar é o não dito (porém sugerido).

Exemplo: 'Todos são iguais perante a lei' (verdade, numa sociedade burguesa) sugere que todos são iguais no sentido de terem oportunidades iguais (o que é falso, devido à propriedade privada dos meios de produção).
Formas ideológicas correspondentes aos estágios de desenvolvimento:
estágio extensivo <--> liberalismo
estágio intensivo <--> social democracia
capitalismo contemporâneo
(ou tardio, ou crise atual) <--> neoliberalismo


A ideologia surge na produção intelectual e acadêmica, é consolidada nas instituições e divulgada na imprensa especializada e diária (Exemplo).
* * *
A sociedade de elite não produz sua ideologia, 'importa' elementos da ideologia liberal, sem as condições concretas em que aquela foi produzida. A ideologia da elite adquire suas feições peculiares em decorrência desse processo.

Ideologia
Cazuza
Composição: Cazuza / Frejat

Meu partido
É um coração partido
E as ilusões
Estão todas perdidas
Os meus sonhos
Foram todos vendidos
Tão barato
Que eu nem acredito
Ah! eu nem acredito...

Que aquele garoto
Que ia mudar o mundo
Mudar o mundo
Frequenta agora
As festas do "Grand Monde"...

Meus heróis
Morreram de overdose
Meus inimigos
Estão no poder
Ideologia!
Eu quero uma prá viver
Ideologia!
Eu quero uma prá viver...

O meu prazer
Agora é risco de vida
Meu sex and drugs
Não tem nenhum rock 'n' roll
Eu vou pagar
A conta do analista
Prá nunca mais
Ter que saber
Quem eu sou
Ah! saber quem eu sou..

Pois aquele garoto
Que ia mudar o mundo
Mudar o mundo
Agora assiste a tudo
Em cima do muro
Em cima do muro...

Meus heróis
Morreram de overdose
Meus inimigos
Estão no poder
Ideologia!
Eu quero uma prá viver
Ideologia!
Prá viver...

Pois aquele garoto
Que ia mudar o mundo
Mudar o mundo
Agora assiste a tudo
Em cima do muro
Em cima do muro...

Meus heróis
Morreram de overdose
Meus inimigos
Estão no poder
Ideologia!
Eu quero uma prá viver
Ideologia!
Eu quero uma prá viver..
Ideologia!
Prá viver
Ideologia!
Eu quero uma prá viver

segunda-feira, 5 de abril de 2010

História de vida no cotidiano

foto:Google Imagens


Em 1978, morava na periferia de minha cidade e nos finais de semana acompanhado de um amigo costumávamos fazer noitada. Ficavamos na rua até tarde da madrugada conversando, as vezes com outros mas geralmente estávamos os dois sozinho. Um certo sábado, caiu uma chuvarada das boas e já eram mais de meia noite, quando voltávamos para casa encontramos um cidadão caido de bêbado. A gente sempre metido a solidariedade, resolvemos dar uma ajuda ao bêbado que mal se aguentava de pé. Então um do lado e o outro do  outro apoiamos o cidadão nos ombros e iamos perguntando: - onde mora? e mais ali´adiante e este ali adiante nunca chegava, então entramos numas ruas esburacadas cheia de lama, onde chegamos até cair. Bom,  fomos até que conseguimos chegar na casa do cidadão. Batemos na porta a mulher dele apareceu e explicamos que havíamos encontrado caido numa esquina e que resovemos levá-lo para casa.
A mulher a agradeceu e entramos para colocar o cidadão no sofá. O Dito pareceu ficar bom rapidinho e começo a acusar eu e meu amigo de ter roubado a carteira dele. Ficamos indignado e nunca mais levei bêbado para casa.

Dar esmolas, certo ou errado?

foto: Google imagens

Em 1979 eu ia de ônibus para o trabalho até o centro da cidade. Próximo ao ponto final do ônibus tinha um bar onde eu costumava tomar um café com leite seguido de um pedaço de bolo. Fazia isso todos os dias. Um certo dia ao tomar o café, como sempre fazia, aproximou um cidadão desses que fica pela rua o qual me pediu um trocado para comer um pão. Ao invés de dar o dinheiro pedi ao garçon que fizesse um sandwich e desse ao cidadão. E foi minha surpresa que o mesmo não aceitou e completei: Te dou o lanche mas dinheiro limpo não. O cidadão saiu resmungando e nunca me esqueci dessa cena.
Desde esse dia sempre tive como prática essa ação. Se alguém me pede dinheiro ofereço comida. Pois quando é oferecido em dinheiro sempre é feito mal uso do mesmo.

Lição de vida

Foto:Google imagens


Numa cidade do interior um casal se separou depois de uma gravidez não planejada.
Os dois eram jovens e ela dependia da família para viver. Os pais sabendo do caso colocaram-a para fora de casa.
O Rapaz mudou-se para uma cidade distante e o pouco de contato que tinha era através de cartas e algumas fotos.
A Jovem teve o filho e o criou mediante grandes dificuldades.
Assim passaram-se 15 anos e o homem resolveu visitar e marcou com a ex que esperasse na rodoviária. E no dia marcado ele estava lá desembarcando e por destino ao descer do ônibus foi assaltado por um rapaz. Ele não pensou duas vezes sacou de arma, qual sempre carregava, e atirou no ladrão. O tiro foi fatal.
A mulher que lhe esperava ao ver o acontecido, correu ao seu encontro em prantos e gritava. – Meu deus o que fez você? Como é que pode matar o seu próprio filho.

Haiti





Haiti

Caetano Veloso e Gilberto Gil


Quando você for convidado pra subir no adro
Da fundação casa de Jorge Amado
Pra ver do alto a fila de soldados, quase todos pretos
Dando porrada na nuca de malandros pretos
De ladrões mulatos e outros quase brancos
Tratados como pretos
Só pra mostrar aos outros quase pretos
(E são quase todos pretos)
E aos quase brancos pobres como pretos
Como é que pretos, pobres e mulatos
E quase brancos quase pretos de tão pobres são tratados
E não importa se os olhos do mundo inteiro
Possam estar por um momento voltados para o largo
Onde os escravos eram castigados
E hoje um batuque um batuque
Com a pureza de meninos uniformizados de escola secundária
Em dia de parada
E a grandeza épica de um povo em formação
Nos atrai, nos deslumbra e estimula
Não importa nada:
Nem o traço do sobrado
Nem a lente do fantástico,
Nem o disco de Paul Simon
Ninguém, ninguém é cidadão
Se você for a festa do pelô, e se você não for
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui
E na TV se você vir um deputado em pânico mal dissimulado
Diante de qualquer, mas qualquer mesmo, qualquer, qualquer
Plano de educação que pareça fácil
Que pareça fácil e rápido
E vá representar uma ameaça de democratização
Do ensino do primeiro grau
E se esse mesmo deputado defender a adoção da pena capital
E o venerável cardeal disser que vê tanto espírito no feto
E nenhum no marginal
E se, ao furar o sinal, o velho sinal vermelho habitual
Notar um homem mijando na esquina da rua sobre um saco
Brilhante de lixo do Leblon
E quando ouvir o silêncio sorridente de São Paulo
Diante da chacina
111 presos indefesos, mas presos são quase todos pretos
Ou quase pretos, ou quase brancos quase pretos de tão pobres
E pobres são como podres e todos sabem como se tratam os pretos
E quando você for dar uma volta no Caribe
E quando for trepar sem camisinha
E apresentar sua participação inteligente no bloqueio a Cuba
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui