domingo, 30 de maio de 2010

Cientistas resolvem mistérios de Marte com décadas


Google imagens

Novos dados da sonda de reconhecimento de Marte (Mars Reconnaissance Orbiter) ajudaram os cientistas a resolver mistérios com várias décadas e a recolherem novas informações acerca das mudanças climáticas no planeta, de acordo com um comunicado da NASA.
Os cientistas conseguiram reconstruir a formação de duas características no norte do planeta: várias espirais e um abismo gigantesco. Os dados recolhidos pelo SHARAD (instrumento da sonda) permitiram a análise da camada de gelo no pólo norte do planeta.
Na Terra, as grandes placas são formados pelo fluxo de gelo, mas em Marte são pilhas de gelo e camadas de poeira que podem ir até três quilómetros de profundidade, numa área ligeiramente maior que o Texas. No computador, os cientistas puderam observar como as camadas evoluíram ao longo do tempo.
Um dos aspectos mais distintos no pólo norte é a Chasma Boreale, uma depressão tão grande como o Gand Canyon, mas mais profunda. O estudo indica que esta depressão se formou com a acção do vento ao longo de milhões de anos.
As placas de gelo não são compostas por camadas planas, mas sim camadas com diferentes espessuras e orientações, que registam o histórico de acumulação de gelo, erosão e acção do vento.
«Os fenómenos anómalos ficaram sem explicação durante 40 anos porque não conseguíamos ver o que estava abaixo da superfície. É muito gratificante que, com este novo instrumento, possamos finalmente ter explicações», afirmou o cientista Roberto Seu.

Fonte: iol.pt




Nenhum comentário:

Postar um comentário