sábado, 29 de maio de 2010

Falta de formação eleva desemprego entre jovens

Google imagens


Pesquisas mostram que a população com menos experiência é a mais prejudicada pela falta de espaço no mercado de trabalho
As maiores empresas do País enfrentam problemas para selecionar mão-de-obra qualificada. Pesquisa feita pela Fundação Dom Cabral com 76 empresas selecionadas em rankings que apontam as maiores e melhores empresas brasileiras revela que, apesar de elas estarem retomando os investimentos após a crise econômica do ano passado, não encontram pessoas prontas para ocupar os postos de trabalho que possuem.
Os dados mostram que 67% delas enfrentam dificuldades na contratação de pessoal. Os engenheiros e os técnicos em diferentes áreas, como transporte, siderurgia, indústria automobilística, são os mais procurados e menos encontrados. Paulo Resende, coordenador do Núcleo de Infraestrutura da Fundação Dom Cabral e responsável pelo estudo, afirma que os jovens são os mais prejudicados.
“O sistema universitário brasileiro não acompanhou, em termos de especializações, as mudanças ocorridas no mundo corporativo. Hoje, continuamos a descarregar no mercado um excesso de profissionais para os quais não existe uma demanda forte”, avalia. Segundo Resende, os cursos de engenharia deixaram de ser atraentes para os estudantes na última década. Agora, faltam profissionais da área.
Resende conta que 80% das empresas que responderam ao estudo estão retomando os investimentos para aumentar a capacidade de produção. Para concretizar os planos, precisam de engenheiros de produção, escassos no mercado. “Outra grande dificuldade das empresas está na contratação de técnicos. Há tecnologias hoje que seriam facilmente assimiladas por esses jovens, que fariam diferença. Mas, infelizmente, incutiram na cabeça dos jovens que só ter diploma universitário é o que interessa”, lamenta.
`
Precisa de uma política firme na área de educação e formação profissional para qualificar a mão de obra importante para o mercado de trabalho.

Ultimo segundo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário