sexta-feira, 28 de maio de 2010

Fóssil gera debate sobre início da evolução humana


Paleontólogos discutem se o Ardipithecus ramidus, descoberto recentemente, é realmente um ancestral dos seres humanos

No ano passado, um fóssil chamado Ardi chacoalhou os especialistas em evolução humana, Agora, alguns cientistas levantam dúvidas sobre o que exatamente a criatura da Etiópia foi e em que tipo de paisagem ela viveu. Estes estudos serão publicados na revista científica Science desta semana, que no ano passado declarou a apresentação do fóssil de 4,4 milhões de anos a descoberta do ano.

Ardi, diminutivo de Ardipithecus ramidus, foi considerado em outubro de 2009 um novo ponto no início da evolução humana. Os pesquisadores concluíram que Ardi andava ereta (o esqueleto pertencia a uma fêmea), em vez de se apoiar nas articulações das mãos como os alguns macacos, e vivia nas florestas em vez das savanas africanas. Sua aparência tinha pouco a ver com os atuais chimpanzés, os parentes mais próximos do homem.
O paleontólogo Tim White, da Universidade da Califórnia, um dos cientistas que descreveram Ardi, diz não se surpreender com o debate. “Era de se esperar,” diz. “Sempre que aparece algo incomum como Ardi, isso vai acontecer”.


Fonte: Ultimo Segundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário