quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Boatos e mentiras que, de tanto serem repetidas, acabam ganhando credibilidade.


A história da internet é recheada de boatos e mentiras que, de tanto serem repetidas, acabam ganhando credibilidade. É difícil encontrar alguém que não conheça algum boato ou mesmo que já tenha acreditado, mostrado aos amigos e jurado de pé junto que aquilo era verdade.

Sejam correntes de email (inclua-se aí o uso também de ferramenta como redes sociais para isso) com mensagens que prometem prêmios para quem repassar ou desgraças para quem não encaminhar, vídeos no YouTube, imagens, sites gratuitos que se tornarão pagos... enfim, há uma infinidade de boatos circulando por toda a web.

Por que mentir é mais fácil do que desmentir?

A internet se destaca dentre os meios de comunicação da atualidade por ser descentralizada, ou seja, qualquer um pode acessar e criar conteúdo de maneira indiscriminada. Isso abre brechas para diversas formas de atuação dentro da rede, como a criação de boatos.
O fato é que ao ver uma mensagem espantosa, uma pessoa provavelmente mostrará para seus amigos e colegas, ou seja, ela se espalha pela internet em progressão geométrica e atinge milhares de internautas em poucos dias. O movimento contrário, o da verdade, porém, é mais complicado.
Isso se deve, talvez, ao fato de que as pessoas não se esforçam tanto para fazer espalhar o boato desmentido. Além disso, na grande maioria das vezes o boato é uma piada ou brincadeira inventada por alguém que dá um jeito de espalhar a notícia na rede e dependendo do seu conteúdo não existe a confirmação se aquilo é mito ou verdade.

Principalmente quando vivemos uma época eleitoral onde pessoas criam fatos sobre seus opositores e soltam na rede como verdade. Como geralmente ninguém chega fonte acaba como fato e em muitos as fontes são criadas para dar a ilusão de credibilidade através de manipulações. Muitas chegam ao cúmulo de refletir preconceitos e idéias da idade média. E tudo isso impede da visão clara e real dos fatos. Por isso fique sempre esperto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário