quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Argentina faz clonagem de cavalo inédita na América Latina


O clone de um cavalo da raça crioula, destinado a competições esportivas, foi obtido na Argentina, um feito inédito na América Latina, anunciou esta terça-feira o laboratório privado produtor em Buenos Aires.
"O primeiro clone equino viável da América Latina, chamado 'BS Ñandubay Bicentenario', nasceu em 4 de agosto em uma cabana da cidade de Baradero (a 150 km ao norte de Buenos Aires)", disse em entrevista a jornalistas Marcelo Argüelles, presidente da empresa Bio Sidus, que manteve a experiência em sigilo até o anúncio.
"[A Argentina] se tornou, desta forma, um dos três países capazes de reproduzir cavalos de alta qualidade mediante a clonagem", disse um dos cientistas do Sidus, Andrés Bercovich, à AFP --os outros são Itália e Estados Unidos.
Esta tecnologia de clonagem é de particular importância para cavalos de competições esportivas como salto, polo e 'endurance' (prova de resistência), disse Bercovich.
Até o momento foram "mais de 30 exemplares equinos" nos centros dos Estados Unidos e da Itália pelo método de clonagem antes de 'BS Ñandubay Bicentenario', disse um funcionário do laboratório.
O potrinho, que goza de perfeita saúde, foi clonado a partir de células de pele de um premiado cavalo crioulo, chamado Ñandubay.
Os responsáveis destacaram que a tecnologia aplicada "permitirá obter clones equinos com as mesmas características do exemplar de elite doador", mas destacaram que a diferença é que agora terá capacidade reprodutiva.
"Muitos destes animais são campeões de polo, mas são castrados porque, desta forma, é mais fácil domá-los", explicou Daniel Salamone, do laboratório de Biotecnologia Animal da estatal Faculdade de Agronomia, que participou do projeto.
Salamone disse que os cavalos de polo crioulos da Argentina, onde este esporte tem forte tradição entre setores de alto nível econômico, são muito apreciados no mundo e acrescentou que, na Europa, se interessam muito pelos exemplares de salto.
O ministro argentino de Ciência de Tecnologia, Lino Barañao, presente na entrevista, disse por sua vez que, do ponto de vista científico, esta clonagem não apresenta risco algum para a saúde do animal ou para o ambiente.
O Laboratório de Genética Veterinária da Universidade da Califórnia (oeste dos Estados Unidos), considerado o centro de referência mundial em estudos genéticos de equinos, certificou o processo de clonagem, segundo documento exibido pelos encarregados do projeto.



Fonte: Folha de SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário