segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Nero 10 free


"O Nero enxugou a versão 10 e a disponibilizou totalmente de graça, com as melhores funções do programa."
Embora o Nero continue um dos nomes mais famosos quando o assunto é gravação de dados, o programa tem perdido espaço para alternativas que, embora nem sempre atuem de forma eficiente, tem como principal atrativo a gratuidade. Para resolver esse problema, surge o Nero BurnLite 10, que permite realizar as principais funções do programa sem a cobrança de nenhuma taxa.
A ideia da versão BurnLite é manter somente as funções básicas de um programa do tipo: gravar discos de dados e permitir a cópia de discos. Adquirir uma licença é necessário somente para habilitar recursos avançados, como a gravação de músicas em alta qualidade ou apresentações de vídeos e fotos

Download clique aqui



Fonte Baixaki

São Paulo tem "corrida" inédita por testes de HIV


A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo registrou neste mês de janeiro procura recorde por testes de HIV em seu Centro de Referência em DST/Aids, na capital paulista.
Foram feitos 750 testes até o último dia 27. A busca mais que dobrou se comparada com o mesmo período no ano passado, que registrou a realização de 336 exames. O número de testes realizados na unidade em um único mês é inédito.
Além disso, quase triplicou a realização do teste por pessoas em situação de maior vulnerabilidade da doença. No último mês 37 exames tiveram resultado positivo, enquanto em janeiro de 2010 houve 13 resultados positivos.
“Outro aspecto interessante observado neste último mês é que a maioria das pessoas preferiu o teste rápido e não o convencional”, afirma o médico Artur Kalichman, coordenador-adjunto do CRT-DST/Aids. Ele diz que a “corrida” pelo teste pode estar relacionada à maior visibilidade que o assunto vem tendo nos veículos de comunicação.
Das 750 sorologias realizadas no CRT-DST/Aids, 673 foram exames rápidos, o que representa quase 90% do total testes feitos pelo serviço.
O teste rápido de HIV permite a população participante obter o resultado em aproximadamente 15 minutos a partir da coleta de sangue. Os exames de HIV estão disponíveis gratuitamente à população pelo SUS (Sistema Único de Saúde).
É muito importante que as pessoas façam o teste desde que mantenham relação sexual sem o uso de preservativos, independente de ter uma relação estável ou não. Caso tenha alguns destes sintomas; febre alta, diarréia constante, crescimento dos gânglios, perda de peso procure o posto de saúde mais próximo e peça para fazer o teste.

Serviço: Disque-DST/Aids — Informações: 0800-16-25-50.

<a href="http://video.br.msn.com/?mkt=pt-br&vid=a0791448-ed72-4d77-ba97-b9236b4ec24e&from=pt-br&fg=dest" target="_new" title="Como não estacionar">Vídeo: Como não estacionar</a>

Viola Enluarada


Viola Enluarada


Marcos Valle
Composição: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle


A mão que toca um violão

Se for preciso faz a guerra,

Mata o mundo, fere a terra.

A voz que canta uma canção

Se for preciso canta um hino,

Louva à morte.

Viola em noite enluarada

No sertão é como espada,

Esperança de vingança.

O mesmo pé que dança um samba

Se preciso vai à luta,

Capoeira.

Quem tem de noite a companheira

Sabe que a paz é passageira,

Prá defendê-la se levanta

E grita: Eu vou!

Mão, violão, canção e espada

E viola enluarada

Pelo campo e cidade,

Porta bandeira, capoeira,

Desfilando vão cantando

Liberdade.

Quem tem de noite a companheira

Sabe que a paz é passageira,

Prá defendê-la se levanta

E grita: Eu vou!

Porta bandeira, capoeira,

Desfilando vão cantando

Liberdade.

Liberdade, liberdade, liberdade...

 
Para ouvir a música clique aqui

domingo, 30 de janeiro de 2011

Calor e sentimento

Faz muito calor e quem não tem ar condicionado não suporta a situação.
Talvez este tenha sido o ano mais quente entre tantos outros.
O calor perturba um pouco deixa a todos exauridos.
Mas a calor que é necessário para a vida.
O calor que aquece o alimento.
O calor que aquece o produto a ser moldado.
Principalmente o calor que aquece a diversidade.
Que aquece o relacionamento individual ou humano.
Sem calor não havia vida.
Pois não germinava a semente.
Sendo o calor na dose certa acerta a vida sempre.

Egípcios mantêm protestos; Mubarak é pressionado por aliados


O Egito está no início de uma nova era, afirmou neste domingo Mohamed ElBaradei, designado pela oposição para negociar com o regime do presidente Hosni Mubarak, que enfrenta onda de protestos da população e uma crescente pressão de seus aliados ocidentais.
Milhares de pessoas voltaram às ruas do Cairo neste domingo, pelo sexto dia consecutivo, para exigir a renúncia de Mubarak, assim como do vice-presidente Omar Suleiman e do premiê Ahmed Shafiq, dois militares nomeados na véspera pelo presidente com a expectativa de conter a onda de descontentamento que já deixou ao menos 125 mortos.
Laicos e islamitas, jovens e velhos: a onda de protestos, que também ocorre em outras grandes cidades do Egito como Alexandria e Suez, é de longe a maior e mais importante desde 1981, quando Mubarak chegou ao poder.
A união nas ruas traduziu-se no plano político, com a designação de ElBaradei como encarregado de negociar com o regime, em nome de uma Coalizão Nacional pela Mudança, que reúne várias formações opositoras, entre elas a Irmandade Muçulmana.
O ex-diretor geral da agência nuclear da ONU (AIEA) e Prêmio Nobel da Paz apresentou-se à noite na praça Tahrir, epicentro da rebelião, repleta de manifestantes, apesar do toque de recolher que a princípio era das 16h00 locais às 08h00 e que neste domingo foi ampliado para o período das 15h00 às 08h00.
Foi recebido aos gritos de "o povo quer a queda do presidente" e "sacrificaremos nossa alma e nosso sangue pela pátria".
ElBaradei tentou acalmar os manifestantes: "peço que tenham paciência, a mudança chegará", disse, apesar de assegurar que o "Egito está no início de uma nova era".
Os Estados Unidos, que consideram Mubarak como um de seus principais aliados na região, pediram para o presidente, de 82 anos, ir mais longe com as mudanças e começar a pensar na "transição", depois de três décadas no poder.
"Desejamos ver uma transição ordenada. Demandamos insistentemente ao governo de Mubarak, que ainda está no poder (...), que faça o que for necessário para facilitar este tipo de transição ordenada", disse a secretária de Estado, Hillary Clinton.
A comunidade internacional acompanha com ansiedade os acontecimentos no Egito, o mais povoado dos países árabes (80 milhões de habitantes), que desempenha papel fundamental no diálogo entre israelenses e palestinos.
O presidente do Parlamento, Fathi Sorur, prometeu que os resultados das legislativas do ano passado, denunciadas como fraudulentas pela oposição, serão "corrigidos" com decisões judiciais. Nesse pleito, o Partido Nacional Democrata de Mubarak obteve mais de 80% das cadeiras.
O país está paralisado, com os bancos e a bolsa fechados (o domingo é dia útil no Egito), grande quantidade de postos de gasolina com estoques esgotados e muitos caixas eletrônicos vazios.
A situação interna é caótica nos últimos dias, com saques e fugas de milhares de presos durante a madrugada de domingo, muitos deles líderes islâmicos, de diversas prisões que ficaram sem guardas ou que foram tomadas por detentos amotinados.
Dezenas de corpos estavam na calçada perto de uma prisão a 100 km ao norte do Cairo, comprovou a AFP.
O exército anunciou neste domingo que tinha capturado em torno de 3.000 fugitivos e saqueadores.
Os moradores organizaram comitês de defesa que durante a noite patrulham com fuzis e barras de ferro a cidade de 20 milhões de habitantes, onde não parece restar nenhum policial, apesar de nas últimas horas haver uma presença maior de militares.
Várias agências de viagens suspenderam o envio de grupos de turistas.
Muitos países - entre eles Arábia Saudita, Índia e Turquia - enviaram aviões para repatriar seus cidadãos.
A embaixada dos Estados Unidos anunciou que iniciaria as repatriações na segunda-feira.
No aeroporto do Cairo, uma multidão de estrangeiros e egípcios aglomerava-se para tentar conseguir um voo para sair do país.
As autoridades egípcias proibiram neste domingo todas as atividades da emissora do Qatar Al-Jazeera, que estava cobrindo amplamente os protestos.



Terra

Canto de liberdade

Quero ser livre como pássaro

Voar pelos vastos arvoredos

E pousar nas rústicas palmeiras

Bailar sobre as serras verdejantes

Cantar com os sabiás

O meu canto sorrateiro

Vou dançar nos campos floridos

Beber da água doce da fonte

No fim das tardes penumbras

Contar o segredo da vida



Quero deitar nos braços da noite

No colo da relva adormecer

O sol acariciando o meu rosto

Ao despertar do amanhecer



Despojarei do meu velho manto

Remexo todo meu ser

Deixo minha alma soluçar

Faço do poema o meu pranto



Sou como um barco à deriva

Deixo as ondas me levar

Quero ouvir o canto da sereia

Contemplar a lua cheia

Beijar o mar.





 Maria da Conceição do Amparo Alves

Chuva e sentimento

Chove lá fora e aqui dentro estou escrevendo para esquecer você.
Não sei, mas já faz um tempo que tento isso e muitas vezes em vão.
A chuva me inspira as palavras de despedidas mesmo que sendo apenas no pensamento.
Não saberia dizer como seria pessoalmente.
Na certa ficaria meio nervoso e não saia nenhuma palavra das quais imaginei.
Sabe, o momento em que comecei a gostar de você não poderia imaginar que fosse ficar tão forte assim.
O tempo foi passando e a falta de coragem de falar de meus sentimentos foram acentuando.
Por isso escrevo aproveitando que lá fora a chuva cai intensamente.
Possivelmente tenha alagamentos em alguns lugares.
E um lugar desse é o meu coração mergulhado na decisão de escrever por não ter a coragem de te dizer.
Os minutos parecem horas e procuro encurtar esse tempo para que possam caber as palavras que escrevo.
Poderia reviver tudo outra vez, com a certeza de que não seria superior o sentimento mas seria forte o elemento.
Chove ainda lá fora e os relâmpagos são flashes clareando a razão de me despedir.
Ou mesmo o porque de estar aqui.

sábado, 29 de janeiro de 2011

Chico Anysio segue melhorando, segundo boletim médico


Chico Anysio continua melhorando progressivamente, segundo divulgou o boletim médico na tarde deste sábado (29).
O quadro infeccioso encontra-se controlado e o processo de retirada do respirador está evoluindo, com o paciente respirando cada vez mais tempo sem ajuda mecânica. Ainda assim, não há previsão de alta.
Chico Anysio foi internado há 57 dias com quadros de falta de ar. Com o diagnóstico de artéria obstruída, ele foi submetido a uma angioplastia, e, desde então, está no CTI. O humorista também passou por algumas infecções e pneumonias.



Terra

Demi Moore e Ashton Kutcher são clicados na saída de restaurante em Pinheiros


Depois de jantarem acompanhados por Bia Antony e Ronaldo Fenômeno - e de até mesmo conhecer a mansão do famoso casal brasileiro – Demi Moore e Ashton Kutcher fizeram uma refeição tranquila neste sábado (29).
Os norte-americanos almoçaram no restaurante Mani, no bairro de Pinheiros, em São Paulo. Eles foram clicados pelos paparazzi na saída do estabelecimento e – como de costume – não posaram ou sorriram para os flashes. Os dois estavam acompanhados por Tallulah Willis, uma das filhas de Demi Moore com o ator Bruce Willis.
Demi e Kutcher estão no Brasil para a São Paulo Fashion Week, a semana de moda de São Paulo. O ator de filmes como Cara, Cadê meu Carro? vai subir na passarela da Colcci, ao lado da übermodel Gisele Bündchen.
Sua mulher, Demi Moore, vai acompanhar tudo direto da primeira fila.
O desfile acontece na noite deste domingo (30), no prédio da Bienal do Ibirapuera. A entrada é exclusiva para os convidados da grife.


R7

Saúde: Mais da metade dos paulistas está acima do peso, diz pesquisa


Mais da metade dos paulistanos está gordinha. Um estudo feito pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, entrevistando 250 pessoas no final de 2010, mostra que 59,4% da população de São Paulo está acima do peso.
Dos que já procuraram auxílio médico, 18% foram classificados como obesos, sendo 60,8% de homens e 39,2% de mulheres. De acordo com Pesquisa do Orçamento Familiar, divulgada no final de 2010, o sobrepeso atinge hoje 48% das mulheres e 50,1% dos homens acima de 20 anos. Além disso, 30% das crianças entre 5 e 9 anos de idade e cerca de 20% da população entre 10 e 19 anos também sofrem com problemas de peso.

Número de obesos dobrou em 20 anos

Especialistas dizem que as causas que levam mais da metade da população a estar acima do peso estão vinculadas ao estilo de vida, que apresenta alto consumo energético, excesso de gorduras saturadas e trans, muito sal e tudo isso aliado a pouca atividade física.
A Sociedade de Endocrinologia considera a obesidade o maior problema de saúde pública da atualidade, onde o número de obesos dobrou em 20 anos, o que gera diversos problemas de saúde, como doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e aumento do triglicérides e colesterol.

'BBB 11': enquetes apontam Rodrigo e Michelly fora da casa



As enquetes feitas na internet apontaram Rodrigo e Michelly como os favoritos do público a sair do programa pelo Paredão quádruplo, informou a coluna TV e Lazer do jornal Extra.
Rodrigo passou Rodrigão nas pesquisas feitas na web e Michelly superou Maria na antipatia gerada fora do programa. No Twitter, a tag #foramichelly chegou a aparecer neste sábado

Terra

Egípcios rejeitam discurso de Mubarak e mantêm protestos


O presidente Hosni Mubarak se agarrou ao poder neste sábado, substituindo todos seus ministros num esforço para apaziguar a revolta dos egípcios. Os protestos reúnem dezenas de milhares de pessoas, que exigem o fim do governo de trinta anos.
Mubarak mandou soldados e tanques para a capital Cairo e para outras cidades e impôs toque de recolher, numa tentativa de reprimir os protestos que abalaram a nação mais populosa do mundo árabe, um dos principais aliados dos EUA na região.
Apesar das dezenas de mortes ocorridas durante os confrontos de sexta-feira, o povo voltou às ruas no sábado, desafiando as forças de segurança, dizendo que vão continuar protestando, até que Mubarak saia.
"Não estamos exigindo uma mudança do gabinete. Queremos que todos saiam, Mubarak antes de qualquer um," disse Saad Mohammed, um soldador de 45 anos, que estava entre as cerca de 2.000 pessoas reunidas na praça Tahrir, no centro de Cairo.
Os destroços de um dia de protestos cobriram a capital do Egito na sexta-feira, quando centenas de milhares de pessoas pediram o fim do governo de Mubarak, um evento sem precedentes num país rigidamente controlado.
Prédios do governo, incluindo a sede do partido do governo, ainda estavam em chamas no sábado de manhã depois de terem sido incendiados por manifestantes que desafiaram o toque de recolher para atacar os símbolos do governo de Mubarak.
Os manifestantes, muitos deles jovens estudantes pobres, reclamam da repressão, corrupção e da falta de esperança para a economia sob o comando de Mubarak, que ocupa o poder desde o assassinato do Presidente Anwar Sadat por islamistas, em 1981.
Segundo cálculos da Reuters, ao menos 74 pessoas foram mortas nos protestos.
Mubarak prometeu atender às reclamações dos manifestantes, durante um pronunciamento na televisão na noite de sexta-feira. Ele dissolveu o seu ministério, mas deixou claro que pretende permanecer no poder e condenou a violência.
O ministério se reuniu no sábado para formalizar a mudança.
Até agora, o movimento de protestos parece não ter um líder declarado ou uma organização para representá-lo, caso Mubarak decida dialogar.
Mohamed ElBaradei, proeminente ativista e Prêmio Nobel da Paz pelo seu trabalho com a agência nuclear da ONU, retornou ao Egito, para se juntar aos protestos. Mas muitos egípcios acham que ele não passou tempo suficiente no país.
A Irmandade Muçulmana, um grupo de oposição islâmica, também ficou em segundo plano, apesar de diversos de seus principais membros terem sido convocados. O governo acusou o grupo de pretender explorar os protestos.
O envio de tropas do exército para ajudar a polícia mostrou que Mubarak ainda tem o apoio dos militares, a força mais poderosa do país. Porém, qualquer mudança de opinião dos generais poderá selar o seu destino.
Sábado, as forças armadas ordenaram que os egípcios não se reúnam em grupos e observem o toque de recolher, caso contrário poderão sofrer "sanções legais."
Tanques foram posicionados nas vias que levam à praça Tahrir, que estava cheia de entulho, pneus e madeira queimados, usados como barricadas durante a noite.
O número de manifestantes era bem menor do que nos dias anteriores, mas mesmo assim, eles eram bem ativos.
"Isso é inaceitável, Mubarak deve renunciar. A agitação pública não vai parar até que isso aconteça," disse Mohammed Essawy, um estudante de 26 anos.
Os manifestantes ridicularizaram Mubarak pela demissão de seu gabinete, considerando isso um gesto inútil.

REVOLUÇÃO NO AR

Mahmoud Mohammed Imam, um motorista de táxi de 26 anos disse: "Tudo que ele disse foram promessas vazias e mentiras. Ele nomeou um novo governo de ladrões, um ladrão vai e vem outro para saquear o país."
"Essa é a revolução das pessoas que estão com fome, essa é a revolução das pessoas que não têm dinheiro, contra aquelas que têm muito dinheiro."
A agitação que segue a derrubada do ditador tunisiano Zine al-Abidine Ben Ali, há duas semanas durante uma revolta popular, repercutiu no Oriente Médio, onde outros governantes autocráticos poderão enfrentar desafios semelhantes.
A gota d'água parece ter sido a perspectiva de eleições que deveriam acontecer em setembro. Até agora, poucos duvidavam que Mubarak permaneceria no controle ou traria um sucessor, como o seu filho Gamal, de 47 anos.
Isso também representa um dilema para os EUA. Mubarak, de 82 anos, tem sido um aliado próximo de Washington e beneficiário da ajuda dos EUA há décadas, justificando seu regime autocrático, em parte, citando o perigo da militância islâmica.
O Egito tem um papel importante no processo de paz do Oriente Médio e foi o primeiro país árabe a assinar um tratado de paz com Israel.
O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que falou com Mubarak pouco depois do seu pronunciamento e pediu-lhe para cumprir suas promessas de reforma.
"Quero ser muito claro ao pedir as autoridades egípcias que se abstenham de qualquer violência contra os manifestantes pacíficos," disse Obama.
Autoridades dos EUA deixaram bem claro que a ajuda de US$ 1.5 bilhões estava em jogo.
Os mercados foram atingidos pela incerteza. O mercado de ações dos EUA sofreu a sua maior queda em quase seis meses, e os preços do petróleo, o dólar e os papéis da dívida do tesouro americano subiram, já que os investidores procuraram aplicações mais seguras.



Reuters

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Dilma defende acordo para mínimo e reajuste de R$545

A presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira que, se as centrais sindicais querem a manutenção do acordo para reajuste do salário mínimo, o que o governo oferece para este ano é o valor de 545 reais.
Dilma afirmou ainda que, caso haja algum reajuste da tabela do Imposto de Renda, ele deve ser feito com base na expectativa de inflação futura, e não no índice de preços do ano passado.
"O que queremos saber é se as centrais querem ou não a manutenção do acordo pelo período do nosso governo. Se querem, o que nós propomos para este ano é 545 reais", disse Dilma a jornalistas, em Porto Alegre, depois de encontro o governador Tarso Genro (PT).
O acordo em prática leva em conta a inflação acumulada no ano mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. Como o crescimento da economia em 2009 foi negativo devido à crise internacional, o aumento do salário mínimo em 2011 só conta com a reposição da inflação do ano passado.
Dilma reforçou a importância da manutenção desse acordo, porque ele criou uma metodologia para correção do mínimo.
A presidente disse também que o governo não acha correta a discussão simultânea do reajuste da tabela do
Imposto de Renda e do salário mínimo.
Na quinta-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o governo não estuda uma correção na tabela do IR. Um dia antes, o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, havia afirmado, após reunião com representantes de centrais sindicais, que as duas discussões são desvinculadas, mas que um reajuste do IR poderia ser feito com o índice de 4,5 por cento.
De acordo com Dilma --que não se comprometeu com o reajuste--, os dois ministros não se contradisseram.
"Não concordamos com o que saiu nos jornais e que o reajuste da tabela do Imposto de Renda, se houvesse, fosse feito pela inflação passada."
"Quando se refere a esse reajuste, teria sempre que olhar não a inflação passada, porque isso seria carregar a inércia inflacionária para dentro de uma questão essencial que é o Imposto de Renda", disse Dilma.
"Assim, o que foi dado sempre foi uma mudança baseada na nossa expectativa de inflação futura, que é o centro (da meta) da inflação, os 4,5 por cento."
Segundo ela, "foi isso que o ministro Gilberto Carvalho esclareceu... e o ministro Mantega também falou nesse sentido".
A presidente afirmou que nos últimos oito anos "jamais discutimos" qualquer política de indexação. "E também não discutiremos a partir de agora."



Reuters

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Governo de SP autoriza ampliação do aeroporto de Viracopos


O Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema), vinculado à Secretaria do Meio Ambiente do estado de São Paulo, acatou na manhã de hoje (27) parecer da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e concedeu a licença ambiental para a construção da segunda pista e do segundo terminal do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP).
De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Viracopos recebeu 3,3 milhões de passageiros em 2009. Em 2010, a movimentação foi 63% maior, atingindo 5,4 milhões de passageiros.
No último dia 18, a Infraero deu início aos trabalhos de instalação de um novo módulo operacional ao lado do Terminal 1. O empreendimento, com investimentos da ordem de R$ 5 milhões, devem estar concluídos em 150 dias.
O módulo operacional será composto por oito submódulos e oferecerá a mesma funcionalidade dos terminais tradicionais, como sistema eletrônico de som, pontos comerciais, instalações técnicas, ar condicionado, sanitários e sistema informativo de voos.
No módulo, que também terá área de check-in, serão instaladas 22 posições de atendimento, 11 totalmente adaptadas aos usuários com deficiência física ou mobilidade reduzida. As novas posições possibilitarão o atendimento de 528 passageiros por hora, aumentando para 1.460 o número de check-ins feitos por hora no terminal.





AGÊNCIA BRASIL







Rock In Rio Brasil: Elton John, Rihanna e Katy Perry no dia pop



Rock In Rio Brasil: Elton John, Rihanna e Katy Perry no dia pop
Três "trunfos" internacionais juntam-se à brasileira Claudia Leitte no primeiro dia do evento, dedicado à música pop. Metallica, Slipknot, Coldplay, Red Hot Chili Peppers e Snow Patrol também no Rock In Rio 2011.
A organização do Rock In Rio Brasil, que acontece no Rio de Janeiro este ano, acaba de anunciar os artistas que atuam no primeiro dia do festival, dedicado à música pop.
Elton John (que já tocou no Rock In Rio Lisboa), Katy Perry (na foto), Rihanna e a brasileira Claudia Leitte são os nomes confirmados para dia 23 de setembro.
Anunciados tinham já sido concertos de Red Hot Chili Peppers, Snow Patrol, NX Zero, Stone Sour e Capital Inicial no dia rock (24 de setembro); Metallica, Slipknot, Motörhead, Coheed and Cambria, Sepultura e Angra no dia do metal (25 de setembro) e Coldplay e Skank para o dia alternativo (1 de outubro).


Blitz

Google elimina autocorreção de termos ligados à pirataria


Os esforços das empresas de mídia para barrar a pirataria online agora chegaram ao Google. A empresa está "censurando" termos que facilitem o download de arquivos ilegais no recurso de autocompletar do buscador. Ao começar a digitar palavras como "bittorrent", por exemplo, o usuário não terá mais a sugestão automática com o resto da palavra.
De acordo com o site TechCrunch, a prática não vai dar resultado, já que o usuário pode digitar a palavra até o fim e obter os mesmos resultados na busca, mas causa danos à imagem do Google, uma empresa cujos serviços são aparentemente objetivos.



Terra

Rendimento médio em 2010 é o maior desde 2003


O ano de 2010 apresentou a maior média do rendimento médio mensal habitualmente recebido no trabalho principal desde 2003, apontam dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada nesta quinta-feira pelo IBGE. A renda média atingiu o valor de R$ 1.490,61, um ganho de 3,8% em relação a 2009 (R$ 1.436,69) e 19,0% em relação a 2003 (R$ 1.252,48).
O rendimento médio em Porto Alegre em 2010 foi de R$ 1.447,00, menos do que a média nacional. Entre as Regiões Metropolitanas, é o terceiro maior, atrás de São Paulo e Rio de Janeiro. Em 2009, o valor do rendimento médio havia ficado em R$ 1.357,77.
Ainda de acordo com o IBGE, há disparidades entre os rendimentos de homens e mulheres. Em 2010, em média, as mulheres ganhavam em torno de 72,3% do rendimento recebido pelos homens, situação que não mudou significativamente desde 2003, quando esse percentual era de 70,8%.
De 2009 para 2010, os grupamentos de atividade apresentaram ganho no rendimento do trabalho, sendo que, em termos percentuais, os que mais aumentaram foram os que tinham os menores rendimentos. A construção registrou um aumentou de 10,9% de 2009 para 2010 e de 30,6% em relação a 2003. No serviço doméstico, foi observado ganho de 5,9% de 2009 para 2010. Em relação a 2003, este grupamento teve o maior aumento: 34,8%.
O rendimento domiciliar per capita aumentou 5,5% de 2009 (R$ 934,25) para 2010 (R$ 985,38), e 30,5% entre 2003 (R$ 754,93) e 2010

Zero Hora

Em 2010 desemprego fica em 6,7%, menor taxa desde 2002


O desemprego brasileiro encerrou 2010 com a menor marca desde o início da série histórica do IBGE em 2002. A taxa atingiu 5,3% em dezembro. Na média anual, a taxa ficou em 6,7%, também na mais baixa variação da pesquisa do instituto. Em novembro, a taxa havia sido de 5,7% e, em 2009, de 8,1%.
No mês de dezembro, a taxa de desemprego cai por dois motivos: maior oferta de vagas temporárias e redução da procura por trabalho por conta das festas de final de ano.
Diante disso, a ocupação cresceu 2,9% em dezembro ante o mesmo mês de 2009 e totalizou 22,5 milhões de pessoas. Já o contingente de desempregados caiu 8% em relação a novembro e 21,4% na comparação com dezembro do ano anterior e fechou o ano passado em 1,3 milhão de pessoas.
Ocupação. Na média de 2010, a ocupação subiu 3,5%, contra uma queda de 15% do número de desempregados. O emprego com carteira aumentou 8,1% em dezembro ante o mesmo mês de 2009.
Com esse cenário, houve uma formalização do mercado de trabalho em 2010, que passou a contar com 46,3% de empregados formais no setor privado, ante 44,7% em 2009. Trata-se da maior proporção da série histórica do IBGE.
Já o rendimento teve queda de 0,7% em dezembro ante novembro e encerrou o ano a R$ 1.515,10. Na comparação com dezembro de 2009, houve crescimento de 5,9%. Em 2010, a média ficou em R$ 1.490,61, com alta de 3,8% ante 2009. Trata-se da maior cifra registrada desde 2002.


 
 

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Inscrições no Prouni batem recorde e ultrapassam 1 milhão


Foram registradas mais de 1 milhão de inscrições no Programa Universidade para Todos (ProUni) até as 23h59 de terça-feira, dia 25. No ano passado, o programa teve 822.254 candidatos para 165 mil bolsas - até então a maior marca. Neste ano, 1.048.631 candidatos foram aprovados para as 123.170 bolsas de estudo ¿ 80.520 integrais e 42.650 parciais, de 50% da mensalidade  em aproximadamente 1,5 mil instituições de educação superior de todo o país.
O candidato podia escolher até três cursos, elegendo sua prioridade. A lista dos pré-selecionados em primeira chamada será divulgada dia 28 de janeiro. Os estudantes deverão comprovar informações nas instituições de ensino até 4 de fevereiro. No dia 11 de fevereiro, será divulgada a lista dos pré-selecionados em segunda chamada, com prazo de comprovação de documentos até 17 de fevereiro

Terra

Ator John Herbert morre aos 81 anos em São Paulo


O ator John Herbert morreu no início da tarde desta quarta-feira (26), em São Paulo. Ele estava internado desde o dia 5 de janeiro, no Hospital do Coração, após apresentar insuficiência respiratória.
A causa da morte foi enfisema pulmonar. O velório será realizado por volta das 17h desta quarta em São Paulo, no Museu da Imagem e do Som (MIS).
Além da carreira de ator, Herbert também era produtor e diretor. Ele atuou em mais de 30 novelas da TV Globo, como "Que rei sou eu" e "Sinhá moça", sendo a sua última "Três irmãs", de 2008. Ele também esteve em "Sete pecados", reprisada no ano passado pelo "Vale a pena ver de novo".



EPTV

Colômbia: explosão em mina de carvão mata cinco e deixa 30 presos


Uma explosão na mina de carvão de La Preciosa, na fronteira entre a Colômbia e a Venezuela, matou cinco pessoas, feriu oito e deixou pelo menos 30 trabalhadores presos nesta quarta-feira (26). A mina, que fica no Nordeste do país, é apontada como um local arriscado pois já registrou episódios semelhantes no passado. As primeiras estimativas indicam que no momento da explosão havia aproximadamente 50 pessoas trabalhando na mina.
O prefeito de Sardinata (cidade onde está localizada a mina de carvão), Yamile Rangel, confirmou que há 30 mineiros presos no interior da mina em decorrência da explosão. Segundo ele, as investigações preliminares indicam que a explosão foi causada por uma acumulação de gases.
Há quatro anos, houve um acidente semelhante nesta mesma mina que matou 31 mineiros. No ano passado, o Chile protagonizou o resgate de 33 trabalhadores de uma mina no Deserto de Atacama, que ficaram soterrados de agosto a outubro de 2010. Todos os mineiros foram retirados com vida e o resgate foi acompanhamento em tempo real, com transmissão direta do local do acidente, por redes de televisão.

Abril

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Em discurso, Obama irá propor congelamento de gastos


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, usará o seu discurso anual ao Congresso, na terça-feira, para propor um congelamento de gastos públicos, o que no entanto não deve evitar uma dura briga com os republicanos a respeito de como controlar o déficit.
No seu pronunciamento do Estado da União, a partir das 21h (0h de quarta-feira em Brasília), Obama deve salientar a busca de pontos em comum com os republicanos para promover a criação de empregos e o crescimento econômico, lançando a mensagem centrista que deve dominar sua campanha à reeleição no ano que vem.
Horas antes do discurso, a Casa Branca disse que Obama irá reiterar a proposta de uma suspensão de cinco anos nos aumentos de gastos públicos discricionários e não-relacionados à segurança. Isso não afetaria gastos de saúde pública ou previdência, que estão no coração do déficit público norte-americano.
Na verdade, os gastos discricionários, excluindo a verba para segurança, representam apenas 13 por cento do déficit orçamentário federal, de 3,7 trilhões de dólares.
Os republicanos têm pressionado Obama na questão dos gastos nos últimos dias, aproveitando a provável proposta dele de fazer investimentos em áreas específicas, como educação. Os republicanos dizem que "investimento" é um eufemismo democrata para "se endividar e gastar".
"Estou esperançoso de que o presidente tenha ouvido o povo norte-americano", disse o presidente da Câmara dos Deputados, John Boehner. "Estou esperançoso de que a palavra 'investimento' não seja realmente mais gastos para estímulos e um maior governo aqui em Washington. O povo norte-americano sabe que não podemos continuar a nos endividar e gastar para chegarmos à prosperidade."
Depois da dura derrota do seu Partido Democrata na eleição legislativa de novembro, Obama recuperou parcialmente sua popularidade nas últimas semanas, refletindo a cooperação bipartidária com os republicanos na renovação de benefícios tributários.

POSTURA CONCILIADORA

O tom habitualmente hostil da retórica em Washington também foi aplacado nos últimos dias por causa do interesse dos dois partidos em levarem mais civilidade à política, depois do atentado que matou seis pessoas e feriu 13, inclusive a deputada Gabrielle Giffords, neste mês no Arizona.
Familiares de uma menina de nove anos morta no incidente foram convidados para assistir ao discurso com a primeira-dama Michelle Obama, e alguns parlamentares pretendem romper com a prática de se sentarem em blocos partidários no plenário.
Mas os dois partidos mantêm profundas divisões a respeito de como conter o déficit público, que até 31 de março deve atingir o limite máximo previsto em lei, 14,3 trilhões de dólares.
Os republicanos são favoráveis a cortes de gastos, enquanto muitos democratas preferem aumentar impostos sobre os norte-americanos mais ricos. Obama está sob pressão para apresentar suas propostas.
O presidente diz que irá usar o discurso para falar a respeito de medidas que elevem a competitividade dos EUA, gerem empregos e estimulem o crescimento econômico, além de tratar o déficit e a dívida de maneiras "responsáveis."
O desemprego atinge atualmente cerca de 14,5 milhões de norte-americanos, ou 9,4 por cento da força de trabalho. Por isso, a Casa Branca quer garantir que eventuais cortes nos gastos públicos federais não irão abalar a gradual recuperação econômica do país.



Reuters

Mortes na Região Serrana do Rio pode passar dos 1000


É possível que passe de mil o número de mortos na tragédia da região serrana do Rio.
O número de mortos em consequencia das chuvas que atingiram a região serrana do Rio de Janeiro voltou a subir e chegou a 827, dez a mais do que o total divulgado no boletim da Polícia Civil nesta terça-feira.
Segundo o relatório da Polícia Civil, a cidade de Nova Friburgo continua com o maior número de mortes: 399; seguido de Teresópolis com 335; 21 em Sumidouro e quatro em São José do Vale do Rio Preto.
Dados da Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil indicam que 25 mil pessoas estão fora de suas casas, das quais quase 13 mil estão desalojadas (que podem retornar para suas residências quando a situação melhorar) e mais de 12 mil desabrigadas – que perderam tudo e não tem para onde retornar.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Chega a 811 o número de mortos

Chegou a 811 o número de mortos por causa das enchentes e deslizamentos que devastaram a região serrana do Estado do Rio de Janeiro na semana passada, de acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil, prefeituras e Polícia Civil.

Nova Friburgo continua sendo a cidade mais castigada, com 389 mortos, de acordo com números divulgados pela Secretaria de Saúde e Defesa Civil.
Em Teresópolis, foram encontrados 327 corpos; em Petrópolis, 66; e em Sumidouro, 22. Em São José do Vale do Rio Preto foram achados seis corpos, de acordo com a prefeitura local. Em Bom Jardim, foi computada uma morte.



Reuters

sábado, 22 de janeiro de 2011

Número de mortos por chuvas no RJ sobe para 791

O número de mortos na tragédia provocada pela chuva na região serrana do Rio de Janeiro subiu para 791, informou a Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil local neste sábado.
São 386 vítimas fatais em Nova Friburgo, 317 em Teresópolis, 66 em Petrópolis e 22 em Sumidouro.
"A secretaria esclarece que militares da corporação permanecem em campo, ajudando os municípios mais afetados a socorrem as vítimas", acrescentou o boletim.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Mortos por tragédia no RJ passam de 700

Depois de uma semana, os moradores das sete cidades da região serrana do Rio de Janeiro afetadas pelo temporal, que deixou mais de 700 mortos, ainda vivem em um cenário de destruição, enquanto equipes de resgate seguem em busca de vítimas.
Até agora, são ao menos 702 mortes confirmadas. Ainda há pessoas soterradas e, mesmo após uma semana da forte chuva, algumas áreas só são acessadas de helicóptero. Também há problemas no fornecimento de água, energia e serviço de telefonia em certas localidades da região serrana do Rio.
Os ministros da Defesa, Nelson Jobim, da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Integração Nacional, Fernando Bezerra, sobrevoaram a região serrana com o governador do Estado, Sérgio Cabral.
Cabral anunciou que vai desembolsar 30 milhões de reais para custear o aluguel social dos desabrigados das chuvas na região serrana.
'Espero nos 3, 4 primeiros dias de fevereiro já estar pagando a primeira prestação da ajuda social', disse Cabral, acrescentando que as operações de resgate na serra não têm prazo para terminar.
Helicópteros, hospitais de campanha e tropas das Forças Armadas ajudam nos trabalhos de resgate e apoio a vítimas ao lado das equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil. A Força Nacional de Segurança Pública também enviou bombeiros, peritos e policiais militares para a área.
Nova Friburgo é a cidade com maior número de mortos, 335, seguida por Teresópolis, com 285, Petrópolis, com 62, e Sumidouro com 20, segundo dados das autoridades locais. O número de desalojados ou desabrigados na região supera 13 mil.
O governo federal vai criar um linha de crédito especial, com longo prazo e juros baixos, para ajudar na recuperação econômica das cidades da região serrana afetadas pelo temporal, segundo Bezerra.
'Medidas de apoio ao setor produtivo já estão sendo analisadas', disse em entrevista na cidade de Nova Friburgo. Ele anunciou ainda a criação de um grupo ministerial de apoio, com representantes dos ministérios da Integração, Defesa, Justiça e Saúde.
A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços estadual disse acompanhar os prejuízos causados em diversos setores econômicos das cidades atingidas e oferecerá linha de crédito diferenciada para pequenas e microempresas.
'O fenômeno climático que ceifou centenas de vidas impactou fortemente a economia local. Além da vocação agrícola da região, os setores de indústria, comércio e serviços também sofreram', disse o secretário Julio Bueno em comunicado, acrescentando que ainda não é possível avaliar os prejuízos materiais.
De acordo com o secretário, o valor adicionado pelo setor agropecuário nestas cidades é de 268 milhões de reais, enquanto a indústria totaliza 2,1 bilhões de reais e o setor de serviços, 7 bilhões de reais.
A tragédia tem impacto ainda no setor de turismo destes municípios. A atividade turística emprega 12 mil pessoas em Petrópolis, Nova Friburgo e Teresópolis, segundo a secretaria de Desenvolvimento.

ÁREAS DE RISCO

A Defesa Civil mapeou áreas de risco para futuramente retirar as famílias das casas situadas em locais de perigo.
Ao menos 250 casas correm risco somente na cidade de Nova Friburgo. Ao todo, quase 1.500 pessoas vivem nessa áreas de perigo.
'Estamos orientando as pessoas que vivem em locais de nível 4 (máximo de risco) que deixem suas casas. Esse é um trabalho que começou logo depois do temporal, mas ele é lento', disse à Reuters o tenente Rubens Plácido, do Corpo de Bombeiros de Nova Friburgo.
'Tem gente que não quer sair e estamos estudando um meio na Justiça para obter apoio da força policial', acrescentou ele.
A chuva deu uma trégua durante o dia, e com o clima seco, a lama se transformou em barro, mas a poeira levantada pelos carros provoca incômodo aos moradores. No fim da tarde, porém, voltou a chover na região serrana do Rio.



Reuters

Número de mortos na Região Serrana chega a 685


A Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil, com base em balanço parcial do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil estadual, divulgou um boletim as 15h de hoje (18) que mostra que o número de mortos na região serrana do estado do Rio de Janeiro chegou a 685, em consequência da enxurrada da ultima semana.
O número supera em oito o número de vítimas registrados no boletim das 13h. Em Nova Friburgo, cidade mais atingida pela catástrofe, o número de mortos subiu de 320 para 325; em Teresópolis subiu de 278 para 279; e em Petrópolis de 59 para 61 óbitos.
Em todas as cidades da região serrana afetadas, o número de desabrigados e de desalojados permanece o mesmo: 13.830 – dos quais 6.050 dizem respeito aos desalojados e os outros 7.780 aos desalojados.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Chuva prejudica resgate no RJ; mortos passam de 530


O trabalho das equipes de resgate na região serrana do Rio de Janeiro foi dificultado nesta sexta-feira, à medida que as chuvas continuavam a cair na região desde a madrugada ameaçando agravar ainda mais a tragédia que já deixou pelo menos 532 mortos.
Além disso, a previsão do tempo para o fim de semana na região indicava probabilidade de 90 por cento de chuva e algumas áreas onde ocorreram deslizamentos e soterramentos seguiam inacessíveis para as equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil.
Nova Friburgo foi a cidade mais afetada pela tragédia, com 246 mortos, seguida por Teresópolis, com 226, Petrópolis com 41 e Sumidouro com 19, segundo informações de autoridades locais e da Defesa Civil. Esses números devem aumentar, estimam autoridades, uma vez que ainda há dificuldade no resgate em certas áreas.
"A chuva não parou de madrugada e agora de manhã também chove e para, o que dificulta o trabalho de resgate. Ainda temos muitos locais inacessíveis e muita gente soterrada", disse por telefone o tenente Rubens Halfeld Plácido, do Corpo de Bombeiros em Nova Friburgo.
"O número de mortes ainda vai aumentar. Há gente soterrada em todos os lugares, há muito barro, água e lama. Aqui em Nova Friburgo poquíssimos bairros não foram atingidos", acrescentou.
Em Teresópolis, o policiamento foi reforçado após o registro de saques. Uma testemunha contou que policiais armados perseguiram homens suspeitos de assaltarem lojas no centro da cidade, levando pânico aos comerciantes.
Várias lojas fecharam as portas após relatos de um arrastão em diferentes pontos da região central da cidade, segundo o bancário Rapahel Lipowicz.
"A polícia passou aqui na porta correndo atrás dos caras que estavam roubando lojas. Os caras foram presos, mas as lojas acabaram fechando com medo de outros assaltos", disse ele à Reuters por telefone.


CUSTO DE ALIMENTOS

Moradores da cidade contaram à Reuters que o custo de alimentos e de água aumentou em decorrência da escassez. Alguns foram informados pela Cedade que ficarão até cinco dias sem abastecimento de água devido à contaminação da rede.
"Um galão de água está custando 40 reais", disse um morador, quase quatro vezes o preço normalmente cobrado.
Em Nova Friburgo, a população pegava alimentos contaminados pela chuva e descartados por supermercados e mercearias.
A falta de vagas em cemitérios começava a preocupar as autoridades e, em Teresópolis, uma igreja era usada para armazenar cadáveres após a capacidade do Instituto Médico Legal local ser esgotada.

"CHANCE ZERO" DE SOBREVIVENTES

No bairro de Campo Grande, onde a prefeitura de Teresópolis acredita que ao menos 150 casas foram soterradas pelo deslizamento de pedras e lama, as equipes de resgate ainda encontram dificuldades para localizar as vítimas. As casas foram cobertas por ao menos três metros de lama, segundo autoridades municipais.
"A chance de encontrar sobreviventes é zero", disse Leandro Vabo, chefe da equipe médica que atua no bairo. Segundo ele, o número de desaparecidos é muito grande e a conta de mortos vai aumentar.
Na quinta-feira, a presidente Dilma Rousseff sobrevoou a região afetada e visitou Nova Friburgo. Ela classificou o momento de "muito dramático".
O governo federal se comprometeu em liberar 780 milhões de dólares para as cidades e Estados afetadas, além do envio de medicamentos, de helicópteros das Forças Armadas e de homens da Força Nacional de Segurança Pública.
Nesta sexta-feria, um hospital de campanha da Marinha deve começar a operar em Nova Friburgo. Um hospital do mesmo tipo já operava em Teresópolis na quinta-feira para atender os feridos.
O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que acompanhou Dilma na quinta-feira, fez um apelo para que a população abandone as áreas de risco.
"Temos outras cidades com problemas e a previsão pluviométrica não é tranquilizadora", alertou. "Há áreas ainda onde há risco de desabamento e de queda de barreiras."
De acordo com o Corpo de Bombeiros, choveu entre terça e quarta-feira na região serrana do Rio o equivalente ao previsto para um mês inteiro.



Reuters

Chega a 530 o número de mortos na região serrana do Rio


Aumentou para 530 o números de mortos nas cidades da Região Serrana do Rio afetadas pelas chuvas. Em Nova Friburgo são 234 mortes; em Teresópolis, 231; em Petrópolis, 41; em Sumidouro, 20; em São José do Vale do Rio Preto, 4. Esses números estão sendo atualizados a todo momento, à medida em que os corpos em áreas de difícil acesso são encontrados. Municípios vizinhos - Bom Jardim, Sapucaia, Areal - não registraram mortos, mas também sofrem com estragos estruturais provocados pelos temporais.
Marcos de Paula/AENova Friburgo segue como a cidade mais afetadaAo todo, os desabamentos causados pelas chuvas já deixam mais de 13 mil pessoas fora de casa. Em Petrópolis a situação é pior: 3.600 estão desalojados e outros 2.800, desabrigados. Há 3.220 desalojados e 1.970 desabrigados em Nova Friburgo; e outros 960 desalojados e 1.280 desabrigados em Teresópolis, segundo a Defesa Civil.
A Força Nacional de Segurança está na serra. Duzentos e vinte e cinco homens, entre eles 80 especialistas em salvamento, estarão nos municípios atingidos por tempo indeterminado. Entre eles há também peritos que vão trabalhar na identificação de corpos.
O Ministério Público estadual (MP-RJ) vai ajudar os familiares das vítimas a reconhecer e liberar os corpos. Dois peritos-legistas do Grupo de Apoio Técnico Especializado (Gate) foram enviados para a região.



Estadão

sábado, 8 de janeiro de 2011

Passaporte diplomático


O jornal “O Estado de São Paulo” diz hoje que “a regra para emissão de passaportes diplomáticos tem sido usada pelos deputados e parentes para conhecer o mundo e literalmente fazer turismo”. Pelo menos 2 terços desses passaportes solicitados pela Câmara dos Deputados ao Itamaraty, entre fevereiro de 2009 e este começo de ano, foram para mulheres, maridos e filhos dos parlamentares. Desde 2009, a Segunda Secretaria da Câmara solicitou 662 vistos para viagens de deputados e parentes que têm o documento especial. Desses, 577 foram para "turismo", segundo o jornal. O Senado informou que requereu ao Itamaraty nos últimos 2 anos a emissão de "70 a 80" passaportes especiais. O total de documentos diplomáticos solicitados pelo Senado anualmente ou nos últimos 8 anos é mantido em sigilo.

E só agora viram isso porque os passaportes dos filhos de Lula foram renovados. Isso caracteriza muito jogos de interesses.

RJ: professor terá bônus e auxílios cultura e transporte


Alunos e professores da rede estadual vão começar a receber no início do ano letivo, em 7 de fevereiro, um pacote de benefícios para tentar passar uma borracha nas notas vermelhas que o Rio de Janeiro colecionou nos últimos 20 anos. O Plano de Metas, anunciado ontem pelo secretário Wilson Risolia, prevê bônus de até três salários a mais no fim do ano - R$ 1.913,52 a R$ 4.737,81 - para quem atingir 100% dos objetivos. Além disso, os 51 mil professores em sala de aula vão ganhar a partir do mês que vem um cartão pré-pago de R$ 500 para comprar livros, ir a cinemas e a teatros.
"É importante ter acesso a cultura para poder discutir em sala de aula", diz o professor de Matemática José Tibúrcio, 51 anos. Como ele, todos os funcionários lotados nas unidades escolares receberão no contracheque um auxílio-transporte para custos com deslocamento. No total, serão investidos, por ano, R$ 240 milhões.
Em troca, as 1.462 escolas terão que fazer o dever de casa e atingir as metas agressivas de desempenho estabelecidas pela Secretaria Estadual de Educação, que pretende colocar, até 2014, o Rio entre os cinco estados no topo do Ideb, indicador que avalia a cada dois anos o Ensino Básico em todo o País. Atualmente as escolas fluminenses só ganham das do Piauí.
Risolia acabou com a indicação política para escolha de funcionários em cargos de direção. "Nem eu terei mais a caneta para nomear meu subsecretário. A partir de agora, será tudo por mérito", afirmou o secretário, que será o único nomeado pelo governador.
Para assumir funções pedagógicas, os professores terão que passar por 4 etapas: análise do currículo, prova, entrevista e curso para certificar que o profissional está qualificado para o cargo.
Com o leque de incentivos, Risolia espera levar de volta às salas de aula parte dos 8 mil professores que estão de licença médica e 2 mil funcionários emprestados a outros órgãos. "Não vamos mais ceder professores, a não ser que arquem com o ônus de pagar os salários. Hoje o salários dos 2 mil professores cedidos é da Educação", diz o secretário.
Para fazer caixa para os novos investimentos na rede, o secretário Wilson Risolia anunciou o corte de R$ 111 milhões nos gastos da secretaria. No ano passado, a Educação consumiu R$ 847 milhões do Orçamento. Este ano, a meta é utilizar R$ 736 milhões. Risolia pretende chegar a este valor revendo todos os contratos de fornecedores com o estado, de modo que sejam feitos em condições mais vantajosas.
Outra medida prevista no Plano de Metas será a abertura de concurso para técnicos administrativos com o objetivo de liberar para sala de aula os 4 mil professores que hoje ocupam funções burocráticas.
"Claro que não é fácil. A nossa situação não é confortável, por isso temos metas agressivas para a educação", destacou Risolia, que não teme possíveis reações contrárias ao programa. "Não vai haver resistência. Quem vai ganhar são os jovens. Quem pode ser contra algo tão positivo?", questiona.
Sai terça-feira edital para contratar 1.362 profissionais
A secretaria publicará edital do concurso para seleção de 1.362 professores de Matemática e Física, na terça-feira. Objetivo é reduzir o déficit de 4 mil professores da rede. "Há alunos no Ensino Médio que não tiveram Matemática o ano todo. Mas a situação vai melhorar quando houver aumento salarial", diz o professor José Tibúrcio, do Liceu Nilo Peçanha, em Niterói.
Todos os docentes vão fazer cursos de qualificação em universidades e na escola corporativa que será criada pela Secretaria Estadual de Educação. A Escola, localizada na Tijuca, deve ficar pronta em julho. A meta é capacitar 10 mil mestres a cada seis meses.
O secretário já abriu edital para contratar empresa que fará perícia nas 8 mil licenças médicas para ver quem realmente tem condições de voltar às salas de aula. Já os funcionários cedidos terão 30 dias para se apresentar. Se continuarem nos cargos, o salário será pago pelas secretarias onde estão lotados.
Repetentes custam R$ 1,1 bilhão ao ano
Um dos maiores desafios do novo plano de educação será reduzir a repetência. Segundo o secretário Risolia, o estado gasta por ano R$ 1,1 bilhão com alunos que já deveriam ter concluído os estudos. Numa rede que tem 1,25 milhão de matrículas, 450 mil estudantes estão mais de 2 anos atrasados na série. "É um problema grave, porque o estado investiu. Eles não se formaram e tomam o lugar de novos alunos", diz o secretário.
Para evitar que o aluno perca o ano, os estudantes como os do tradicional Colégio Estadual Souza Aguiar, no Centro, farão simulados a cada dois meses (o primeiro será em abril), receberão reforço escolar no contraturno - aulas extras à tarde para quem estuda pela manhã e vice-versa.
As aulas de reforço serão aplicadas para todas as disciplinas, dependendo da deficiência do aluno. Estudantes do 2º ano do Ensino Médio receberão orientação vocacional voltados para o mercado de trabalho. Mesmo com o volume maior de tarefas professores aprovaram o plano. "Não me importo de aplicar mais provas se tiver reconhecimento pelo meu trabalho", afirma a professora de Língua Portuguesa, Maria da Consolação Lavorato, 49 anos.
As escolas adotarão currículos mínimos para disciplinas de Matemática, Português, História, Geografia, Filosofia e Sociologia. A intenção é padronizar o ensino. "A mesma aula de Matemática que é dada em uma escola no Leblon tem que ser dada ao aluno do Complexo do Alemão", afirma o secretário Risolia. Todas as escolas serão avaliadas por um índice próprio, o Iderj (Índice da Educação Básica do Rio), que será aplicado nos anos em que não houver prova do Ministério da Educação.



Terra

UE rejeita oferta de visita do Irã; Brasil é um dos convidados


A União Europeia rejeitou uma oferta do Irã de visitar suas instalações nucleares, disse na sexta-feira a chefe de Relações Exteriores do bloco, Catherine Ashton, mas continua otimista em relação às conversações previstas com Teerã para este mês.
O Irã enviou cartas a vários embaixadores junto à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em Viena, convidando-os a visitar duas instalações nas próximas semanas: a usina de enriquecimento de urânio de Natanz e o complexo de água pesada de Arak.
Entre os países convidados está o Brasil, que analisa a oferta, de acordo com o Itamaraty.
Diplomatas de Grã-Bretanha, França, Alemanha e Estados Unidos não foram convidados. Mas a Hungria, que ocupa a presidência rotativa da UE até julho, foi convidada, deixando o bloco em um dilema sobre o que fazer.
"O que direi é que o papel de inspecionar instalações nucleares cabe à AIEA, e espero que o Irã garanta que a AIEA possa ir e realizar seu trabalho," disse Ashton à Reuters após um encontro com o chanceler húngaro, Jamos Martonyi, dizendo que o convite seria recusado.
Os EUA e as três potências da UE mais envolvidas em pressionar o Irã para que suspenda o enriquecimento de urânio foram esnobados por Teerã, mas Rússia e China, também envolvidos em negociações nucleares esporádicas com o Irã, foram convidadas.
Ashton disse que consultou Rússia e China antes de decidir que o convite não deveria ser aceito.
"Evidentemente, consultei os outros membros do E3+3 (seis potências) que foram convidados. Minha posição é que, embora eu não enxergue este convite sob uma ótica negativa, visitar essas instalações e determinar o que são não é nosso trabalho e é algo que requer conhecimentos especializados," disse Ashton, aludindo aos inspetores da AIEA.
O Ocidente suspeita que o programa nuclear do Irã tenha por objetivo o desenvolvimento de bombas. Teerã diz que ele visa apenas a energia nuclear pacífica.

IRÃ DIZ QUE A MAIORIA DOS ENVIADOS ACEITOU SEU CONVITE

Em Viena, o enviado do Irã à AIEA disse à Reuters que a maioria dos embaixadores credenciados junto ao órgão foi convidada, "de Norte, Sul, Leste e Oeste," confirmou que participaria da visita. Mas ele não os identificou.
"Convidamos todos os amigos a se reunirem da maneira mais transparente para ver nossas instalações nucleares, e esta é uma iniciativa muito positiva do Irã," disse à Reuters o embaixador Ali Asghar Soltanieh. Ele se negou a comentar as declarações de Ashton, dizendo não ter recebido uma resposta formal da UE.
Diplomatas ocidentais descreveram o convite iraniano como tentativa de dividir as seis potências mundiais e enfraquecer as sanções internacionais impostas a Teerã em função de sua atividade sigilosa.
Rússia e China tendem a adotar uma postura mais leniente em relação ao Irã. Os dois países ainda não deram resposta pública ao convite de Teerã.
Diplomatas ocidentais disseram na quarta-feira que Rússia e China estão sendo desencorajadas ativamente de participar da visita, já que isso poderia enfraquecer a frente unida dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, mais a Alemanha, com relação ao dossiê nuclear iraniano.
Em entrevista a uma agência de notícias iraniana publicada antes dos comentários de Ashton, o ministro interino de Relações Exteriores iraniano, Ali Akbar Salehi, disse que a intenção do convite era um "gesto de boa vontade" para conter "mentiras propagadas por alguns países não-benevolentes sobre as atividades nucleares do Irã".
Informações de inteligência israelenses divulgados na sexta-feira apontam que Israel acredita que o Irã, seu arquirrival, não poderá produzir uma bomba atômica antes de 2015. A ampliação do prazo acalmou os temores de um ataque preventivo contra o Irã e deu mais tempo para uma solução diplomática.
Ashton não disse se considerava o convite iraniano como uma tentativa de dividir as seis potências envolvidas nas negociações, mas disse que isto não impediria as conversas nucleares que ela lidera com a República Islâmica.
"Não é um obstáculo, de maneira alguma. Temos as datas para as (próximas) conversas, começamos na noite de 20 de janeiro e temos dois dias, ou ao menos um dia e meio, o que é extremamente positivo".
As conversas deverão ocorrer em Istanbul e terão a presença de representantes das seis potências, disse ela.
Outros convidados para as visitas, além do Brasil, são Egito, Cuba, Venezuela, Turquia, Argélia e a Liga Árabe, disseram diplomatas.
Cuba e Venezuela são aliados do Irã, enquanto Brasil e Turquia tentaram, no ano passado, mediar o impasse iraniano com as potências.



Reuters

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Governo adotará modelo de gestão do PAC em plano contra miséria


O governo vai aplicar o modelo de gestão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para organizar um plano de erradicação da miséria, promessa de campanha da presidente Dilma Rousseff, informou nesta quinta-feira a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello.
"Vamos construir para esse programa um modelo de gestão como fizemos para o PAC, com metas claras", afirmou a ministra, sem falar em prazos, nem valores.

Segundo Tereza, o programa terá metas e instrumentos de controle semelhantes ao do PAC.

"Queremos ter condições de monitoramento de prestar contas para a sociedade e a imprensa sobre o andamento dessas metas", afirmou, após participar da reunião de quase quatro horas com a presidente Dilma e outros ministros, como Guido Mantega (Fazenda), Miriam Bechior (Planejamento) e Antonio Palocci (Casa Civil).

A ministra afirmou ainda que o programa será interministerial e, a exemplo do PAC, terá um comitê gestor no centro do governo coordenado por sua pasta.

Tereza Campello afirmou que a próximo passo será elaborar o desenho básico do plano e estabelecer as metas da redução da pobreza extrema. Segundo ela, iniciativas como o Bolsa Família farão parte do programa.

O modelo de gestão de PAC caracteriza-se pelo monitoramento passo a passo das ações por diversas áreas do governo e a divulgação quadrimestral dos resultados.

Em seu discurso de posse no Congresso, Dilma afirmou que "a luta mais obstinada" do seu governo será pela erradicação da pobreza extrema e a criação de oportunidades para todos.

Reuters

domingo, 2 de janeiro de 2011

Tremor de terra no Chile

Um tremor de 6,5 graus de magnitude na escala Richter sacudiu neste domingo seis regiões do centro e do sul do Chile, sem que as autoridades tenham informado a existência de vítimas, mas sim de cortes de eletricidade e do serviço telefônico.
De acordo com os organismos oficiais chilenos, o terremoto atingiu as regiões de O''Higgins e Maule, no centro do país, e Biobío, Araucanía, Los Rios e Los Lagos, no sul, cujos habitantes ainda lembram o terremoto que devastou parte do território chileno em 27 de fevereiro de 2010.
Algumas praias de Biobío, lotadas de turistas, foram evacuadas pelas autoridades diante da possibilidade de um tsunami, o que no entanto foi descartado pelo Serviço de Hidrologia e Oceanografia da Marinha do Chile.
Em um relatório preliminar, o Serviço Geológico dos Estados Unidos tinha indicado que a magnitude do tremor de terra havia sido de 7,1 graus na escala Richter.
O movimento aconteceu às 17h20 hora local (18h20 no horário de Brasília), e segundo os primeiros dados do serviço geológico americano, seu epicentro se localizou sob o mar, a cerca de 96 quilômetros de Temuco, capital de Araucanía, e a 690 quilômetros de Santiago, a uma profundidade de 16,9 quilômetros.
Mais tarde, o Instituto de Sismologia da Universidad de Chile informou que a magnitude do terremoto foi de 6,5 graus na escala Richter e seu epicentro se localizou sob o mar, a 149 quilômetros de Tirúa, localidade situada no limite das regiões de Araucanía e Biobío, a uma profundidade de 29,5 quilômetros.
Desde a madrugada deste domingo uma sequência de tremores de magnitudes entre 3,2 e 4,7 graus na escala Richter sacudiram o litoral de várias regiões do país, incluindo as afetadas pelo último terremoto

Terra