terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Evolução da consciência



Para o físico Goswani, o penso logo existo de Descartes deveria ser substituído por escolho logo existo, pois o futuro da consciência humana é uma questão de possibilidades. Ele se opõe ao materialismo realista que se fundamenta na idéia simplista de que todas as coisas são constituídas por átomos. Pretende conciliar o irreconciliável: religião e ciência. Opõe-se ao dualismo cartesiano que se para a matéria da mente propondo o que denomina idealismo monístico que afirma que tudo existe na consciência.

No fundo, as religiões derivam deste monismo, mas se desviaram dele, por impedir que seus seguidores comprovem a existência em si mesmos desta fonte de energia, a consciência, através de seu conhecimento e ampliação.
A inscrição délfica que apontava para o autoconhecimento não foi realizada, pois o eu profundo, a consciência, continua desconhecida, por ser matéria de ciência.

Apesar do vislumbre dos físicos quânticos, ela continua sendo uma incógnita,a bela adormecida, como muito bem definiu o pensador González Pecotche. Seria necessário tomar contato com a consciência - fonte de energia - em si mesmo, e não apenas na natureza exterior, pois o conhecimento vem da experiência e ela – a consciência – é também conhecimento em sua essência, que também implica domínio e controle.

Para a nova física, não há fenômeno sem observador, e a continuidade de movimento no Universo vale como lei. Mas não podemos afirmar que a consciência é o observador, senão aquele capaz de ver e entender o que vê; um observador preparado, instruído, capaz, através de um processo, um caminho que levasse ao conhecimento com o qual a consciência individual se confunde por ser parte da consciência cósmica, contrariamente ao que afirma o físico Goswani que as diferencia.

O processo evolutivo parte do principio consciente que se amplia e se transforma à medida em que o homem adquire novos conhecimentos, deixando de ser o que é para ser uma pessoa melhor, transformando sua maneira de ser, de pensar, evoluindo como as espécies que se observa na natureza, como um réptil que se transforma em pássaro num salto muito rápido de evolução que os cientistas de hoje chamam de quântica, mas que o homem pode realizar em si mesmo utilizando sua inteligência e seu coração para ampliar a sua consciência.


Nagib Anderáos Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário