quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Evolução humana pode estar cem vezes mais rápida que o normal

É natural que sintamos um misto de perplexidade e arrepio na espinha ao pensar em tudo isso. A única certeza é que não podemos ter certeza de nada. É claro que mais testes e métodos mais refinados são necessários para confirmar que a evolução humana está em ritmo de trem-bala. Marcelo Nóbrega, pesquisador da Universidade de Chicago e um dos principais geneticistas brasileiros, alertou-me, em conversa por e-mail, que outros trabalhos obtiveram estimativas vastamente diferentes para a evolução recente de genes humanos.
De qualquer maneira, a idéia simplista e um tanto ridícula de que nosso futuro evolutivo resumir-se-ia a um bando de baixinhos cabeçudos com braços e pernas atrofiados não chega nem perto de fazer jus à complexidade das forças que liberamos sobre nossos corpos e mentes ao criar, inconscientemente, o que chamamos de civilização.
Podemos tentar à exaustão, mas o laço que nos prende à maneira como funcionam todas as formas de vida na espiral do tempo não vai se esgarçar tão fácil. Para o bem e para o mal, vamos continuar evoluindo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário