quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Os mitos


Houve um tempo em que acreditava nas pessoas. Acreditava em Deus e acreditava nos mitos. Todos indicavam costumes e comportamentos. A gente seguia segamente sem mesmo questionar. Houve um tempo que eu achava que tudo ia mudar na força mas não percebia que ao implementar a força apenas insuflava nada e tudo continuava na mesma apenas mudava de direção ou de posição. Achei também que mexendo com as massas a mudança era possível, sim mais em partes, Achei que líderes teriam a condição da transformação, sin, mas limitado.Entendia que toda a miséria do mundo, a fome o abandono era um desígnio de Deus. Não, apenas descrapricho dos homens individual e coletivamente. Pensei que a fome era apenas de carne e me esquecia da arte ou seja do espírito. Acreditei que se organizar ajudaria na transformação mas repeti as mesmas coisas e nada saia da situação. Foi preciso perceber que a transformção é material e espiritual, de caráter e procedimento, pensamento e postura. E para isso era preciso acreditar no principal da História, em mim mesmo. A medida que acredito em mim mesmo e me transformo carnal e espiritualmente posso fundamentar o crédito ao outro. Acreditando nos esperimentos e experiências e analisando as condições.

Nenhum comentário:

Postar um comentário