quinta-feira, 3 de março de 2011

Força Aérea da Líbia ataca cidade petrolífera controlada por rebeldes


Aviões da Força Aérea da Líbia lançaram novos ataques contra a cidade produtora de petróleo de Brega, no leste do país.
Um porta-voz dos oposicionistas ao regime do líder líbio Muamar Khadafi afirmou que os aviões bombardearam o aeroporto da cidade, onde fica um importante terminal de petróleo, além de atacar também forças rebeldes na cidade próxima de Ajdabiya. Não há informações de mortos ou feridos.
As forças leias a Khadafi chegaram a ocupar a cidade de Brega na quarta-feira, mas foram rechaçadas pelos rebeldes e empurradas para outro terminal de petróleo próximo, o de Ras Lanuf.
Esses combates deixaram 14 mortos. O ataque aéreo desta quinta-feira ocorreu enquanto os rebeldes ainda comemoravam o resultado da batalha de quarta-feira.
Khadafi perdeu o controle do leste da Líbia durante as duas semanas de rebelião no país, mas prometeu lutar para reconquistar a região.
Em um discurso transmitido na quarta-feira pela TV, Khadafi disse que "lutaria até o último homem e mulher" e ameaçou que milhares morreriam se ocorresse uma intervenção estrangeira no país.
Os oposicionistas estão pedindo a intervenção militar de forças estrangeiras com endosso da ONU contra as forças pró-Khadafi, mas os governos do Ocidente continuam cautelosos em relação a uma ação na Líbia.

Fronteira
Acredita-se que milhares de pessoas foram mortas na Líbia depois que forças de segurança dispararam contra manifestantes ainda nas primeiras fases dos protestos no país.
Em Haia, na Holanda, o Tribunal Penal Internacional anunciou o plano de iniciar uma investigação sobre possíveis crimes contra a humanidade cometidos na Líbia.
Há relatos, negados por Khadafi, de que as forças leais ao regime atacaram os rebeldes, inclusive usando contra eles armamento militar.
Clique Leia: Tribunal de Haia investigará crimes na Líbia
A violência levou a uma grande crise humana na fronteira da Líbia com a Tunísia, com dezenas de milhares de estrangeiros, muitos deles egípcios, tentando escapar do país mas sem conseguir voltar para casa.
Cerca de 75 mil pessoas já fugiram da Líbia para a Tunísia desde o início dos protestos e outras 40 mil estão esperando para passar para o outro lado da fronteira, segundo a ONU.
Grã-Bretanha, França, Espanha e outros países estão realizando transportes de emergência para retirar as pessoas reunidas nas fronteiras.
Londres decidiu enviar três aviões para fazer o transporte dos refugiados até o Egito. A França decidiu enviar um avião e um barco.

BBC Brasil
 
Comentário
Está evidente que a Líbia vive uma situação de guerra civil. Precisa ser feito algo para proteger a população e as medidas internacionais até agora não dão conta disso. Sanções econômicas e investigação são importante sim mas não resolve de imediato a situação vivida no País. É preciso que a ONU tome uma posição mesmo que seja de uma intervenção, porque se nada for feito a tendência é se alastrar. É claro e notório que depende da decisão do Povo Líbio e de suas forças de oposição. Uma ação de exclusão aérea está sendo ventilada, mas quem é que vai fazer isso? os EUA já se colocam a postos com navios equipados para guerra. Por outro lado as forças internacionais estão muito divididas até parece que não estão nem ai com a situação. Precisa de um posicionamento concreto é único entre a comunidade internacional. Porque se não o povo Líbio corre bastante risco de sofrimento mais do que já está acontecendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário