terça-feira, 15 de março de 2011

O Medo


Observe os medos que vivenciamos. Alguns deles são puros mecanismos de autoproteção, que sem querer, acabam mesmo é sabotando a nossa liberdade de escolha, fazendo-nos mergulhar na inércia, no receio e na dúvida, para que você não se exponha à vida e não corra riscos. Só que assim, você também não vive e não cresce. Portanto, daqui por diante, contatemos os nossos tipos de medo e os encaremos diferentemente.
Vejamos se essa lista nos ajuda: medo de não passar num teste, medo de ficar sozinho, medo de adoecer, de se casar, de se separar e enfrentar a vida sozinho, medo de morrer, medo de tomar suas próprias decisões e arcar com elas, medo de lutar pelos seus direitos, medo da intimidade, medo de envelhecer, de ficar sem amigos, de não ser requisitado, de ser desagradável, de que nos passem a perna num negócio, medo de mudar de emprego, medo de não mudar, medo de perder um ente querido, de falar em público, medo de avião, medo de se enxergar e constatar nossas próprias emoções, carências, pensamentos e topes de defesas, medo de sentir felicidade, medo de situações e lugares estranhos, medo de mudar e, por incrível que pareça, até mesmo medo de ficar elegante e atraente. Fora essa lista existem os nossos especiais e particulares medos, escondidinhos a sete chaves, num canto obscuro da mente. Esses somente nós sabemos. São nossos bichos papões, que literalmente querem nos comer, comer nossa autoconfiança, nossa paz e tranquilidade. Veja os e não mais os alimente, reforçando-os com crenças negativas. Deixe que morram por inanição.


Fonte: Imagik

Nenhum comentário:

Postar um comentário