quarta-feira, 16 de março de 2011

A situação na usina de Fukushima Daiichi é muito grave, diz Diretor da AIEA


Controle de Radiação no Japão

Segundo matéria no Jornal BBC Brasil o diretor da Agência Internacional de Energia Atômica da ONU (AIEA), Yukiya Amano, confirmou nesta quarta-feira que três reatores da usina nuclear de Daiichi, na província japonesa de Fukushima (leste do país), foram danificados pelas consecutivas explosões após o terremoto que atingiu o país.
"O tremor de magnitude 8,9 e o tsunami que se seguiu a ele na sexta-feira provocaram panes no sistema de resfriamento dos reatores e aumentaram o risco de vazamentos de radiação"."A situação na usina de Fukushima Daiichi é muito grave. Danos nos núcleos de três unidades, os reatores número 1, número 2 e número 3, foram confirmados. Mas não houve mudanças significativas desde ontem (terça-feira). Os núcleos permanecem cobertos”, disse Amano em uma coletiva.
“Não sabemos a situação exata nos recipientes dos reatores, mas a pressão de dentro se mantém acima da pressão atmosférica. Isso sugere que eles permanecem praticamente intactos."

Essa informação vem confirmar o que já se esperava pela situação das explosões impossíveis de não terem atingidos significativamente os reatores. Resta agora um acompanhamento e informações mais precisa sobre os riscos de contaminação e os níveis de radiação.

Essa situação gerada pela catástrofe no Japão reacende na comunidade internacional a necessidade e a importância de verificações dos níveis de segurança de suas usinas nucleares. Acredito que isso atenta para melhorias e aprofundamento da tecnologia nuclear em desenvolvimento.

Saiba mais: Os riscos para a saúde de um desastre nuclear como o de Fukushima



Fonte: BBC Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário