quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Sentimento - 1

Sentimentos são expressões do nosso intimo, consciente ou inconsciente, e está relacionado ao nosso nível de entendimento e de dicernimento. Assim como o nosso ponto evolutivo. Se ficarmos apegado ao sentimentos da raiva ou ogeriza, como exemplo, o nosso nível de evolução permite interferência de terceiros. Assim como o ciumes indica insegurança, se és um indivíduo seguro de si não terá esse sentimento exarcebado. Sentimento pode ou não estar relacionado ao nível intelectual, digo que pode ou não porque não é o fator da informação que determina mas a capacidade de dicernir as relações espaciais e ambientais.
Também não podemos confundir sentimento com instinto. Sentimento é uma situação que desenvolvemos na relação e no meio. Já o instinto é uma situação natural instrinsico ao ser no eu habitat como meio de sobrevivência.
Quando a fala, o posicionamento ou ação de uma determinada pessoa que te chamava atenção não mais interferir em suas reações de sentimento negativo é sinal de evolução material e espiritual.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

A trilha sonora da sua vida. Qual é?

Se eu fosse montar uma trilha sonora para minha vida seria mais ou menos assim:
Tanto Cara = Guido de Renzi, por ser a primeira musica pop que gostei.
I'll be fine = Pete Dunaway, por lembrar de um amor de adolecência na época do ginásio.
The house of rising sun = Animal, primeira música que aprendi tocar.
Imagine = John Lennon, egunda música que aprendi tocar.
Ben = Michael Jackson, era sucesso na época.
O disco The dark of side the moon = Pink Floyd, quando aprendi a ouvir rock e progressivo.
The gates of Deliriun = Yes, Essa música me abriu o cérebro
Soon = Yes, uma viagem de som.
De volta pro aconchego = Elba Ramalho
Arueira = Geraldo Vandre, Cantava para meus filhos dormir.
Wanderful world = Louis Armstrong, porque a vida é maravilhosa.
 
Ficou sobrando:
Dire Straits
Genesis
Led Zeppelin
E tantos outros.
Mas pedi apenas uma trilha sonora da minha vida.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Onde procurar as respostas

Temos muitas perguntas sem nenhuma resposta plausível para cada uma delas. As veses sentimos que um vazio nos bate ao peito, que aperta o estômago e não sabemos porque. Sem contar nas curiosidades sobre fatos que nos arremetem admiração.
Primeiro lugar que vamos buscar respostas é no céu. Olhamos para cima e pedimos para Deus que nos explique , que nos de respostas sobre nossas necessidades e angustias. Segundo, vamos atraz de cada uma religião que segundo promete a nos revelar e elucidar nossas insatisfações. Por fim: buscamos em cada canto do mundo e nos esquecemos de buscarmos as respostas em nós mesmos.
Tinha eu certos reflexos de medos, angústia e um vazia que nada prenchia. Não me digam que Jesus preenchia porque era um dos mais praticantes de grupos de jovens e comunidades da igreja. Isso amenisava quando nos sentiamos um tanto útil. Certo dia tomei a decisão de procurar uma parapsicologa na tentativa de encontrar pistas para me conhecer melhor, para me entender. Pelo perfil descrito na sessão da qual participei, sabidamente esses problemas apenas eu teria condições de resolvê-los, apenas estava procurando respostas em lugares que não me dariam as respostas necessárias. Nesse sentido me preparei e passei a ler tudo que despertasse a curiosidade de nos conhecermos a nós mesmos. Técnicas de auto-ajuda entre outros. Foi demorado mas satisfatório. Os reflexos de angustias e medos desapareceram, o vazia que sentia insensantemente não existe mais. Curei-me de uma depressão repetitiva e mais ainda larguei o vício do fumo que me acompanhou por 42 anos, sem nenhum trauma, sem nenhuma crise de abstinencia.
Hoje tenho ciência de quem sou pelo menos tenho mecanismos para suprir isso e sabidamente só quem conhece a si mesmo pode ajudar ao outro.

Modismo

Não jogue pedra na cruz,
nem a leve para seu "seleiro".
Não faça discurso demorado,
nem mesmo rápido demais.
O segredo está na VIDA!
Viva! e deixe viver!!!

Somos individuos complexos/simples e único.

Eu não posso acreditar no outro,
sem antes acreditar em mesmo.
Como poderei estender a mão a outro,
se eu não conheço a mim memo e nem sei qual o papel da mão.
Muitas vezes fazemos por intuição ou repetição, por alguém lá atráz disse.
Mas não foi de sóbria consciência. Porque  essa visão ainda não temos.
Para que a ostentação e a riqueza se não sabemos ainda o que fazer com ela.
Então é melhor um bom dia gelado que uma nota de cem, para quem está esmolando.
Onde está a concepção de nós mesmos.
Apenas sabemos que somos complexos e contraditórios.
Ao mesmo que simples e notório.
Somos assim porque somos únicos.
e cada um com seu nível de dicernimento.
cada segundo a sua compreensão.
Eu era um idealista, sonhador.
não percebia que era uma porta.
Hoje sou eu. Com minhas dúvidas e minha dor.
Mas sou real. O sonho e o ideal acabou.
Apenas o concreto restou.
Porque quando busquei a mim, encontrei a Deus,
e muitas das respostas retornaram.
Clara como água límpida.
E de tudo que falei o que nos resta no final é apenas a excencia,
o amor.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

A imaginação.

Pinta-se um quadro psicodélico.
Multicolorido e multiforme.
Para que?
porque?
assim tão disforme,
que parece desprender do varal.
Imagino a tarde chegando com um céu róseo e nuvens marrons.
o sol alaranjado por traz faz siluetas em muticores.
A primeira estrela já desponta.
na parte azul-cinza que perto dali dar o ar a lua minguante.
até que sopra uma brisa desprendendo umas folhas ja secas do outono.
mas a marca é incessante e que não dá para prever.
essa marca é o sentimento que na tarde assola.
premeditando ir embora depois que a escuridão chegar.

Caminho

Vejo uma estrada envolto de matagais.
No leito da estrada tem pegadas,
mas não são suas. Já me certifiquei.
No horizonte, o ceu azul circunda a elevação,
e umas poucas nuvens brancas chapisca a visão.
Mas não passara nenhum avião.
Sigo mais adiante o caminho,
deparo com um areial.
Que com o calor está quente.
Um mormaço.
Logo depois o caminho bifurca.
Uma banda para esquerda, outra banda para a direita.
Agora estou confuso.
Qual caminho tomar.
Só sei onde quero chegar.
mas não sei por onde ir.
Agora estou parado na bifurcação.
A espera de quem possa orientar para que lado fica minha direção.
É cheguei na encruzilhada do destino.
E não sei que caminho tomar.
Tomara que passe alguém,
para poder perguntar...

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Distração

Que coisa é essa que me forçaa ficar longe de você Se você conseguir responder isso você ganha a lua
Esse lugar é o ideal de qualquer lugar Pode-se ter uma vista linda Porque sempre temostantas outras coisas para fazer

Distrações, como borboletas em volta de minha cabeça Quando estou só penso em vocêSe dessa vida que levamos pudéssemos nos ver livres Das distrações O carteiro está na porta enquanto o telefone toca Na parede da cozinha Vamos fingir que não estamos em casaE eles desaparecerão Eu quero estar com você diga-me o que fazer Nada é tão pequeno longe de todos esse barulho podemos fazer qualquer coisa Distrações, como borboletasem volta de minha cabeça Quando estou só penso em você Se dessa vida que levamos pudéssemos nos ver livres Das distrações
Vou achar um lugar calmo Longe de todo barulho do dia ocupado Onde poderemos passar as noites contando estrelas cadentes
Distrações, como borboletasem volta de minha cabeça Quando estou só penso em você Se dessa vida que levamos pudéssemos nos ver livres Das distrações Como borboletas em volta de minha cabeça Quando estou só penso em você Se dessa vida que levamos pudéssemos nos ver livres Das distrações




Paul Mccartney

Conceitos

Deus é a concepção pela qual medimos a nossa dor, assim define John Lennon em sua canção. E tem razão. Por que na alegria dificilmente manifestamos-lo. Outra controvérsia é a questão do pecado. Principalmente a idéia do pecado original o qual justifica a raça de pecadores. O pecado não existe, salvo de nossas ações maléficas que prejudicam aos outros ou a nós mesmo.
Não existem diabos, capetas muito menos satanáz, apenas representam a maldade que está em nosso interiror e que por ignorância traçamos esssas fantazias. Nos somos um universo e em nós permeiam a bondade e a maldade por ser tratar que um depende da existência do outro para o ponto de equilibrio. Mas devido o livre arbítrio podemos pender a balança para um lado ou para outro. Deus, energia que costura a tudo e a tudos para manter em completa harmonia, em sua infinita bondade/maldade repleto e marcado pela ação da construção do amor jamais iria permear que ficássemos sob julgo de personágens tão maléficas se não fossem partes pertencentes a nós  mesmos.
Por isso pedimos sempre a humildade para observar, sabedoria para dicernir e hombridade para assumir aquilo que só a nós pertence.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Sentidos

De novo com os pés no chão. Roçando o pé na grama orvalhada e sentindo na boca o gosto de uma xícara de café com leite. Ao longe, envolto a neblina, a casa da roça, bucólica, fumegando pela chaminé. Ouço o latido de Timbó, parace que não está para bons companheiros. O Pai para a roça já se foi e a mãe insiste em acender o forno de assar pão. Na mente vem uma imagem, de como seria se não existisse isso ali. E se eu não existisse.  Como seria. Mas a hora avança e apesar da escola não ser tão longe a sineta não espera.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Musicoterapia


Musicoterapia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
     
Musicoterapia é a utilização da música e/ou de seus elementos constituintes, ritmo, melodia e harmonia, por um musicoterapeuta qualificado, com um cliente ou grupo, em um processo destinado a facilitar e promover comunicação, relacionamento aprendizado, mobilização, expressão, organização e outros objetivos terapêuticos relevantes, a fim de atender as necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais e cognitivas. A musicoterapia busca desenvolver potenciais e/ou restaurar funções do indivíduo para que ele ou ela alcance uma melhor qualidade de vida, através de prevenção, reabilitação ou tratamento. (World Federation of Music Therapy)

 

os musicoterapeutas trabalham com uma gama variada de pacientes. Entre estes estão incluídas pessoas com dificuldades motoras, autistas, pacientes com deficiência mental, paralisia cerebral, dificuldades emocionais, pacientes psiquiátricos, gestantes e idosos. O trabalho musicoterápico pode ser desenvolvido dentro de equipas de saúde multidisciplinares, em conjunto com médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas e educadores.Também pode ser um processo autônomo realizado em consultório.

O uso da música como método terapêutico vem desde o início da história humana. Alguns dos primeiros registros a esse respeito podem ser encontrados na obra de filósofos gregos pré-socráticos.
A sistematização dos métodos utilizados só começou, no entanto, após a Segunda Guerra Mundial, com pesquisas realizadas nos Estados Unidos. O primeiro curso universitário de musicoterapia foi criado em 1944 na Michigan State University.

 Processo

O processo da musicoterapia pode se desenvolver de acordo com vários métodos. Alguns são receptivos, quando o musicoterapeuta toca música para o paciente. Este tipo de sessão normalmente se limita a pacientes com grandes dificuldades motoras ou em apenas uma parte do tratamento, com objetivos específicos. Na maior parte dos casos a musicoterapia é ativa, ou seja, o próprio paciente toca os instrumentos musicais, canta, dança ou realiza outras atividades junto com o terapeuta. A forma como o musicoterapeuta interage com os pacientes depende dos objetivos do trabalho e dos métodos que ele utiliza. Em alguns casos as sessões são gravadas e o terapeuta realiza improvisações ou composições sobre os temas apresentados pelo paciente. Alguns musicoterapeutas procuram interpretar musicalmente a música produzida durante a sessão. Outros preferem métodos que utilizem apenas a improvisação sem a necessidade de interpretação. Os objetivos da produção durante uma sessão de musicoterapia são não-musicais, por isso não é necessário que o paciente possua nenhum treinamento musical para que possa participar deste tratamento.
O musicoterapeuta, por outro lado, devido às habilidades necessárias à condução do processo terapêutico, precisa ter proficiência em diversos instrumentos musicais. Os mais usados são o violão, o piano (ou outros instrumentos com teclado) e instrumentos de percussão.

 Musicoterapeuta

O profissional responsável por conduzir o processo musicoterápico é chamado musicoterapeuta. A formação desse profissional é feita em cursos de graduação em musicoterapia ou como especialização para profissionais da área de música ou saúde (músicos, professores de música, médicos ou psicólogos). Em alguns países a musicoterapia também pode ser parte de uma formação em arteterapia, que envolve, além da música, técnicas de artes plásticas e dança.
A formação do musicoterapeuta inclui teoria musical, canto, prática em ao menos um instrumento harmônico (piano ou violão), instrumentos melódicos (principalmente flauta) e percussão.
Também faz parte da formação do musicoterapeuta o conhecimento da anatomia e fisiologia humana, psicologia, filosofia e noções de expressão artística, expressão corporal, dança, técnicas grupais e métodos de educação musical como o Método Orff ou o Método Kodály.
O dia do musicoterapeuta é comemorado no Brasil em 15 de setembro.

Estilos musicais

A intervenção terapêutica pode vir associada à outras técnicas como relaxamento progressivo, treinamento autógeno, reiki, yoga ou acupuntura. Apesar de haver um sub-entendido consenso sobre os benefícios da música clássica ou a música psicodélica eletrônica de sons contínuos ou no caso de acupuntura e yoga indiana associada à meditação assim como a música da China é sabido que o efeito da música sobre o paciente depende de sua história de convivência com os diversos estilos musicais por um processo de condicionamento estético e/ou vivência por ventura associadas.
Por outro lado os musicoterapeutas na sua formação estudam os efeitos hipnóticos dos ritmos repetidos a associação de rítmos ao transe e êxtase místico e]ou o seu efeito sobre as emoções humanas, relativamente bem conhecidos como por exemplo por produtores da música de filmes (suspense, ação, sensualidade, etc) e peças teatrais incluindo a ópera. Recentemente uma das maiores aplicações de sucesso reconhecido da musicoterapia tem sido o tratamento da dor crônica e stress pós traumático.

 

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Você planeja sua vida ou deixa a Deus dará?

O mundo já não permite que deixemos a vida a Deus dará, é necessário o mínimo de planejamento para que ela siga seu ciclo da forma mais consistente possível. Portanto é fundamental abstrairmos o que queremos, o que queremos e onde queremos chegar. Junto com isso o que temos que podemos contar, o que precisamos o que necessitamos e com quem podemos contar. Feito isso distribuimos tudo a curto, médio e longo prazo.

2014 O ano do hexa Brasileiro.

Muitas são as espectativas para o Hexa Brasileiro na Copa do Mundo de 2014. Espectativas essas que tradudirão em realidade. O Brasil é o candidato da vez mesmo porque, por ser o maior ganhador das copas é o organizador de 2014. Portanto não tem como escapar. O time será bem preparado. A torcida será muito positiva. E a conquista do campeonato mundial será a coroação de gratificação por tudo que o povo e oBrasil tem feito para com o mundo. Para concretizar isso o time da seleção brasileira terá que escolher a bola para o inicio das partidas. E digo sem medo de erra que no jogo de estréia do Brasil na copa do mundo o primeiro gol brasileiro será de um chutaçõ de saida do meio de campo entrando no ângulo esqurdo do gol do adversário. Isso será uma mensagem de que novos tempos estarão por virem e com isso muita paz e realizações. Viva o Hexa Brasileiro.

13/08/2012

domingo, 12 de agosto de 2012

O nada

Quando abstraimos o nada a cabeça fica confusa tanto quanto abstraimos o tudo. Os dois são vétices
da mesma realidade e necessário para a existência de um quanto o outro.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Tudo por uma atração

A formação da matéria é fruto da atração entre ás partículas do átomo e da molécula. O concatenizador disso é a vontade existente entre as partes de se tornarem juntas, assim como numa relação sexual.